segunda-feira, 23 de maio de 2016

Igreja Ortodoxa Russa declara guerra santa contra o islão

Ainda que seja uma seita pseudo-cristã, a Igreja Ortodoxa no geral partilha muitos pontos em comum com a única e verdadeira Igreja cristã, a Igreja Católica, e é um sonho do Papa Bento XVI e de todos os cristãos de verdade que um dia os ortodoxos voltem para a comunhão com a Santa Sé. No caso, a Igreja Ortodoxa Russa, que muitas das vezes representa a própria Rússia, já deu mostras mais que suficientes acerca do nacionalismo/patriotismo russo e da necessidade de estar contra o islão, tal como a História já por imensas vezes demonstrou. Que pena a verdadeira Igreja, empestada pelos profetizados "lobos disfarçados de cordeiros" a começar pelo supremo pastor que a lidera, não se comportar actualmente como tal...


O mais cómico é haver sempre detractores anticristãos que pegam nos exemplos actuais da Cristandade, como e sobretudo o Papa Francisco, para os usarem como exemplos daquilo que o Cristianismo não é nem nunca foi, optando por se esquecer por burrice ou sacanice dos grandes santos e doutores da Igreja que, durante séculos e séculos, sempre defenderam a verdadeira "sã doutrina da salvação" e que nada têm a ver com o que fazem os "lobos disfarçados de cordeiros". E bem mais cómico que isso é o facto de até agora esses mesmo detractores, com os tais neopagãos na fila da frente, não serem capazes de nos explicar o porquê de a Europa e o Ocidente em geral estarem a ir de mal a pior precisamente com a queda da influência cristã e o ressurgimento do paganismo (que trouxe a recuperação de vícios e hábitos pagãos, como por exemplo o aborto, sem nos esquecermos que o verdadeiro paganismo é completamente universalista, agregador e ecumenicamente macarrónico - então e a Nova Ordem Mundial? E a Nova Era?? O paganismo é uma grande aliada da esquerda!). Não era suposto então as coisas melhorarem agora que o Cristianismo está a perder força? E porque é que os povos mais nacionalistas da Europa são até fortemente cristãos, como por exemplo os polacos, só mesmo para contrariar os que dizem que o Cristianismo é incompatível com o nacionalismo? Porque é que o Viktor Orbán, o Robert Fico, o Donald Trump, entre outros, falam da defesa dos valores cristãos da Europa? E o grande dr. Salazar era o quê, pagão?

42 comentários:

Anónimo disse...

O paganismo já invadiu a igreja católica há muito.

Vic disse...

"Os marxiislamitas são o focinhos do diabo sob formas humanas ambulantes na terra"!
As pestes mortais acima tentam destruir a Igreja católica por meio de seus varios agentes infiltrados nela, a serviço do relativismo protestante e de sua aliada, a maçonaria!
Esses estão sob formas de altos hierárquicos, fazendo parte do pacote de Satã destinado aos seus serviçais nesse mundo!
Obama, PCs, Lula, Kirchner, o burguês F Castro, Maduro etc., da mesma PRAGA DE GAFANHOTOS!....

Anónimo disse...

Porquê seita? Que idiotice.

wind disse...

Boa semana:)

Lura do Grilo disse...

Cristo não disse a Pedro para partir a espada mas sim para a embainhar.

Anónimo disse...

Eu não percebo muito bem como é que o FireHead se considera católico militante e depois falar tão mal do Papa Francisco, apelidando-o de "lobo disfarçado de cordeiro"? Por acaso, um católico não deve amar o seu Papa, independentemente das suas opiniões, ideias e personalidade? Agora, só porque o Papa é a favor do acolhimento de refugiados na Europa (um tema de facto bastante discutível e, claro, opinável), só porque o Papa é a favor de algo que discorda profundamente, então passa a ser um "lobo disfarçado de cordeiro"? Então está a insinuar que o actual Papa é, no fundo, diabólico e agente de Satanás para destruir a Igreja? Ora, não se esqueça que foi o Espírito Santo que escolhe o Papa. Nós agora podemos não compreender as acções deste Papa, tal como existem católicos que não compreendem as acções de anteriores Papas, como a convocação das Cruzadas, a instituição da Inquisição, etc. Mas, o facto de alguns de nós não compreender a totalidade das acções feitas pela totalidade dos Papas não significa que alguns Papas que não compreendemos sejam "lobos disfarçados de cordeiros"... Tenho fé de que o Espírito Santo escolhe sempre aquilo que é o melhor para cada época da Igreja... Foi o Espírito Santo que escolheu o Papa Francisco, tal como foi o Espírito Santo que escolheu todos os anteriores Papas (exceptuando se calhar São Pedro, que foi o próprio Jesus Cristo que o escolheu).

FireHead disse...

«O paganismo já invadiu a igreja católica há muito.»

Sim, depois do fatídico Concílio Vaticano II. Já tinha sido profetizado.

FireHead disse...

Vic,

Sem nos esquecermos que dentro do Vaticano também está a Maçonaria infiltrada. O Concílio Vaticano II abriu uma brecha que permitiu a infiltração e hoje em dia chegámos ao ponto dos verdadeiros conservadores e tradicionalistas serem acusados por causa disso mesmo, de serem retrógrados e fechados às modernices...

FireHead disse...

«Porquê seita? Que idiotice.»

Para quem não percebe nada destas coisas é normal que diga que é uma idiotice. Se procurasses estudar sobre o Ortodoxismo, talvez consigas descobrir que isso tem algo de gnóstico. E agora perguntas-me: o que é que é isso de gnóstico? Ah pois, hora de fazer o trabalho de casa...

FireHead disse...

Wind,

Obrigado e igualmente. :)

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Mas o melhor é que Cristo também disse que quem não crer (nos Evangelhos) será condenado. Ups, lá se foi pelo cano abaixo a ideia muito comum de que Jesus era um fixolas...

FireHead disse...

Anónimo,

Quem te disse que eu me considero um católico militante? Nem católico de verdade eu sou neste preciso momento...

Porque é que eu não posso falar mal do Papa Francisco se eu não gosto dele por causa das palermices que faz e e diz? Onde é que está estipulado que um católico tem de gostar necessariamente do Papa? Sabes que há santos que no passado se opuseram aos Papas e até quem tenha defendido que se algum Papa pregar algum erro que é necessário opor-se a ele?

A Igreja nunca, mas nunca, defendeu que é o Espírito Santo que escolhe o Papa. Estás muito mal informado. O Papa Bento XVI chegou a falar sobre isso, é só procurares por isso na Internet que é para ficares esclarecido. O Espírito Santo guia, mas ainda assim deixa o livre arbítrio das pessoas, no caso os cardeais eleitores, falarem mais alto. Ou achas que é possível que tenha sido o Espírito Santo a escolher o Bórgia??

O que é que há para entender acerca das Cruzadas e da Inquisição? O seguinte: se não fossem as Cruzadas a esta hora tu e todos estariam neste preciso momento a "rezar" cinco vezes com o cu erguido e virados para Meca dizendo que não há outro deus senão Alá nem outro profeta senão Maomé. Em relação à Inquisição, se ela não tivesse surgido, os cátaros que matavam as mulheres por entenderem que elas permitiam a continuação da espécie humana (a Gnose condena a matéria) possivelmente teriam vingado, bem como muitas outras seitas heréticas assassinas.

Pois, podes gostar deste Papa à vontade, que eu vou continuando à espera que o próximo seja muito melhor que ele, pelo menos um pouco mais Papa que o Francisco.

João José Horta Nobre disse...

«Não era suposto então as coisas melhorarem agora que o Cristianismo está a perder força? E porque é que os povos mais nacionalistas da Europa são até fortemente cristãos, como por exemplo os polacos, só mesmo para contrariar os que dizem que o Cristianismo é incompatível com o nacionalismo? Porque é que o Viktor Orbán, o Robert Fico, o Donald Trump, entre outros, falam da defesa dos valores cristãos da Europa? E o grande dr. Salazar era o quê, pagão?»

Já respondi a isso tudo aqui há dias atrás:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/05/a-igreja-abre-o-caminho.html

FireHead disse...

Então e em que parte do texto que você escreveu - e que eu já tinha lido - é que se encontra a resposta à minha pergunta?

Como é que o Cristianismo passou do "ultra-nacionalismo" apesar de ter sido criado pelos judeus (mas com algumas rectificações. Exemplos: poder comer carne de porco, deixar de observar o sábado, etc. etc.) para "lavar cérebros" e para "abrir o caminho", faltando ainda dar cabo do Leste (é preciso explicar por exemplo aos polacos que o Cristianismo é contra o nacionalismo, a começar mesmo pelo presidente e a acabar no partido que está no poder!)? Já agora há que dizer também à Igreja Ortodoxa Russa para não se confundir com a própria identidade russa, que tal, uma vez que o Cristianismo é, dizem, incompatível com o nacionalismo e que a verdadeira identidade, étnica e ancestral, é pagã... mesmo que tenha origem noutras paragens (mas já se sabe, só o que é semita é que não serve...)??

Em que parte é que o seu texto contraria a convicção dos citados líderes que afirmam que é preciso defender os valores cristãos (e não pagãos) da Europa?

Não vi, em parte alguma do seu texto, o porquê dos países mais nacionalistas da Europa serem mais cristãos. Isto é um facto. Ao invés, os países onde o Cristianismo tem menos influência (por ser muito atacado) são onde há tretas como o aborto, a eutanásia, o "casamento gay", etc. (conquistas da esquerda que também são o corolário da liberdade defendida até ao tutano pelo paganismo)... e até mesmo mais acolhimento de "refugiados", mais diversidade cultural, mais imigração...

Se calhar essa malta anda é toda confusa, eles são cristãos só de boca para fora, pois não estão verdadeiramente a ser cristãos coisa nenhuma, pois se estivessem mesmo a ser cristãos já teriam "dado a outra face" ao amado outro (o alógeno), aberto os braços (e também as pernas) e estariam todos a procriar-se que nem coelhos e a fazer filhos mestiços à barda para destruírem a superior civilização ocidental... que afinal foi criada pelos pagãos e se calhar era perfeita... Afinal tantos séculos depois é que o Cristianismo foi descoberto!! E quem o descobriu foram os outros, os não-cristãos! Ao fim de 2000 anos é que o Cristianismo está a levar "o gado" para o seu próprio fim!! Demorou!

