quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Festival da Lusofonia em Goa


Terminou no dia 22 em Goa a 2.ª edição do Festival da Lusofonia, mais precisamente na cidade de Panjim onde ainda tem uma forte marca da presença portuguesa.


Organizado pelo segundo ano consecutivo pela Sociedade Lusófona de Goa, o festival teve como objectivo, segundo o presidente da associação, Aurobindo Xavier, "potenciar o intercâmbio entre os países lusófonos e Goa".


Além dos países de língua oficial portuguesa, o festival contou também com a presença de regiões como Macau e mesmo a Galiza, ambos com uma participação fotográfica sob os lemas "Macau, uma história de sucesso" e "Uma comunidade autónoma lusófona (Galiza)".


Além de exposições fotográficas, o festival contou ainda com mostras culinárias, com, por exemplo, um curso de culinária brasileira, e também danças tradicionais e actuação de algumas bandas do mundo lusófono.


De Macau participou o meu amigo António Monteiro em representação do Instituto Internacional de Macau, uma ONG macaense de matriz portuguesa que promove Macau e a sua identidade a nível internacional. É dele a autoria destas fotografias.


Segundo António Monteiro, que partilhou a sua experiência no Facebook, vale muito a pena sentir Goa, pois existe ainda hoje muita gente que fala português por lá.


Ainda de acordo com o meu amigo, as tradições e a humildade dos goeses são também coisas que impressionam. É ainda possível ver muitos vestígios dos tempos coloniais em Goa apesar de em 1961 a União Indiana ter invadido, derrotado as forças militares portuguesas e anexado a região.


Para quem não sabe, apesar de ser o Estado indiano mais pequeno e com a quarta menor população da Índia, Goa é o Estado com o PIB per capita mais elevado de toda a Índia, tendo sido por isso considerado o melhor Estado indiano. As suas igrejas e os seus conventos encontram-se classificados como património da humanidade pela UNESCO.


O dono de um restaurante que serve feijoada à moda de Goa contou ao António Monteiro que conhece metade da malta dos restaurantes portugueses de Macau.


A imagem de cima mostra-nos o material do Instituto Internacional de Macau que o António Monteiro levou para distribuir entre o pessoal. Para quem não sabe, o actual presidente do Instituto Internacional de Macau, Jorge Rangel, já apontou António Monteiro como o seu sucessor no cargo.


A exposição fotográfica "Macau, uma história de sucesso" foi realizada no dia 20 na Galeira de Artes Goa State Central Library. A exposição, com cerca de 50 fotografias, procurou retratar aspectos variados de Macau, do património ao desenvolvimento físico, e das gentes às festividades. A mesma exposição, com o apoio da Fundação Macau e das comunidades macaenses da diáspora, já tinha sido anteriormente exposta em São Francisco, Toronto, Lisboa, Oakland, Santos, Rio de Janeiro e Recife.


Depois do sucesso do ano passado, aquando da realização da 1.ª edição do Festival de Lusofonia de Goa que mereceu uma aceitação muito favorável dos goeses, a Sociedade Lusófona de Goa fez questão de continuar a aprofundar relações com os países e regiões lusófonas.

Sem comentários: