sábado, 1 de agosto de 2015

Cristão convertido decapitado e crucificado

E por falar em pagãos, os adoradores do ídolo lunar árabe de Meca pré-islâmica do Estado Islâmico (EI) cortaram a cabeça a um jovem na Síria pelo crime de ridda (ردة‎), isto é, apostasia, por alegadamente ter deixado o islão e abraçado o Cristianismo. Não contentes com a decapitação, os jihadistas penduraram a cabeça e o corpo do jovem como se este estivesse preso a uma cruz. O EI emitiu depois um comunicado em que diz que o rapaz também blasfemou contra Alá.
Aqui temos mais um belo exemplo do quão pacífico é o islão, a "religião da paz". O que os jihadistas do EI fazem é simplesmente cumprir na íntegra aquilo que a "religião da paz" tão claramente lhes pede, isto é, cumprir de forma literal os preceitos do Alcorão e também dos hadiths.
Que o convertido ao Cristianismo descanse em paz.

6 comentários:

wind disse...

Bárbaro!

Lura do Grilo disse...

Como disse um padre numa homilia que ouvi sobre os mátires: "agora faz parte do Cálice de Sangue de Cristo"

FireHead disse...

Wind,

O islão é bárbaro. O que não quer dizer que todos os muçulmanos sejam bárbaros. Com os falsos muçulmanos, como todos aqueles que se dizem muçulmanos e que condenam o EI e outros grupos terroristas muçulmanos (que são verdadeiros muçulmanos), podemos nós muito bem!

FireHead disse...

Lura do Grilo,

E depois ainda há quem duvide que o Cristianismo é a religião mais perseguida. Bastou para isso que o Homem abandonasse a Igreja como um cão que morde a mão de quem lhe dá de comer.

Afonso de Portugal disse...

Este cristão era um islamófobo. Até se deixou decapitar por odiar tanto o Islão!

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Acho que foi mais por ter descoberto que o islão é odiável. Pelo menos fez a coisa certa antes de morrer.