quarta-feira, 6 de abril de 2016

«Uma pessoa não nascida não tem direitos constitucionais»


O direito à vida, consagrado na Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas no seu artigo 3.º, é uma coisa que não assiste à Hillary Clinton, a candidata democrata à presidência norte-americana. Para ela, uma pessoa que ainda não nasceu não tem direitos constitucionais. Reparai que, para os abortistas, um bebé que está na barriga da mãe pode ser abortado porque não se trata de uma "pessoa", mas sim de um "feto".
É agora que me vão dizer que esta merda de gente é melhor que o Donald Trump??

26 comentários:

CENSURADO AGAIN disse...

NA VERDADE NÃO NASCEU MAS JA É UMA ENTIDADE GENOMICA DIFERENTE DOS PAIS COMO RECOMBINAÇÃO AUTOSSOMICA LOGO TEM DIREITOS COMO SER GENOMICO E DE DNA HUMANOIDE - O CASO MARSUPIAL PROVA QUE EM ESTAGIOS TIDOS COMO PRIMITIVOS DO DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO JA HÁ MUITA COMPLEXIDADE SÓ NÃO ESTÁ ACABADO O VASO MAS AS PARTES BASICAS PARECEM JA EXISTIR ORA SE AS PARTES BASICAS DE NADA VALEM LOGO VÃO MATAR OS JA NASCIDOS EM ESTADO VEGETATIVO TAMBEM?

CENSURADO AGAIN disse...

SABEMOS QUE ELES NÃO BUSCAM O BEM DE NINGUEM E SIM COMERCIO VEJA COMO INCENTIVAM A INDUSTRIA DA DISGENIA POR OUTRO LADO BEBES JOGADOS FORA TAMBEM NÃO DÁ OS CONTRACEPTIVOS DEVERIAM SER USADOS PARA EVITAR ZIGOTOS OU QUE OS ZIGOTOS CHEGASSEM AO ESTAGIO DE EMBRIÃO E DAI PRA FETO ETC MAS SABEMOS QUE MUITAS PARECE QUE TEM O PRAZER DE DEIXAR NASCER PRA JOGAR FORA

CENSURADO AGAIN disse...

OU ENTÃO DEIXAR O ZIGOTO SE FORMAR E O EMBRIÃO SE DESENVOLVER OU FETO ETC PRA MATAR ELE SÃO PSICOPATAS TIPICO DESSE GENERO

wind disse...

Quer queiras, quer não na prática é verdade.

FireHead disse...

CENSURADO AGAIN,

Parabéns! O que foi que tu acrescentaste com isto?

FireHead disse...

Wind,

Pois, pois, e na prática viemos todos assim, da mesma maneira. Não éramos ninguém e só passámos a ser alguém depois de termos nascido, é? Antes disso não havia vida, zero, nada?

Digam o que disserem, o aborto é um homicídio. Ainda por cima do mais reles, por pelo menos duas razões: é a mulher que termina com a vida do seu próprio filho ou da sua própria filha (partido, claro, do princípio que é por livre iniciativa dela, em nome do seu "direito" de decidir o que fazer com o seu corpo [menos assumir a responsabilidade dos seus actos]) e é uma cobardia porque é contra um ser indefeso.

Não querem filhos, precavinem-se. Hoje em dia só engravida a mulher que quiser. Ou, para sermos mais simplistas e mais precisos, se não querem filhos não pratiquem sexo... existe melhor método anticoncepcional que a abstinência?

Outra das coisas que mais me impressiona, e eu já disse-o várias vezes aqui, é a diferença de tratamento numa situação em que uma mulher faz um aborto e nuam situação em que a mulher não abortou, pariu e abandona o seu bebé, maltrata-o ou mata-o. Ah, a Hillary Clinton explica: se a mulher abortou, o bebé abortado não era ninguém, logo não houve crime nenhum. Se o bebé já nasceu, e não importa se ele era ou não previamente desejado ou se a mulher não conseguiu em tempo útil fazer um aborto, e foi abandonado à morte ou sujeito a maltratos, aí sim já é crime. Falemos de coerências...

E a hipocrisia máxima: quem hoje defende o aborto não foi abortado.

Diana Fonseca disse...

Então para ela um aborto não é um bebé morto. Não entendo.

FireHead disse...

Diana Fonseca,

Não, para a Hillary de certeza que um aborto não é nada, até porque um bebé que ainda não nasceu não é gente. Se fosse gente já seria abarcada pelos Direitos Humanos, como não é, porque é uma pessoa não nascida, não há nada disso: os Direitos Humanos que contam são os da mulher que aborta.

Ivan Baptista disse...

E então em caso de violação ?

Adilson disse...

Bom dia, meu nobre!

Só quero dizer: só mesmo um poder acima da sociedade para permitir que uma depravada e mentirosa como essa Hilary pode garantir que ela ainda seja considerada uma estadista comprometida como o povo americano. Essa louca já deveria ter sido chutada da vida pública, presa e condenada a prisão perpétua.

abraço.