Aí já nem falo das Cruzadas (que deve ser a expressão máxima de dar a "outra face"...), porque da Inquisição (idem), já todos sabemos que foi uma "coisa horrenda"... Os cátaros é que sabiam-na toda, deviam ter exterminado todas as mulheres e, quiçá, a esta hora haveria menos maluquinhos no mundo...

Que mania que as pessoas têm de pegar nos exemplos actuais da Igreja apostatada pós-conciliar para generalizar e dizer que estes é que representam verdadeiramente o Cristianismo, como se séculos e séculos de Cristianismo defendido pelos santos e doutores da Igreja não tivessem nunca existido. É preciso mesmo ter imensa lata.

Estranho essas mesmas pessoas, que muito gostam de acusar a Igreja de ter roubado tudo e mais alguma coisa dos pagãos (até mesmo coisas que não foram de facto inventadas pelos pagãos...), não dizerem nada da nobre virtude pagã que é a hospitalidade para com os estranhos...

Escusado seria falar também da Nova Ordem Mundial (a Maçonaria é pagã, a não ser que Hórus, "Jabulom", a simbologia do sol ou os rituais iniciáticos não tenham nada a ver com o paganismo), a Nova Era ou o facto de lá em Stonehenge se celebrar o solstício, algo completamente pagão, agora também costumar contar com a presença da malta do Hare Krishna, dos africanos animistas (bantus?), etc...

Mas ah, os romanos pagãos não eram tão atrasados assim... O curioso é que eles próprios consideravam outros pagãos atrasados, ou "bárbaros", portanto mesmo entre os pagãos, que são inferiores, também têm uma espécie de estratificação... E foram os bárbaros que infiltraram-se no Império Romano, que durou "12 séculos e deixou coisas ainda hoje visíveis"...

Também não responde ao facto do dr. Salazar ser católico...

João José Horta Nobre disse...

A única coisa que é essencial perceber é que o Cristianismo teve origem judaica, uma origem que eu até nem acho que tenha sido má intencionada. Posteriormente foi utilizado pelas elites, de forma a controlar a população, teve o período medieval e moderno, em que assumiu uma faceta mais nacionalista, mas a partir do século XX o Cristianismo começou a assumir gradualmente uma posição cada vez mais internacionalista e pró-fronteiras abertas. É mais do que claro que a Igreja Católica já está totalmente sob o controlo da Superclasse Mundialista e é mais um instrumento de manipulação das mentes, utilizado por esta.

FireHead disse...

E qual é o problema de origem judaica? Sinceramente, antes origem judaica que origem pagã, seja de África ou da América...

Isto quer dizer que a Polónia está a ser nacionalista devido à Igreja Católica? Significa, baseado na sua convicção, que mais tarde essa mesma Igreja Católica na Polónia vai começar a obrigá-los a ser a favor do acolhimento de "refugiados" e também a dar a outra face ao alógeno?

O que é mesmo essencial perceber é que é um facto que os países mais apostatados são precisamente os países que mais depressa estão a caminhar para a ruína. Países onde a esmagadora maioria da população é apenas nominalmente cristã e pouco ou nada praticante são os países mais frágeis, pois reina mais e melhor o relativismo. A partir do momento em que os europeus se esquecem da sua identidade cristã e permitem o relativismo, acabam por aceitar tudo e mais alguma coisa. O Sr. Hamsun escreveu algo bastante interessante e acertado sobre isso. Já o Papa Bento XVI também tinha criticado a ditadura do relativismo, um dos grandes cavalos de batalha do seu pontificado.

A Igreja controlada é a Igreja apostatada, dos profetizados "lobos disfarçados de cordeiros". Agora pegar nesses "lobos disfarçados de cordeiros" e generalizar dizendo que eles são cristãos ou que representam verdadeiramente a Cristandade é ignorância pura, se não mesmo má fé.

E não sei que parte é que é essa da Igreja estar a ser controlada pelas elites. Com que então essas coisas pagãs como a aprovação do "casamento gay" ou da liberalização do aborto também são exemplos do controlo da Igreja? Acho isso um pouco descabido. A Igreja não está a ser controlada pelas elites; a Igreja apostatada está é de livre e espontânea vontade alinhada com elas, o que é diferente. E os verdadeiros cristãos como a generalidade dos polacos ou de pessoas que ainda sabem pensar como eu são os primeiros a reconhecer que isso não é Cristianismo de verdade porque não era nem nunca foi assim durante séculos.

Da mesma forma posso acusar o paganismo de também ser universalista... ou é mentira? Acha que existe essa coisa do paganismo étnico e nacionalista??? Tenho dúvidas que mesmo os odinistas o sejam. Os invasores actuais (muçulmanos) não são tão diferentes dos invasores bárbaros... que deram origem ao que deram.

Ivan Baptista disse...


Isto pode não ter nada haver com o assunto, mas vê só como a subversão também atinge os valores religiosos : O


- https://www.youtube.com/watch?v=W-SpnfGQTS4

e

- https://www.youtube.com/watch?v=iK4kZSU-5Cg


Bon appetit

Anónimo disse...

Uma pessoa pode não gostar da personalidade, das opiniões ou ideias do Papa, mas deve amar o Papa enquanto Vigário de Cristo na Terra - acho que isso faz parte da tradição católica. Claro que existiu ao longo da História inúmeros santos que criticaram e fizeram oposição a Papas, mas não quer dizer que eles não amassem o Papa. Um exemplo disso é Santa Catarina de Sena, que por amor ao Papa e à Igreja unida ao Papa, teve a coragem e a força de vontade de enfrentar o Papa, fazendo-lhe uma valente correcção fraterna, mudando assim a História da Igreja (Cisma de Avignon). Fazer uma correcção fraterna é também sinal de amor.
Agora, discordar das opiniões e ideias do Papa não é o mesmo do que insultar o Papa, chamando-lhe nomes do tipo "lobo disfarçado de cordeiro". A correcção fraterna deve ser feita de forma cortês e civilizada, e não com insultos, mesmo que reconheça que em parte tem alguma razão naquilo que diz discordar em relação a este Papa...
Bem sei os benefícios das Cruzadas e da Inquisição. Mas isto não quer dizer que todos os católicos compreendam... Assim como há católicos devotos que não compreendem as Cruzadas ou a Inquisição, mas aceitam-na como algo que Deus permitiu ou até escolheu, assim também se calhar o FireHead não compreende bem o impacto a longo prazo da acção deste Papa - apenas mais tarde, se calhar séculos mais tarde iremos compreender o que Deus quis fazer ao permitir (ou escolher) que o Bergoglio se torne Papa neste preciso momento histórico. Até pode ser que o impacto a longo prazo seja positivo (ou não)... Ou o FireHead é detentor e conhecedor de toda a verdade, conseguindo prever infalivelmente o futuro?
Claro que pode esperar por um Papa melhor, mas é este o Papa que nós temos... Tal como gosto do Papa Bento XVI, assim também tento gostar deste Papa... Uma pessoa também tem que ver os aspectos positivos e qualidades, e não apenas os defeitos...
Amar não significa concordar em tudo, claro que pode discordar à vontade com as opiniões e ideias deste Papa, mas agora não acho que seja amor chamar nomes algo insultuosos... Se calhar fazia-lhe bem rezar todos os dias por este Papa, pedindo que Deus o guie...

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Já tinha chegado a falar desse sujeito aqui no blogue. :)

FireHead disse...

Anónimo,

Acima do amor ao Papa tem que estar o amor a Cristo e à Sua Igreja. Afinal de contas, o Papa, mesmo que seja o vigário de Cristo na Terra, é um homem, logo é pecador como qualquer um de nós, mas a Igreja e Cristo são divinos.

Se dizer a verdade é sinónimo de insultar então é sinal de que a verdade realmente magoa. E depois, o que é que se deve fazer? Ocultar a verdade que é para não fazer doer? Eu sou pela verdade. Não sou como o Pilatos, que era relativista, perguntando a Cristo pela verdade e no entanto não estar minimamente interessado em saber da verdade para nada. O Papa Francisco é um mau Papa. Acho até que é um Anti-Papa. Ele já deu provas mais que suficientes de que não sabe o que é que é ser um Papa. E depois? Não houve Papas piores que ele? Houve. E a Igreja Católica continuou e continua a existir. Porque as portas do Inferno jamais prevalecerão contra ela.

Não consigo prever o futuro. Mas sei das profecias, como as da Nossa Senhora, que nos esclarecem que de facto ia haver uma grande apostasia dentro da própria Igreja, entre os membros da Igreja. Disse Nossa Senhora de La Salette que os padres tornaram-se cloacas de impureza e que ofenderiam a Cristo, crucificando-O novamente. A própria Bíblia também fala da apostasia entre os cristãos. É necessário que tudo isso aconteça, mas ainda não é o fim.

Podes gostar deste Papa o quanto tu quiseres. É claro que ele também tem qualidades, como por exemplo ser a favor da vida ou da família. Mas também mal era se ele não o fosse... significa que a Igreja Católica poderia estar já mesmo perto do fim... dos tempos. Agora vir com tretas como ser contra os muros e viver no Vaticano rodeado de muros e pouco ou nada fazer em relação aos cristãos que sofrem no mundo islâmico, gozando com a nossa cara ao aceitar refugiados muçulmanos quando deveria era receber refugiados cristãos, um gesto claro de que não se preocupa em defender o Cristianismo, e preferindo dar a outra face a quem quer fazer mal, não são coisas de um Papa, muito menos de um cristão.

Sim, há que rezar por este Papa, que ele bem precisa... precisa de aprender o que é que é ser Papa e o que é que é o Cristianismo.

Anónimo disse...

