sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Mais uma Miss Japão mestiça


Depois da mulata Ariana Miyamoto no ano passado, Priyanka Yoshikawa (吉川 プリアンカ)! Esta hāfu (mestiça; a palavra vem do inglês half) é filha de pai indiano e mãe japonesa, tem 22 anos, é treinadora de elefantes e foi coroada Miss Japão na passada segunda-feira.
"Eu não conheço pessoalmente a Ariana mas eu sou um grande fã dela. Ela inspirou-me a ganhar esta competição", afirmou Priyanka à CNN, ela que, ao contrário de imensos japoneses, fala muito bem inglês. "Nós somos japoneses. Sim, o meu pai é indiano e eu tenho orgulho nisso, estou orgulhosa de ter parte indiana. Mas isto não significa que eu não sou japonesa", acrescentou. "Antes da Ariana, as raparigas hāfu não podiam representar o Japão. Era isto que eu pensava também. A Ariana encorajou-me muito ao mostrar-me a mim e às raparigas mestiças o caminho. Eu conheço muitas pessoas que são hāfu e que sofrem. Quando eu voltei para o Japão (Priyanka nasceu em Tóquio), toda a gente pensava que eu era um germe. Como se eles me tocassem estivessem a tocar algo mau. Mas eu estou agradecida porque isto me fez mesmo forte".


Tal como no ano passado, houve reacções negativas e positivas em relação à coroação de uma mestiça como a beldade n.º 1 do Japão. Enquanto que uns perguntam se já não haverá mais "japonesas puras" a ganhar o concurso, outros dizem que o Japão agora já é "diverso" e que os japoneses "têm de aceitar isso". Um comentador, possivelmente indiano, escreveu assim o seguinte nas redes sociais: "depois do Buda Gautama (sim, o Buda era indiano), a senhora Yoshikawa é a segunda indiana a fazer algo grande no Japão".
Tomoko Morikawa, o director do concurso de beleza nipónica, disse que os padrões de beleza lá no Japão estão a mudar e que Priyanka ganhou por causa da sua beleza e também do seu contributo para a sociedade. "Ela é bilingue e internacional, portanto é totalmente adequada para representar o Japão no palco mundial".
O povo japonês é altamente homogéneo, o que é óptimo para a preservação da sua identidade. Apenas 2% dos bebés que nascem anualmente no Japão são hāfu, o que significa muito bem que felizmente as excepções sempre existem para confirmarem as regras.

14 comentários:

Anónimo disse...

Uma coisa é certa: é bem mais bonita que a mãe!!!

FireHead disse...

Claramente. Mas mesmo assim há quem entenda que as "puras" é que são as melhores...

Afonso de Portugal disse...

É mais bonita do que a mãe dela porque herdou a beleza do lado do pai (não necessariamente do pai, mas da família do pai). Logo, esta "miss" é uma celebração da destruição do património genético japonês.

Anónimo disse...

"Apenas 2% dos bebés que nascem anualmente no Japão são hāfu, o que significa muito bem que felizmente as excepções sempre existem para confirmarem as regras."

Que é um numero absurdo ,se pensarmos que estes 2% de hafus irão formar familia com japoneses .Logo,em um futuro proximo ,a % de hafus no japao sera de 4% e disso para 8 ,16% assim de geraçao em geraçao.

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

"Destruição" pelo menos a nível físico, o que por um lado acabou até por ser bom porque "melhorou" o aspecto. Cheguei a colocar aqui no blogue uma posta sobre mestiças no Japão e o quão populares elas são. Mas ela até pode ser 100% japonesa culturalmente. É por isso que, ao contrário dos racialistas como tu, eu não vejo a mestiçagem necessariamente como uma coisa má. Cada caso é um caso, também.

FireHead disse...

Anónimo,

Sim, e em 20 ou 30 anos toda a população japonesa será hafu!!! O Japão está lixado!! Isso também aconteceu na Europa, também começou com 1%, depois 2%, 3% e agora já é quase... 50% ou já é maioria, ou seja, já é 51%?? Tu és daqueles que concordam com a afirmação de que brancos no mundo são apenas 2%, né??

Anónimo disse...

Brancos no mundo são por volta de 10% a 15% (isso porque estou sendo bem generosa nos números). Quem diz ser entorno de 4%, tá exagerando. Não é tão pouco assim. Mas em alguns séculos talvez sejam sim 4%.
Que cara idiota. Dá zero pra ele. Ele tá afirmando que a minoria de 2% vai engolir a maioria? Acho bem mais provável o contrário.
Mas veja bem, Asia (ou pelo menos uma parte dela) também tá fer**da, pois as mulheres tem poucos filhos (menos que os europeus). A população do Japão tende a diminuir muito. Na verdade, já está diminuindo. Japão perde população desde 2010. Em 2010 teve 127 milhões de pessoas, hoje tem quase 125. Sem contar que a população japonesa é muito velha.
Por quanto tempo eles vão aguentar até levarem imigrantes para lá? E não me diga, que isso é impossível (parecia impossivel os leste europeus receberem imigrantes, mas hoje sabemos que até prefeito negros eles tem), pois asiáticos são bem orgulhosos de sua raça e blablabla. Com duas Miss mestiças, e vários mestiços fazendo sucesso em programas japoneses, coreanos e chineses, é obvio que a visão dos asiáticos de preservação de raça está diminuindo. Eles já não ligam tanto como há 10 anos atrás. Daqui a pouco, Japão vai ser uma India, ou até um abrigo para europeu, já que a quantidade de branco que adora os olhinhos puxados e querem viver lá é grande.

FireHead disse...

Anónima,

Eu acho que poucos são os países asiáticos que têm queda de natalidade. Penso que só mesmo a Coreia do Sul e o Japão. E se calhar os japoneses preferem mesmo aceitar de bom grado a sua diminuição de forma natural do que precisar da imigração para manter a população tão numerosa. Não achas que o Japão, para o tamanho que tem, é um país demasiado pequeno para ter mais de 120 milhões de pessoas? Além disso, os japoneses não são um povo estúpido, no dia em que a população correr mesmo um perigo de extinção - coisa que está muito longe de acontecer, pois eles ainda são mais de 120 milhões - naturalmente que serão tomadas todas medidas necessárias para que a taxa de natalidade suba.

Quanto ao idiota, ele é teu compatriota. Para começar ele nem sequer aceita o facto do Brasil ser um país de miscegenação, quanto mais aceitar que a Europa e até mesmo o Japão que fica na Ásia tenham imigrantes??

pvnam disse...

«É por isso que, ao contrário dos racialistas como tu, eu não vejo a mestiçagem necessariamente como uma coisa má.»
.
.
.
O problema não é os 'globalization-lovers' gostarem de o ser... mas sim... a AGENDA NAZI ESCONDIDA que anda por aí:
- começam por falar em ajuda humanitária... depois... é utilizado tudo e mais alguma coisa como arma de arremesso no 'argumento' de que a sobrevivência de Identidades Autóctones é algo que «não faz sentido»...
.
Ora, de facto, apanha-se mais depressa um nazi do que um coxo: nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!
Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins... que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-» http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
[o legítimo Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones]

FireHead disse...

pvnam,

Vamos ver se nos entendemos. O facto de eu não estar contra a mestiçagem não significa automaticamente que eu estou contra a não-mestiçagem. O facto de eu não ter nada contra a mestiçagem porque eu acredito sim que o amor não escolhe raças - e a história da humanidade confirma isso - não quer dizer que eu quero que deixe de existir a diversidade. Eu quero e defendo a existência da diversidade e nesse diversidade inclui-se a mestiçagem. Como poderia eu ser contra a NOM por defender a mestiçagem e ao mesmo tempo defender a preservação das raças e das etnias? Ou será que só se pode defender uma coisa ou outra?

Eu não acredito que as minorias se tornam maiorias assim sem mais nem menos. As maiorias só se tornam minorias por culpa própria.

Ajuda humanitária, sim!! Mas na terra dos que precisam de ser ajudados. Querem direitos, que lutem por eles! Que se ajude os que precisam de ser ajudados a ajudarem-se a si próprios! Não é ajudar prejudicando quem ajuda.

Sim, o nazismo não é claramente nacionalista mas sim anti-nacionalista porque visava a imposição de um determinado povo e a extinção de outros povos, considerados inferiores, como é o caso dos judeus que de inferiores têm pouco ou quase nada. O irónico é os amantes do nacional-socialismo considerarem-se eles próprios os verdadeiros nacionalistas e os nacionalistas de verdade para eles serem a falsa oposição porque dentro da cabeça deles só têm a palavra "raça". Aliás, duas: "raça" e "judeus".

Anónimo disse...

"Brancos no mundo são por volta de 10% a 15% (isso porque estou sendo bem generosa nos números). Quem diz ser entorno de 4%, tá exagerando."


nao ha no mundo mais que 350 milhoes de brancos .
os white pardos usam dos censos nacionais- que sao auto declarativos- para chegar há % surreais tal como 8% pra mais .

FireHead disse...

nao ha no mundo mais que 350 milhoes de brancos .

E esses 350 milhões descendem de uma linhagem 100% branca desde os primórdios da humanidade?

Anónimo disse...

Mais um país que sucumbiu ao multiculturalismo, nefasto a qualquer herança cultural.

FireHead disse...

Oh, que chatice. Um país cuja população é homogénea em mais de 95%, algo que faz inveja a muitos países ocidentais, só porque teve durante dois anos seguidos duas Misses mestiças já sucumbiu e já morreu. Pronto, risca lá o Japão da tua lista dos países preferidos.