quinta-feira, 16 de julho de 2015

Maxi Pereira no CRAC

Como já todos estávamos à espera desde o momento em que Maxi Pereira decidiu não renovar contrato com o Benfica, clube que representou durante oito anos, o uruguaio já é cabrão dragão. O lateral-direito de 31 anos, que já está na Holanda para o estágio do CRAC (Clube Regional Assumidamente Corrupto), vai envergar a camisola número 2 da formação corrupta e afirmou que está muito contente por estar no clube do corrupto-mor Pinto da Costa e com "muita vontade de treinar" e "trabalhar duro para o objectivo que é ser campeão no Porto". Por cada um dos três anos de contrato o CRAC vai pagar 2 milhões de euros líquidos a Maxi, mais meio milhão por época do que receberia caso tivesse renovado pelo Benfica. Trata-se de mais uma aposta de risco do CRAC, depois de ter assegurado Iker Casillas, para ver se consegue voltar a ser campeão. Se voltar a ficar a ver navios, talvez na próxima época o CRAC contrate o Ronaldo ou o Messi (e que tal ambos?).

Maxi já está em Horst, na Holanda, com o seu novo clube
E pronto, o CRAC agora já tem um jogador que quando estava no Benfica era um "sarrafeiro", um "selvagem", alguém que só sabia ir às pernas dos adversários e que "nunca era expulso". Agora sim, Maxi Pereira já é um "jogador à Porto" (onde é que tu andas, Manuel Serrão?), como afirmou Pinto da Costa! E há que agradecer ao empresário do uruguaio, Paco Casal, o mesmo que também já tinha colocado o Cristian Rodríguez, o «Cebola», a secar no CRAC depois de ter sido um dos melhores jogadores no Benfica quando lá esteve. E, bom, já todos sabemos que no futebol não há amor à camisola, mas sim ao pilim, ainda para mais os jogadores estrangeiros como esse uruguaio. E que pena o gajo ter memória curta... já se esqueceu ele certamente que atacou as habilidosas arbitragens que favoreceram o CRAC nos anos em que este clubezeco de merda foi campeão, como caso do inesquecível e decisivo golo em escandaloso fora de jogo marcado por Maicon em pleno Estádio da Luz. "É incrível. Todos os anos foi a mesma coisa contra o FC Porto", Maxi dixit.

De bicampeão a cabrão dragão
Como benfiquista, o que tenho a dizer é que só fazem falta os que estão no Benfica. Agradeço ao Maxi os oito anos de profissionalismo no clube, ele que até chegou a capitanear a equipa em alguns jogos, mas também não é menos verdade que tudo o que hoje ele é, com as 100 internacionalizações pelo Uruguai e a capitania da selecção do seu país, deve também muito ao Benfica, que há oito anos atrás o foi buscar como jogador incógnito juntamente com o «Cebola». Maxi Pereira podia ter optado por jogar no estrangeiro, e clubes interessados não lhe faltavam, mas mesmo assim optou por assinar por um rival do Benfica, mesmo sabendo o que é que isso significa. Depois de ter conseguido o carinho dos adeptos benfiquistas, desrespeitou-os e, tal como há três anos aquando da sua primeira renovação do contrato, usou a desculpa da família como argumento para ganhar mais dinheiro, que afinal de contas é aquilo que ele sempre mais quis, como que ganhando menos meio milhão de euros por ano ele e os membros da sua família fossem todos passar fome ou algo assim do género. Posto isto, fico contente por a direcção do meu clube não ter entrado em loucuras e se ter livrado desse pesetero. Pode ser que se torne num novo Paulo Assunção.

4 comentários:

Anónimo disse...

Apesar de não ir pra novo ele é um jogador à Porto como disse o Pinto da Costa. Lutador, com garra mesmo sendo um caceteiro. Não tinha perfil de jogador benfiquista. Vamos ver como corre.

Dylan disse...

Claro que cada um é livre de ir para onde quiser, agora a forma como saiu do clube é que não foi a mais correcta.

FireHead disse...

Anónimo,

Não tinha perfil de jogador benfiquista? Ou eu me engano ou no CRAC ele não vai fazer tanto como fez no Benfica. Seja como for, ele é que ficou a ganhar no meio disto. O CRAC que pague, e bem, para o ter por lá. E que corra o risco.

FireHead disse...

Dylan,

Isso não interessa, pois kalimeros existem em todo o lado. Ele já deve estar preparado para as consequências. Agora sempre que pisar o relvado da Luz já sabe o que lhe espera.