domingo, 6 de dezembro de 2015

Real fora da Taça do Rei


Na Taça do Rei, o Real Madrid venceu o Cádiz por 3-1, mas foi desclassificado da competição porque utilizou o médio russo Denis Cheryshev (na foto em grande plano), que deveria cumprir um jogo de castigo na prova devido a cartões amarelos acumulados que transitaram da época passada quando esteve emprestado ao Villarreal. O próprio Cheryshev adiantou o Real no marcador logo aos 3' e, depois da queixa feita pelo clube derrotado, o clube merengue garante que não recebeu nenhuma notificação, o que não foi considerado pelo juiz da competição da Real Federação Espanhola de Futebol. "Não recebi qualquer comunicação do Villarreal a informar-me que estava impedido de jogar na Taça", disse o jogador russo de 24 anos. Rafa Benítez garante que o clube não sabia que o jogador não podia ser utilizado: "O clube não sabia nada. A federação nada comunicou e o Villarreal tampouco. Quando soubemos, procedemos à substituição. Quando soubemos? Ao intervalo e fizemos a substituição para mostrar boa fé". O presidente Florentino Pérez disse que "ninguém comunicou a sanção do jogador, como descreve o artigo 41".
De certeza que o Real vai agora recorrer da decisão do juiz Francisco Rubio. A Real Federação Espanhola de Futebol, essa, já criticou o Real e o russo e rejeitou o argumento de que o jogador não havia sido notificado de que estava impedido de jogar. "Bastaria uma simples leitura do Regulamento Disciplinar para que a sanção fosse executada. (…) Não há dúvida que houve notificação pessoal ao jogador, acompanhada da publicação da imposição da suspensão por um jogo". O juiz respondeu ainda às justificações do Real Madrid, que garantiu não ter agido de má fé ao utilizar indevidamente o jogador: "A ausência de má fé não é incompatível com uma diligência mínima e consequente assunção de responsabilidade que deve exigir-se a qualquer empresa em relação a assuntos relacionais com os seus trabalhadores".

Sem comentários: