domingo, 15 de novembro de 2015

Haverá mais ataques na Europa em nome do islão!

video

Na sequência desta entrada de ontem, e como eu escrevi, os imbecis, como os ateus, os agnósticos e os laicos dos mé®dia, da blogosfera e das redes sociais, ou simplesmente "progressistas", já andam novamente a contorcer-se todos para eliminar qualquer tipo de ligação entre a imigração islâmica e o acolhimento dos refugiados, que são, como todos nós sabemos, de esmagadora maioria islâmica, e os ataques em Paris ou mesmo os ataques que já houve no passado na Europa perpetrados por islâmicos. Os "progressistas" negam a realidade e, tal como os gnósticos dos tempos antigos, substituem-na por uma realidade alternativa. Nessa realidade alternativa, o islão não é aquilo que ele verdadeiramente é - cruel, conforme se pode constatar lendo o Alcorão - e não se pode confundir o muçulmano comum enquanto pessoa com o islão enquanto ideologia, que é totalitária e com fins políticos e expansionistas, logo contra o Estado de Direito. O problema para os "progressistas" de plantão é que a puta da realidade mostra-nos, e insiste em continuar a mostrar-nos, que atentados como o que houve agora em Paris são simplesmente o corolário lógico do islão e do Alcorão. A puta da realidade diz-nos, e insiste em dizer-nos, que o islão é incompatível com a civilização ocidental, que foi moldada pelo Cristianismo por muito que isso custe aos "progressistas" engolir, e que quer aniquilar o Ocidente. O que aconteceu em Paris é uma consequência da existência desses "progressistas" em solo ocidental, mas estes ainda têm a lata de culpar os partidos nacionalistas que crescem, acusando-os de populismo quando na verdade são eles próprios que alimentam o seu crescimento.


Eu não tenho dúvidas nenhumas que a tragédia de anteontem vai reforçar ainda mais a popularidade da Frente Nacional anti-islâmica da Marine Le Pen. O pontapé de saída há muito que já foi dado, mas os "progressistas" continuam apostados em querer assobiar para o lado: à medida que a singularidade islâmica se vai afirmando no Ocidente através da imigração islâmica maciça, mais atentados como estes continuarão a acontecer e isso já foi garantido pelo próprio Estado Islâmico! Dos oito terroristas que foram liquidados, um possuía passaporte sírio e gritaram Allahu Akbar antes de matarem pessoas.

2 comentários:

Leonel Lazouwnik disse...

Por aqui, a maior preocupação da imprensa, notadamente da Globo News, é com o aumento de "islamofobia, do crescimento da extrema-direita e da xenofobia". As vítimas dos sucessivos atentados não importam para a mídia.

FireHead disse...

Não é só no Brasil, meu caro. É em todo o Ocidente. Aqui em Macau, infelizmente, também há muitos cromos que continuam a chupar a lenga-lenga de que os muçulmanos são gente de bem, são melhores que os cristãos, e que os que fazem merda são os fanáticos, que também há noutras religiões. E os refugiados? Bom, os refugiados não podem levar por tabela, por muito que já se veio a saber que um desses terroristas de Paris é um refugiado sírio, portanto há que continuar a recebê-los com a arte de bem receber, construíndo mais umas mesquitas, dando-lhes comida halal, etc. e tal.

Felizmente em Portugal estas coisas não acontecem, o que faz com que partidos extremistas como o PNR continuem a não ter hipóteses nenhumas. Já em França a Frente Nacional vai de vento em popa e os "progressistas" estão já todos borrados de medo. Como escreveu o líder do PNR no Facebook, os terroristas escolheram mal as vítimas: estas deveriam ser os "progressistas", ou seja, todos aqueles que permitiram esta merda. Todos os "progressistas" ou então os entes queridos destes é que seriam as vítimas "aceitáveis" desses "fanáticos".