Bom, lamento em parte discordar consigo, porque dizer a verdade não é sinónimo de insultar. Há várias formas de dizer a verdade, e dizer a verdade recorrendo a insultos e expressões de ataque pessoal pode constituir uma falta à caridade. Ora, para além do dever de dizer a verdade, também temos o dever da caridade. Afinal de contas, a caridade não é apenas algo "extra" que os católicos devem fazer ou praticar, é a mais importante das virtudes teologais - ou seja, está no topo da hierarquia das virtudes. Concordo consigo quando afirma que devemos ser pela verdade. Eu também sou pela verdade. Mas agora existe várias formas de dizer a verdade. E dizer a verdade com caridade é muito melhor e muito mais cristã do que dizer a verdade sem caridade. E a caridade é, no fundo, o que nos distingue dos homens virtuosos que são pagãos ou ateus: «Nisto conhecerão todos que sois os meus discípulos: se vos amardes uns aos outros» (Jo 13,35).
E a tradição católica, sobretudo dos últimos dois séculos, incentivou activamente o amor ao Papa. E deve-se entender o amor ao Papa não como um culto de personalidade, mas sim o amor ao Papa é apenas uma expressão do amor à Igreja (como duas faces da mesma moeda), porque a Igreja sem Papa não é Igreja... o Papa é o "princípio perpétuo e visível, e fundamento da unidade que liga, entre si, tanto os bispos como a multidão dos fiéis" (número 882 do Catecismo da Igreja Católica). E isso aplica-se a todos os Papas, mesmo àqueles que não gostamos ou até àqueles que são moralmente corruptos (ex: Bórgia). O Papa é pecador sim, tal como todos nós, mas isso de nada deve diminuir o nosso amor a ele... Afinal de contas, também Deus amou-nos de forma louca, apesar de sermos todos pecadores... O facto de ser pecador ou de ser mais ou menos "palerma" (segundo o FireHead) não deve ser critério do merecimento do nosso amor... O Papa Francisco é humano, mas o ministério e autoridade do Papa, que agora estão associados à pessoa de Bergoglio e que devemos respeitar com amor, são de instituição divina. Aliás, ensina o Concílio Vaticano I, na Constituição Pastor Aeternus: o "poder de jurisdição do Romano Pontífice, que é verdadeiramente episcopal, é imediato; e a ela estão obrigados, por dever de subordinação hierárquica e de verdadeira obediência, os pastores e os fiéis de qualquer rito e dignidade, tanto cada um em particular, como todos em conjunto, não só nas coisas referentes à fé e aos costumes, mas também nas que se referem à disciplina e ao regime da Igreja espalhada por todo o orbe; de tal forma que, guardada a unidade de comunhão e de fé com o Romano Pontífice, a Igreja de Cristo seja um só rebanho sob um só pastor supremo [cf. Jo 10,16]. Esta é a doutrina da verdade católica, da qual ninguém pode se desviar, sem perda da fé e da salvação." Ora, a não ser que esteja muito errado na interpretação da tradição católica, é nosso dever de manter esta unidade de comunhão e de fé com o Papa, mesmo que discordemos com as ideias e opiniões dele... E comunhão implica amor, na tradição católica...

Anónimo disse...

E, mais uma vez, se calhar o FireHead não tomou suficiente atenção às mensagens do Angelus e das audiências gerais do Papa, que por várias vezes lamentou e condenou a perseguição dos cristãos no Médio Oriente e em todo o mundo... Mas claro, estas mensagens raramente passam na TV ou nos mass media... Assim como quando o Papa atribuiu a destruição da família como obra do Diabo - acho que poucos jornais ou televisões noticiaram isso...
E esta história de condenar a construção de muros enquanto que o Vaticano é rodeado de muros padece de sérios erros de anacronismo histórico - os muros do Vaticano foram erigidos para se defender dos exércitos islâmicos/turcos, que saquearam Roma, enquanto que os muros que o Papa Francisco refere são muros para impedir a imigração ilegal - ora, podemos concordar ou não com essa ideia opinável do Papa, mas agora acho um acto de má-fé comparar um muro renascentista, construído para defender invasões de exércitos (com armas), com um muro moderno construído para conter a imigração ilegal. Podemos não concordar com a imigração ilegal (e não concordo), mas agora comparar e/ou igualar a imigração ilegal (que o FireHead e outros apelidam de "invasão") com a invasão de exércitos armados, em contexto de guerra, é no mínimo um exercício de re-interpretação forçada de conceitos.
Em relação à apostasia, houve épocas na história da Igreja em que a apostasia foi muito maior do que nos dias de hoje, até houve cismas e heresias que acabaram por dividir a Igreja até aos dias de hoje, por isso essa história de que estamos mais próximos do fim não me convence muito... Até porque nós estamos próximos do fim desde a destruição do Templo de Jerusalém, no século I d.C., profetizado por Jesus Cristo, que anunciou que a destruição do Templo seria um sinal do princípio do fim... E estamos nesta do fim dos tempos há quase dois mil anos... Ou seja, toda a história da Igreja se desenrola no que designamos como o “fim dos tempos”. Se em épocas mais recuadas da nossa História a Igreja se recuperou de todo o tipo de apostasias e heresias, porque não poderá recuperar-se desta? De facto, é necessário que tudo isso aconteça, que haja apostasias, heresias, cismas, falsos profetas, guerras, etc. (tal como mencionado na Bíblia), e, de facto, tudo isso aconteceu inúmeras vezes ao longo da História da Igreja... E em inúmeras vezes, contrariando os profetas da desgraça que anunciavam de que “o fim está próximo”e de “que isto está tão mal que estamos a aproximarmo-nos do fim”, contrariando esta gente, a Igreja renovou-se sempre, ganhando novo fôlego para cumprir o mandato de Cristo de evangelizar todos os povos...

Anónimo disse...

Oh Firehead deixa lá de pensar que és a única pessoa à face da Terra que percebe de Teologia.

O mais engraçado de tudo isto é tu achares que sabes a verdade absoluta e acusares os religiões de serem gnósticas e de a Igreja Católica Romana ser a verdadeira portadora da verdade e todas as outras igrejas estarem abaixo da Igreja Romana.

João José Horta Nobre disse...

«Da mesma forma posso acusar o paganismo de também ser universalista... ou é mentira? Acha que existe essa coisa do paganismo étnico e nacionalista??? Tenho dúvidas que mesmo os odinistas o sejam. Os invasores actuais (muçulmanos) não são tão diferentes dos invasores bárbaros... que deram origem ao que deram.»

O mais engraçado no meio disto tudo é que eu nunca escrevi em sítio nenhum que era pagão ou neopagão. O pessoal é que começou a deduzir isso por eu ter escrito umas coisas positivas sobre a tradição religiosa pagã. Mas para que fique esclarecido de uma vez por todas, sou agnóstico, não sou pagão, nem neopagão.

Posso explicar porque sou agnóstico se o FireHead desejar, mas isso é uma longa conversa...

FireHead disse...

Anónimo das 02:30,

Bom, até ver, este Papa está a ser um enorme falhado. Também posso dar-lhe o benefício da dúvida no que diz respeito à filtagrem que os média convenientemente lhe fazem que é para ele não chocar os seus amantes. No entanto, digo-te uma coisa: é bom que este Papa continue assim, ou seja, na sua condição de ser humano e que nunca se atreva a recorrer à infabilidade que lhe assiste enquanto Papa. Porque aí, se por algum acaso chegar a proclamar algum dogma errado, a Igreja sofre um verdadeiro rombo nunca dantes visto.

De resto, estamos a discutir opiniões e não passa daí. Não vou mudar a minha maneira de ver o Papa tal como tu. Para mim ele é parvo, do mesmo modo que há muitos parvos por aí que fazem muitas outras coisas com as quais eu não concordo. Também me chamam parvo por ser como eu sou. Insulto? Sim, é. Mas então para que é que servem os nomes feios se eles não servirem para ser aplicados?

Portanto, voltamos ao mesmo: gostas do Papa, ama-lo, faz como tu quiseres. Eu é que não faço nada disso, o que não quer dizer que eu não o reconheça como Papa, pois não sou sedevacantista... que para mim é uma parvoíce, ou seja, os sedevacantistas também são parvos.

Abraço.

FireHead disse...

Anónimo das 06:00,

O que a tua mente não consegue encaixar é que alguém que é verdadeiramente católico, isto é, crê absolutamente na Igreja Católica, não tem outra alternativa senão acreditar que a Igreja Católica é a verdade absoluta, pois ela foi fundada por Cristo, que é Deus, e que disse que é o caminho, a vida e verdade. A partir do momento em que eu deixar de acreditar que a Igreja Católica é a verdadeira religião e que as outras 'religiões' também são válidas estarei a ser relativista. Portanto sim, todas as outras 'religiões', que na verdade são seitas mesmo, estão abaixo da Igreja Católica. Ou melhor, nem têm sequer comparação com a verdadeira religião.

FireHead disse...

João José Horta Nobre,

Você é agnóstico? Olhe que ninguém diria... mas até faz sentido, pois os agnósticos em regra também são profundamente anticristãos. Ainda assim, para quem afirma que as verdadeiras raízes da Europa são pagãs e não partilhar dessas raízes por ser agnóstico não deixa de ser uma espécie de dilema.

CENSURADO AGAIN disse...

KK COITADOS JA PERDERAM

CENSURADO AGAIN disse...

Anónimo Anónimo disse...
O paganismo já invadiu a igreja católica há muito.

23 de maio de 2016 às 18:18

NA VERDADE ELA JA COMEÇOU PAGÃ MARIA É CULTO PAGÃO VERDADEIROS MONOTEISTAS NÃO IDOLATRAM MÃES CARNAIS DE PROFETAS VEJA QUE NINGUEM SABE NEM QUEM É A MÃE DE MOHAMED E ATE A REPRESENTAÇÃO DELE É PROIBIDA POIS SERIA IDOLATRIA CONTRA ALLAH

FireHead disse...

CENSURADO AGAIN,

«KK COITADOS JA PERDERAM»

Isso de derrotismos é mais contigo, pá. Não és tu que foste contar ao Afonso de Portugal que já está tudo perdido mesmo, e que não vale a pena lutar pelo que quer que seja?? A Nostrátia já era, pá! Hahaha. XD

«NA VERDADE ELA JA COMEÇOU PAGÃ MARIA É CULTO PAGÃO VERDADEIROS MONOTEISTAS NÃO IDOLATRAM MÃES CARNAIS DE PROFETAS VEJA QUE NINGUEM SABE NEM QUEM É A MÃE DE MOHAMED E ATE A REPRESENTAÇÃO DELE É PROIBIDA POIS SERIA IDOLATRIA CONTRA ALLAH»

Na verdade tu és um burro de merda que não percebe nada de nada. Desde quando é que os católicos IDOLATRAM Maria, sua besta?? E o que é as representações têm a ver com a idolatria, pá?? Cá para mim tu só não és católico porque és um grandecíssimo burro.