Teresa Isabel Silva disse...

Cada um deles é pior que outro. A verdade é que cada pessoa tem as suas ideias e é impossível agradar a todos...

Bjxxx

Diana Fonseca disse...

Mon Dieu, fico perdidinha nos pensamentos de gente assim...

Se quiseres participar na rubrica de músicas de infância, envia o nome e o cantor da tua música preferida que cantavas na tua infância.

Lura do Grilo disse...

Eu conheci uma mulher que foi a um jardim zoológico e deu à luz um panda! Joke!

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Antes de nos pronunciarmos sobre o que fazer com uma gravidez que é fruto de uma violação vale a pena dizermos que tanto o aborto como a violação são coisas indesejáveis.

E depois temos casos como este: http://bloguedofirehead.blogspot.com/2015/05/fui-concebida-por-violacao.html

Diz-me lá que culpa é que tem uma pessoa que é fruto de uma violação? Será que os pró-vida deveriam abrir uma excepção aí? Eu sei que isto é um dilema, mas um aborto é sempre um aborto.

FireHead disse...

Adilson,

O exemplo que ela dá é que mesmo as mulheres encornadas pelos seus maridos podem singrar na vida! Onde é que anda a Monica Lewinski? Espero que não tenha sido irradiada...

FireHead disse...

Teresa Isabel Silva,

Mas é pelas ideias que cada um tem, o que faz com que lhe seja impossível agradar a todos, que faz com que um seja pior que o outro? :O

Beijinhos.

FireHead disse...

Diana Fonseca,

Eu já passo lá pela tua "barraca". :)

FireHead disse...

Lura do Grilo,

E não é que, à luz dos conceitos de muita gente de argumentação brilhante, a vida de um panda, por ser um animal em vias de extinção, é mais valiosa que a vida de um ser humano, que é descartável porque as mulheres têm o direito de decidir o que fazer com o seu próprio corpo? Imaginenos só como seriam as coisas se as pandas fêmeas também se achassem no direito de ter o direito, passe a redundância, sobre o seu próprio corpo!!

wind disse...

Calma aí!
Já te disse e conheces as situações em que aceito um aborto. Como sabes não é qualquer uma!
Para explicar o que disse: Como está na barriga da mãe, não tem documentos, não tem nada, daí não ter direitos!
Epá contigo tenho de explicar tudo, tim tim pot tim tim, caramba!:))))

Ivan Baptista disse...

" http://bloguedofirehead.blogspot.com/2015/05/fui-concebida-por-violacao.html "


Tou sem palavras !!! :0

Afonso de Portugal disse...

Se for eleita, a bruxa Hilária vai enterrar a América e a Europa de vez! Os fundamentalistas islâmicos já esfregam as mãos de contentes ao verificarem que vão ter uma aliada ainda mais radical do que o mulato que adora a Turquia!

FireHead disse...

Wind,

Lol, nem me tinha apercebido que inventei um neologismo na minha resposta para ti: "precavinem-se". Fiz a fusão entre o verbo precaver e o verbo prevenir. XD

Sim, o que tu estás a dizer tintim por tintim é que um bebé que está dentro da barriga da mãe não é gente porque só é gente se tiver documentos, é isso?? Então as pessoas já nascidas e que são indocumentadas (existem pessoas que não têm documentos, sim), também não têm direitos, logo também podem ser abatidas?

Os animais selvagens também não têm documentos, como os que estão em África, logo também não têm direitos? Podem ser abatidos até se extinguirem? Quem é que inventou isso de ser preciso ter papéis para ter direitos?

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Eu por regra sou pró-vida, mas como eu próprio já admiti, trata-se de um dilema. Eu tento compreender por exemplo uma mulher que queira abortar por saber que o bebé que carrega no ventre sofre de algum problema congénito clinicamente comprovado e que, ao tê-lo, só vai fazer com que ele tenha uma existência de sofrimento. Ou mesmo de uma mulher que foi violada, uma experiência certamente terrível e marcante, e depois engravidar do violador, ter o filho e reparar que ele tem a mesma cara do homem...

Recordo que antes do aborto ter sido liberado, em Portugal a lei já previa a realização de aborto em caso de violação, de malformação congénita e quando a gravidez põe em risco a vida da mãe. Este último caso é, aliás, a única situação em que a Igreja Católica permite o aborto, pois uma vida não tem o direito de tirar outra vida.

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Que é isso, pá, para os idiotas úteis quem vai enterrar os EUA é o Donald Trump, que é um extremista, um racista, um xenófobo, um islamofóbico, um violento e que mais?!

wind disse...

Epá tu mudas tudo.lololol

FireHead disse...

Tu disseste que uma pessoa não nascida não tem direitos porque não tem documentos nem tem nada. Eu percebi.