segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Itália: imagens do Menino Jesus decapitadas

Em Itália, várias imagens do Menino Jesus foram decapitadas. A última imagem decapitada encontrada foi a do presépio de La Spezia, construído para arrecadar fundos destinados a ajudar a luta contra a leucemia. O bispo da localidade, D. Giovanni Tassano, considerou o sucedido como um "acto sacrílego grave" e uma "infâmia".
O combate ao Cristianismo, a matriz da superior civilização ocidental, nunca foi tão violento na Europa como está a ser agora.

6 comentários:

João José Horta Nobre disse...

O problema do Cristianismo é exactamente esse, incentiva a "dar a outra face" ao inimigo e a amar o mesmo em todas as circunstâncias. O Cristianismo é paradoxal no sentido em que ao querer semear a paz e o amor entre os homens, acaba por lançar as sementes da sua própria destruição.

Anónimo disse...

superbond ou durepox deve resolver.

FireHead disse...

João José Horta Nobre,

Quando lemos os Evangelhos não podemos ficar apenas numa das partes que eles contêm. Se é verdade que o Cristianismo nos pede para amarmos os outros como a nós próprios, também não é menos verdade que nos ensina a exigir Justiça. Ou não é verdade que aquele que não crer nos Evangelhos será condenado, como afirmou Jesus? Próprio Jesus afirmou que não veio trazer a paz, mas sim a espada. Durante séculos o Cristianismo mandou na Europa; agora que ele foi colocado de lado e fortemente atacado é que as coisas estão como estão. Não venham agora dizer que o Cristianismo é mesmo assim, é alógeno e essas coisas todas, porque se não fosse o Cristianismo não teria havido o que hoje ainda temos em termos civilizacionais.

FireHead disse...

Anónimo,

Ou talvez a prisão - ou a deportação, se for o caso - dos energúmenos que fizeram isso.

Douglas Sulzbach disse...

Ué, é a religião da "paz", os culpados (como sempre segundo a esquerda) são os brancos cristãos opressores dos pobres africanos e asiáticos explorados!

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Se foram ou não muçulmanos, não sei. A notícia não diz que foram eles. Por isso que eu limitei-me simplesmente a dizer que foram os anticristãos que fizeram isso, o que quer dizer que tanto podem ter sido muçulmanos como podem não ter sido.