João José Horta Nobre disse...

«Você é agnóstico? Olhe que ninguém diria... mas até faz sentido, pois os agnósticos em regra também são profundamente anticristãos.»

Sim, sou agnóstico, mas raramente falo disso. Não sou anticristão no sentido de querer ilegalizar o Cristianismo. Rejeito é o Cristianismo como religião para mim, mas quem quem quiser ser cristão, que o seja!

«Ainda assim, para quem afirma que as verdadeiras raízes da Europa são pagãs e não partilhar dessas raízes por ser agnóstico não deixa de ser uma espécie de dilema.»

Quando eu falo em raizes, refiro-me no sentido tradicionalista e histórico apenas. Ninguém hoje acredita seriamente em "Deuses", lol. Tratam-se apenas de figuras tradicionais e históricas do ponto de vista histórico-religioso.

Anónimo disse...

Enfim, um prazer mais uma vez em discutir consigo, pá!
Agora, já sei que é difícil mudar a sua opinião acerca do Papa Francisco. Mas, também não devemos esquecer que somos irmãos na fé em união uns com os outros e com o Papa, que actualmente é o Papa Francisco. E amar o Papa não significa que temos que concordar com tudo aquilo que ele diz, aliás, podemos discordar de tudo aquilo que ele diz e continuar a amá-lo. Até porque, se amamos apenas as pessoas que nós gostamos e que partilham das nossas opiniões, isto até os pagãos fazem... Agora, amar aqueles que não gostamos, aí sim, é que é obra de um verdadeiro cristão. E Jesus até ensinou algo mais radical ainda: "Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos? Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos? Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito." (Mt 5, 46-48).
Por isso, o não gostar as ideias ou a personalidade do Papa não deve ser para nós um impedimento do amor que todos os católicos devem ter ao Romano Pontífice, enquanto fundamento visível da unidade da Igreja.
Pode à vontade discordar das opiniões dele, mas deve-se lembrar que a fidelidade ao Papa não é apenas obedecer ao Papa quando ele fala ex-cathedra. Isto apenas é o mínimo. Agora não estamos na Igreja Católica apenas para cumprir mínimos... Os santos nunca cumpriram apenas os mínimos, eles foram sempre mais longe...
E quando o Papa fala ex-cathedra, devemos ter a certeza, derivada da nossa fé, de que o Espírito Santo assiste o Papa de forma infalível. E infalível significa infalível em todas as ocasiões em que isso aconteça, incluindo com o Papa Francisco, caso ele queira utilizar este seu direito e dever pontifício. É preciso ter fé, FireHead! Afinal de contas, somos ou não somos católicos?

FireHead disse...

João José Horta Nobre,

Sim, você rejeita o Cristianismo como religião para si, então não se vê? ;)

Ainda que ninguém hoje acredite mesmo em "deuses", como você diz e eu duvido, pois não faltam exemplos de pessoas que acreditam mesmo nessas tretas, é inegável que você até gosta dessas coisas da "vingança dos deuses", das crianças a reproduzirem cerimónias folclóricas na Europa, etc. Mas já fiquei esclarecido com a sua resposta. Afinal é tudo visto do ponto de vista histórico-religioso. :)

FireHead disse...

Anónimo,

Pois, felizmente o Espírito Santo não vai fazer com que este Papa fale ex-Cathedra. :P

Tu és católico. Neste momento eu não sou. Porque se é para ser católico tem que sê-lo a 100%. Com isto estou a rejeitar coisas como a treta do ser "católico não praticante".

CENSURADO AGAIN disse...

Isso de derrotismos é mais contigo, pá. Não és tu que foste contar ao Afonso de Portugal que já está tudo perdido mesmo, e que não vale a pena lutar pelo que quer que seja?? A Nostrátia já era, pá! Hahaha. XD

A BIPEDIA JA ERA SÓ NÃO ENTREGUEI OS PONTOS AINDA POR QUE APOSENTADORIA TEM AINDA MENOS GRAÇA QUE ESSE LIXO TODO ARRUINADO E A LUTA MESMO QUE JA PERDIDA

CENSURADO AGAIN disse...

derrotismos

REALISMO TU QUE ÉS UM TOLO

CENSURADO AGAIN disse...

Na verdade tu és um burro de merda que não percebe nada de nada. Desde quando é que os católicos IDOLATRAM Maria, sua besta?? E o que é as representações têm a ver com a idolatria, pá?? Cá para mim tu só não és católico porque és um grandecíssimo burro.

25 de maio de 2016 às 18:45

AVE MARIA CHEIA DE GRAÇA DEVIA SE ORAR AO DEUS NÃO A ELA NEM AO PROFETA ISSO É TOTAL NON SENSE IDOLATRAR SANTOS E ICONES COMO SE FOSSEM DEUSES FAIL

FireHead disse...

