quarta-feira, 29 de junho de 2016

«Não explorem Orlando»

O Estado Islâmico lançou um novo vídeo de propaganda, com um jihadista que se supõe ser francês (ou «francês») a enaltecer o feito do muçulmano Omar Mateen, que matou 49 pessoas num bar gay em Orlando, e também Larossi Abballa, o muçulmano «francês» que matou o agente da polícia Jean-Baptiste Salvaing, a sua mulher e o seu filho em Paris. Ao colo do jihadista pode-se ver uma criança.



Por falar no massacre de Orlando, lá na Alemanha os liberais continuam a amuar-se quando lhes dizem que é assim que os verdadeiros muçulmanos tratam os gays. O activista e blogueiro anti-islâmico alemão Michael Stürzenberger, membro do pequeno partido político Die Freiheit (A Liberdade) e conhecido pelos seus discursos públicos sobre o perigo da islamização (ele é um investigador e estudioso do islão), que o diga.


É bom saber que é conversando como gente civilizada que nos entendemos, não é assim, Michael Stürzenberger, ó seu «incendiário»?

Sem comentários: