sábado, 11 de junho de 2016

Começou o Euro 2016!

Começou o Euro 2016, marcado por ameaças terroristas islâmicos (a França está em alerta máximo desde os últimos atentados terroristas islâmicos) e também pelas greves que já duram há semanas por causa da contestação à nova lei laboral (a partir de hoje começa a greve da Air France, a transportadora oficial do Euro 2016). As ruas de Paris estão a abarrotar de lixo e na noite de quinta-feira assistiu-se a confrontos entre adeptos franceses e ingleses na cidade islamizada de Marselha, no sul de França.


Indo ao que interessa, o jogo inaugural foi entre a selecção anfitriã e a Roménia. No Estádio de França, em Paris, a equipa africanizada que deve reflectir fielmente a população gaulesa (ironia) não fez um grande jogo mas conseguiu arrecadar os três pontos depois de, aos 89' e com um empate a uma bola (golos de Girout e de Stancu, de grande penalidade), Dimitri Payet ter feito um golaço. "É muito bom entrar a vencer", afirmou o seleccionador avec, Didier Deschamps.


Portugal entra em acção apenas na terça-feira que vem e o jogo é frente à Islândia. Segue-se, quatro dias depois, o jogo com a Áustria e no dia 22 defronta a Hungria.

10 comentários:

Anónimo disse...

Aquilo não é França é Kalergi. Há 18 anos atrás, no França 98 em que jogavam cerca de 3 negros na equipa principal o Le Pen e muitos nacionalistas gauleses disseram que não se sentiam representados. Imagino o que eles sentem agora por verem cerca de 8 negros na equipe principal e todos os suplentes que entraram também o eram. É ridículo. Imagino também como será daqui a 18 anos...até os treinadores serão negros/mulatos. Vislumbrar alguém branco em toda aquela comitiva vai ser uma miragem. E Portugal pelo mesmo caminho.

Observador disse...

Hoje (domingo) mais desacatos. Desta vez entre apoiantes alemães e ucranianos.
Assim não!

FireHead disse...

Observador,

Pois. Estava tudo muito preocupado com a possibilidade do EI atacar e agora isto. Até parece que é de propósito.

FireHead disse...

Anónimo,

Kalergi é um país? Então porque é que a França continua a chamar-se França e não passou a chamar-se Kalergi, ahhh???

Pois, na altura havia só três pretos e a maralha já não se sentia representada. Claro, para essa maralha sentir-se representada seria preciso que toda a selecção francesa fosse branca, de preferência loira e de olhos azuis, não é assim? A propósito, a França já concedeu a independência às suas províncias ultramarinas ou continua a não querer largá-las?

Pois é, que chatice, como eu te compreendo... só de me lembrar que o Karim Benzema disse que o treinador não o convocou a ele nem ao Ben Harfa por causa da pressão da racista Frente Nacional. Então porque é que o Deschamps foi convocar quantos pretos mesmo... 8 na equipa principal fora os suplentes, dizes tu?

Para gente como tu a França já não se salva. Nem mesmo com a Frente Nacional. Por isso que eu nem sei porque é que vens aqui à net armado em cromo com as tuas choraminguices.

Anónimo disse...

Vou considerar que tiveste um dia mau daí a tua resposta bastante violenta sem razão nenhuma de o ser. Se há alguém que passa a vida a "choramingar" na net essa pessoa és tu. Eu apenas fiz um comentário.

Continuação

FireHead disse...

Tu é que estás a choramingar com o facto de França já ter ido e de Portugal estar a ir pelo mesmo caminho.

Anónimo disse...

Não "choraminguei" fiz um comentário. Se cada vez que não gostamos de algo e falamos dessa situação estivermos a "choramingar" então tu passas a vida a fazê-lo e quase toda a gente do mundo por uma ou outra razão também só choraminga. Se calhar é melhor ser "politicamente correto" e não falar em raças e religiões como a retórica vigente nos "obriga" a fazer. A não falar do concreto, de algo que salta à vista.

De resto, no comentário não te insultei, nem a ti nem a ninguém.

FireHead disse...

Não insultaste ninguém, mas talvez o bom-senso. O facto de para ti os franceses ou os portugueses não poderem ser pretos é um problema teu. Os franceses ou os portugues também podem ser pretos, mas tanto podem ser pretos que até realmente também são pretos, como os que representam a selecção francesa e a portuguesa.

Anónimo disse...

Então faz-me só o favor de dizer em que momento do meu comentário é que eu disse que "os franceses e os portugueses não podem ser pretos" ??? Nem disse neste nem em outros comentários que já fiz no teu espaço. O facto de achar ridículo, perigoso e genocida ver estes 2 países transformarem-se a passos largos em países Africanos tanto a nível desportivo, cultural, demográfico etc significa apensas isso, não significa que eles não podem existir.

Tiraste conclusões precipitadas do meu comentário e ainda por cima falaste do Benzema e do Deschamps etc pessoas de quem eu nem falei. Foi uma resposta totalmente fora do contexto.

Mas pronto deixa lá isso.

FireHead disse...

Olha, sabes porque é que eu por vezes sou assim tão rude com os anónimos? É porque são anónimos, ou seja, não se identificam. Como é que eu ia adivinhar, pelo teor dos teus comentários, que tu não és o direita, por exemplo?

Eu não tenho nada contra a existência de pretos portugueses ou franceses. Ponto. O que eu defendo é que tanto Portugal como a França, por serem países da Europa, deveriam ter uma população maioritariamente branca. Os pretos, os amarelos, os vermelhos, os mestiços, etc. portugueses ou franceses deveriam sempre ser excepções e não a regra. Mas também, e verdade seja dita, mais depressa dou mais valor a um preto português como o Marcelino da Mata ou o naturalizado Francis Obikwelu do que portugueses brancos traidores da Pátria, como por exemplo o Mário Soares ou o José Saramago.