«A BIPEDIA JA ERA SÓ NÃO ENTREGUEI OS PONTOS AINDA POR QUE APOSENTADORIA TEM AINDA MENOS GRAÇA QUE ESSE LIXO TODO ARRUINADO E A LUTA MESMO QUE JA PERDIDA»

Ainda não entregaste os pontos? Então estás à espera de quê? Devias já tê-lo feito e desistido duma vez por todas de azucrinar o juízo aos que não querem pensar como tu, seu derrotista decadente!

«REALISMO TU QUE ÉS UM TOLO»

Eu estou-me a cagar para o teu realismo. Tu é que estás no Merdil, não eu.

«AVE MARIA CHEIA DE GRAÇA»

Isso é o que o anjo disse na Bíblia a ela. O anjo estaria a idolatrá-la, seu anormal?

«DEVIA SE ORAR AO DEUS NÃO A ELA NEM AO PROFETA ISSO É TOTAL NON SENSE»

"Non sense" são os idiotas como tu que não percebem nada da intercessão. Se próprio Deus quer que as pessoas recorram aos intercessores, o que é que tu podes fazer, ó otário (parafraseando o Pe. Paulo Ricardo)? XD

«IDOLATRAR SANTOS E ICONES COMO SE FOSSEM DEUSES FAIL»

Pois, isso não é coisa que os católicos fazem e se tu achas que os católicos fazem isso então tu é que és um verdadeiro falhado, LOLOLOL!!

Anónimo disse...

Bom, também não sou católico a "100%". Não percebo o que quer dizer com o "100%".
Vá lá, sou um católico que cumpre os mínimos e tenta fazer algo mais do que os mínimos. Isso não faz de mim um católico a "100%". Faz de mim apenas um católico que tenta todos os dias viver a fé e que peca todos os dias por não viver plenamente a minha fé em Jesus Cristo. Um católico que depois de pecar, tenta arrepender-se dos seus pecados e ter a humildade de recomeçar a caminhada em direcção a Deus, pedindo-lhe perdão, sempre com a consciência de que somos filhos de Deus, que é infinitamente misericordioso.
Mais importante do que as opiniões deste ou daquele Papa, mais importante do que as nossas convicções e ideologias políticas, o mais importante é a salvação das nossas almas!
A fé é que é o nosso maior tesouro, e não as nossas ideias ou opiniões ou pontos de vista! Por isso, tende fé, e não desista de ser católico, só porque este ou aquele Papa não lhe agrade, só porque vê muita apostasia dentro da Igreja, só porque vê muitos padres e bispos e leigos que não estão à altura de se chamarem católicos, só porque vê muito mal dentro e fora da Igreja!
E, no fundo, não quero julgar ninguém ou adivinhar os seus pensamentos, mas, no fundo, acho que o FireHead ainda acredita que é católico! Até porque seria uma pena se não fosse!

FireHead disse...

Eu quando digo que não sou católico estou a querer dizer tão simplesmente que neste momento não pratico a fé católica. Isto não é o mesmo que dizer que eu não acredito na Igreja Católica e que ela é a Verdade. Acredito na Igreja e defendo-a sempre que necessário, mas agora não estou a ser católico por uma questão pessoal, depois de ter sido assim como tu, ou seja, cumprindo com os mínimos. Não tem nada a ver com este Papa, não seria nunca ele que me faria deixar de ser católico como já cheguei a deixar de ser (efectivamente, embora inconscientemente) no passado quando cheguei a ser agnóstico e também gnóstico. Digo que neste momento não sou católico, ou não tenho estatuto de católico, porque para mim não existem meios termos nestas coisas. Alguém que me diz que é "católico não praticante" para mim não é nada porque um católico de verdade é uma pessoa que pratica a fé católica. Fiz-me entender?

Já dizia um padre qualquer que por vezes é necessário chatear-se com Deus. Mas isso só prova uma coisa: que Deus de facto existe, caso contrário não poderíamos estar chateados com Ele.

Abraço.

Anónimo disse...

Pois é, por vezes chateamo-nos com Deus... Sim, entendi mais ou menos a sua situação.
Mas, nunca se esqueça daquela famosa parábola do filho pródigo. Essa parábola aplica-se a todos nós - Deus é infinitamente misericordioso e paciente, Ele estará sempre à sua espera, à espera que você entre novamente em comunhão com Ele, através da oração e dos sacramentos (i.e. Reconciliação e Comunhão).
Os nossos pecados de facto pesam e amolece-nos, por isso, tento recorrer-me ao Sacramento da Reconciliação pelo menos uma vez por mês, para receber de novo o perdão de Deus e graças divinas para continuar a lutar e a caminhar em direcção à "porta estreita".
E espero bem que o seu período de "chatear-se com Deus" termine o mais rápido possível! Porque é muito bom fazer render a fé que Deus nos deu! Quando me lembrar, irei rezar por si!

Um abraço!

FireHead disse...

Infelizmente esse período já dura há um longo tempo. É a fase, com certeza. Já tive muitas outras. Pelo menos agora é de plena consciência. E sim, uma vez voltei para a Casa do Pai como filho pródigo. Pode ser que um dia volte a voltar, passe a redundância. :)

Um abraço e obrigado.