terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O termo árabe para "assédio sexual colectivo" que agora está na moda é "taharrusch jamai"


Pois é, o taharrusch jamai (تحرش جماعي) é o que está agora a dar um pouco por toda a Europa. Foi isso que aconteceu por exemplo durante a passagem de ano em várias cidades europeias.

Para muitos muçulmanos, trata-se de um jogo e as vítimas em regra são não-muçulmanas, sobretudo as ocidentais. Que o diga a jornalista Lara Logan, da CNN, violada em grupo no Egipto há uns anos atrás, as vítimas de Colónia ou as duas adolescentes que foram violadas por «refugiados» sírios no sul da Alemanha durante a passagem de ano.

video

Uma menina russa, Liza Fisenko, foi violada em Berlim por «árabes» durante 30 horas.

Uma piscina pública da cidade alemã de Bornheim foi interdita aos «refugiados» porque uma rapariga em idade escolar foi lá violada por três «refugiados» sírios.

No metro de Paris, uma mulher de 28 anos escapou por pouco a uma tentativa  de violação levado a cabo por um grupo de «refugiados» em Dezembro passado.

Na Suécia, invasores muçulmanos exigem que as nativas façam sexo com eles:

video

Afinal de contas e ao fim e ao cabo o taharrusch jamai faz parte do enriquecimento cultural...

4 comentários:

Afonso de Portugal disse...

"taharrusch jamai"... que exótico, que diverso, que vibrante! :)

FireHead disse...

É um nome excelente para um shot! :)

RICARDO DA SILVA LIMA disse...

P0##@, já está na hora dos europeus reagirem à altura, não?

Olho por olho, dente por dente. Quando nos defrontamos com "animais" (e estes estupradores alógenos são isto: animais), é assim que tem que ser.

Se o governo destes países (Suécia, Alemanha, etc), não querem defender os seus cidadãos, então os próprios cidadãos tem que se defender.

Quando isto vai começar a acontecer?

FireHead disse...

Olha, da maneira como estão as coisas, eu começo mesmo é a achar que a extinção (para já) dos alemães e dos suecos tal como nós ainda os conhecemos é bem feita...