sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Presidente checo fala da "cultura dos assassinos" num protesto anti-islâmico

O presidente da República Checa, Miloš Zeman, apelou numa manifestação anti-islâmica ao impedimento da entrada de refugiados muçulmanos para evitar ataques bárbaros no país. O seu porta-voz, o jornalista Jiří Ovčáček, disse o seguinte: "O nosso país não pode simplesmente arriscar ter ataques terroristas como os que ocorreram em França e na Alemanha. Ao aceitarmos migrantes, estaremos a criar solo fértil para ataques bárbaros".


Não deixa de ser engraçado o facto dos países da Europa Central, sobretudo os que passaram pelo horror do comunismo, serem os mais críticos da maneira como a maçónica União Europeia está a "gerir" o problema da crise dos refugiados.

8 comentários:

COMUNISMO JUDEU disse...

Mas os idiotas diariamente sao vitimas do comportamento anti social e parasita dos CIGANOS ,mas na hora de reclamar eles protestam contra o islã ? que tipo de debeis mentais habitam a rep checa ?!

FireHead disse...

A gente bem sabe que qualquer coisa que seja contra o islão para ti é simplesmente islamohisteria. Vai viver para o meio dos muçulmanos, seu palerma brasileiro.

Afonso de Portugal disse...

Contraste-se a atitude do Presidente checo com a atitude do nosso presidente-pimba...

FireHead disse...

Sabes como é, Portugal continua a ser um país de brandos costumes...

Lura do Grilo disse...

Corajoso este presidente. Conheceu bem o que é a repressão Nazi e, principalmente, comunista.

Adilson disse...

É sempre bom sabermos que ainda há homens que não temem falar a verdade contra o politicamente correto!

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Exacto. Por isso que agora não quer nada com a repressão islâmica.

FireHead disse...

Adilson,

Na Europa Central e também na Europa do Leste (Rússia), o politicamente correcto não faz efeito. E ainda bem. :)