domingo, 21 de agosto de 2016

Alógeno assassina jovem em Londres



Lance acabou assim por se tornar na sétima pessoa assassinada (por um muçulmano?) na capital britânica este ano. E pronto, viva o multiculturalismo e a política de portas escancaradas! Allahu Akbar!!

12 comentários:

Anónimo disse...

apenas 7 ? na minha cidade no final dos anos 90 em torno de 120 assassinatos ocorriam a cada final de semana .

Anónimo disse...

fico a imaginar oque sera dessas capitais europeias daqui a 30 anos . seja como for ,os que sempre se opuseram a invasao ,a classe trabalhadora , acabaram por arcar com as escolhas dos esquerdistas ,isso enquanto os proprios esquerdistas viveram seguros em condominios fechados e cidades interiorânas .

FireHead disse...

Anónimo das 12:46,

E deduzo que aí no Brasil, como há poucos muçulmanos, os homicidas pertencem a minorias étnicas. Não haverá brancos homicidas? Se houver, serão apenas "socialmente" brancos ou é o fenótipo que nos induz em erro? A culpa é do DNA, né? Ou é porque é judiaria, certo?

FireHead disse...

Anónimo das 12:52,

Infelizmente este é o principal problema. Os que mais promovem e defendem a destruição ironicamente vivem longe dos resultados das porcarias que eles querem e pretendem (as elites reinantes, por exemplo). E depois também há os masoquistas que, mesmo sofrendo directamente com as porcarias que eles desejam, são adeptos da máxima "quanto mais me bates, mais eu gosto de ti".

Adilson disse...

O anônimo que afirmou que na cidade dele "no final dos anos ocorriam em torno de 120 assassinatos a cada final de semana" deve estar exagerando, caso seja aqui no Brasil. Se ele puder colocar um link para ao menos nos certificar. Se for a grande São Paulo é possível sim, mas não todo final de semana. Há um fenômeno estranho por sinal de que em certos momentos acontece sim um número maior de morte. Digo isso porque trabalho na área de atendimento a pessoas que sofrem todo tipo de acidentes, inclusive vítimas de arma de fogo e outras violências. E realmente, já houve finais de semana (na década passada) que repentinamente em toda a cidade de Curitiba acontecia um descontrole grande em número de acidentes: de carro, arma de fogo, faca, agressões físicas, queda, etc., em que morria muita gente. Mas as mortes por arma de fogo ligadas ao tráfico de drogas sempre foram altíssimos. Agora, tais mortes nunca estiveram associadas a religião. Aliás, no Brasil nunca houve registro de morte por motivo religioso. Agora de uma coisa eu até hoje alimento sérias dúvidas: os jornais e TV nacionais e provinciais não noticiam, por exemplo, boletins policiais em áreas onde vivem muçulmanos. Isso me intriga muito, pois, por acaso, nessas áreas não há humanos? Certamente é um grande acobertamento. Embora, certa vez Maha Abdelaziz, professora do Centro Islâmico de Brasília ameaçou os brasileiros por meio de um jornal esquerdopata. http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/legitimacao-do-terror-a-asquerosa-entrevista-de-uma-radical-muculmana-de-brasilia-ao-globo-e-este-tipo-de-professora-que-jean-wyllys-e-petistas-querem-nas-escolas/

FireHead disse...

Adilson,

Não percas o teu tempo a discutir com esse anónimo que eu sei quem é. Para ele, como é anticristão, os crimes podem ser associados ao Cristianismo mas já quando é sobre os seus queridos muçulmanos, a fonte do crime nunca é o islão.

Aliás, essa gente gosta muito de fazer uso de subterfúgios. Se nós aqui provamos que o islão é a causa directa de crimes, eles alegam que também há cristãos criminosos e depois exageram na sua lunacia e exigem que o Cristianismo seja banido. Diz o ditado que não se cospe no prato da sopa...

Anónimo disse...

Coitado do jovem Lance. Mais uma vítima de algo que os esquerdistas e imbecis desejam, sonham e que para piorar acreditam que funciona (multiculturalismo).

Anónimo disse...

Adilson , a fonte que lhe apresento sao minhas memorias . lembro dessa epoca , e esse numero de 120 assassinatos por fim de semana eram muito frequentes e constamente lembrados nos telejornais policiais .

Fanático (nao sou eu) disse...

"Para ele, como é anticristão, os crimes podem ser associados ao Cristianismo mas já quando é sobre os seus queridos muçulmanos, a fonte do crime nunca é o islão.

Aliás, essa gente gosta muito de fazer uso de subterfúgios. Se nós aqui provamos que o islão é a causa directa de crimes, eles alegam que também há cristãos criminosos e depois exageram na sua lunacia e exigem que o Cristianismo seja banido. Diz o ditado que não se cospe no prato da sopa..."

Mentiras e mais mentiras !

FireHead disse...

Anónimo das 14:56: epá, eu até sou daqueles que acreditam que o multiculturalismo funciona sim... mas só desde que seja em dose q.b.! Se o multiculturalismo começar a fazer perigar a identidade de um país onde ele cresce, ele longe de ser uma coisa boa torna-se justamente no contrário.


Fanático (não sou eu): sim, mentiras, como os dados que tu não possuis sobre a criminalidade nos teus adorados países islâmicos.

Douglas Sulzbach disse...

Há um tempo atrás havia uma cidade considerada entre as mais violentas do Brasil: Foz do Iguaçu, não à toa, é nessa cidade fronteiriça que está concentrada a maior colônia muçulmana e árabe do país, mas por ser uma cidade de fronteira ainda mais com o Paraguai, sempre rolava muita droga e guerra entre facções rivais, aí o número de assassinatos era maior que em muitos países que estão em zona de guerra, tinha um tempo até turista estrangeiro era morto em assaltos lá. Agora já deu uma pacificada. Atentados ou coisa do tipo nunca se teve notícia.
Mas já li coisas a respeito de que pastores estavam sendo ameaçados na cidade por pregarem, e que Igrejas já foram pichadas, é possível, no meio de tantas "ovelhas" sempre pode haver um lobo mau.

Mas a cidade que proporcionalmente mais tem muçulmanos é Chuí, no extremo sul do Brasil na fronteira com o Uruguai, até prefeito muçulmano a cidade já teve, ele queria liberar a poligamia na cidade justamente por ter quase mais muçulmanos que cristãos, ainda é uma cidade tranquila, é pequena e por não ser industrializada, acaba não atraindo refugiados, mas proporcionalmente é a cidade com mais islâmicos, quase metade do povo professa o Islã, não sei se é por conversão ou por imigração.

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Ai sim? Mas voltamos ao mesmo... a islamização não existe! Muito menos no Brasil, que não tem tantos muçulmanos como a França, a Inglaterra ou a Alemanha. Se nem mesmo nesses países existe islamização, quanto mais no Brasil??

Temos de parar de andarmos para aqui a propagar mentiras...