quinta-feira, 31 de março de 2016

Os unicórnios existem


Em muitas discussões metafísicas, era normal que os ateístas invocassem o argumento do “mito de Deus”, afirmando que “os unicórnios não existem”; e eu respondia que é impossível à ciência afirmar que os unicórnios não existem — porque a ciência não pode provar que uma determinada coisa não existe. 
Pois bem: os unicórnios existem. Ou já existiram. Mais um argumento ateísta e cientificista que vai pela pia abaixo.

Fonte: perspectivas

Charlie Hebdo e os atentados terroristas islâmicos de Bruxelas

Os atentados terroristas islâmicos de Bruxelas não passaram ao lado da famosa revista satírica francesa Charlie Hebdo, que é, como todos nós sabemos, um dos expoentes máximos da liberdade de expressão. "Papá, onde estás?" é a pergunta que o conhecido músico mulato belga Stromae faz na capa desta nova edição, uma pergunta que faz parte da letra de uma canção sua dedicada ao seu pai que desapareceu aquando do genocídio de Ruanda, em 1994.


A liberdade de expressão continua a ser tida como um dos valores mais sagrados para muita gente. Nem que isso implique a sua própria morte, é claro. As 12 vítimas mortais do massacre à redacção da revista, em Janeiro de 2015, que o digam.

Austrália lança filme para desencorajar imigração ilegal


As autoridades australianas investiram 4 milhões de euros num filme que visa desencorajar a imigração ilegal porque o país não recebe imigrantes com toda a facilidade, não lhes garante emprego nem uma vida próspera. O filme, que dura 90 minutos e tem um final trágico, é falado em árabe, pashtum, dari, urdu e farsi (línguas comuns a vários países do Médio Oriente) e está a ser divulgado no Afeganistão, Irão, Paquistão e Iraque. "Uma pesquisa independente nestes países revelou que existiam falsas percepções e rumores acerca da política de imigração da Austrália. Havia a percepção de que a Austrália é um país preferido para aqueles que desejam viajar ilegalmente de barco", afirmou um porta-voz do Departamento da Imigração da Austrália. "Foi difícil de ver. Deixou-me perturbada. Sei que são actores, mas estas coisas acontecem mesmo aos afegãos", contou ao jornal britânico The Guardian Ali Reza, de 18 anos. A produtora do filme (Put It Out There) é bem explícita na explicação da obra: "Este filme pretende educar e informar as audiências acerca da futilidade de investir em traficantes de pessoas, dos perigos da viagem e das políticas duras que os aguardam se chegarem a águas australianas".
A verdade é mesmo assim, faz muitas das vezes doer quando ela vem ao de cima. Mas ela tem que ser mesmo dita, custe o que custar, pois conhecendo-a seremos libertados...

Catarina Martins porque te callas?

17/10/2015 - Luaty Beirão ainda não fora condenado. 


Março de 2016 - Luaty foi condenado a uma pena de cinco anos e seis meses. 

Catarina quiçá traumatizada pelos considerandos do Arroja calou-se. Ou então, coitadinha, ficou afónica com o combate à espanholização da banca. Ou como não tem tarifa social de electricidade ainda não comprou máquina de secar e a t-shirt apodreceu no estendal que o Inverno, por via das alterações climáticas, não há quem o entenda.


Fonte: Blasfémias

O aborto deve ser punido se houver proibição legal, diz Trump...


... e com esta sua afirmação já causou, como já se esperava, polémica. Para Donald Trump, o candidato republicano melhor colocador para vencer as eleições presidenciais dos EUA, o aborto "é um problema muito sério", mas não acrescentou que tipo de punição seria dado às abortistas. Os seus concorrentes, como a encornada estúpida da Hillary Clinton, já aproveitaram a ocasião para atacar novamente o empresário calvinista que tem uma filha casada com um judeu e convertida ao judaísmo, mas por acaso o homem disse alguma mentira? Se houver proibição legal, é óbvio que o aborto só tem é de ser punido! Quer dizer, o homem diz a verdade, ou pelo menos não tem problemas em dizer aquilo que pensa, contrariamente aos adeptos do politicamente correcto, e mesmo assim caem-lhe em cima? Isto é claramente mais um ponto a favor do Donald Trump.
Já agora, não diz a escória anti-Trump que o homem é racista? Pois ficai a saber que são mais os negros que morrem vítimas do aborto nos EUA. Além disso, como bom calvinista que é, Trump de certeza que considera o aborto um grande pecado, pois a prática do aborto é uma coisa própria dos pagãos e dos que não têm moral nenhuma, além disso o aborto foi também uma prática incentivada pelo regime nazi, isto, claro, se as abortistas não fossem arianas...

Fentanil, a droga 50 vezes mais potente que a heroína


O fentanil, uma droga usada para as dores associadas com o cancro e outras doenças, é 50 vezes mais potente que a heroína e 100 vezes mais potente que a morfina. Além disso, é também mais barata e tem um efeito mais poderoso e imediato. O seu consumo tem vindo a aumentar nos últimos anos, tendo já feito mais de 700 mortes desde o final de 2013 até finais de 2014, indicou a DEA, uma agência anti-droga dos EUA, ao passo que a morte por heroína continua a ser a maior no universo dos drogados: aumentou 244% de 2007 a 2013. O mulato do presidente dos EUA, Barack Hussein Obama, está decidido em conter a onda de mortes por heroína e opiáceos analgésicos recorrendo a um novo financiamento. "Acho que as pessoas não têm noção da dimensão deste problema", disse o mulato numa cimeira sobre o abuso de drogas. O fentanil costuma ser injectado mas também pode ser tomado através de adesivos ou pastilhas e o que é produzido em laboratórios clandestinos, ao contrário do farmacêutico, é o mais perigoso, pois é misturado com heroína. Esta droga é conhecida nas ruas como "China Branca" e os consumidores consomem-na muitas vezes sem saber que se trata de fentanil, devido às suas parecenças com a heroína e cocaína, e tomam-na na mesma quantidade, aumentado o risco de sobredose.

Simão, o botão "ON" do Benfica


Simão Sabrosa. Dizemos este nome em voz alta e o espírito glorioso voa directamente para o seu pé direito amanteigado, para a sua chuteira feita de queijo da serra. Era um pontapé em colher que arredondava as arestas do jogo. Em remate aveludado, a bola seguia para o golo largando no ar pozinhos de açúcar, deixava nas redes o creme de um pastel de nata a cair lento para o relvado. 

Dizemos o nome Simão Sabrosa, um nome que evoca dentro de nós a ressurreição do Benfica. O homem que, de bola no pé, lá em baixo, no relvado, lentamente nos foi acordando do nosso autismo cheio de tristeza e mágoa. Foi assim: adormecidos desde 95, íamos ver o Benfica porque não podíamos abandonar o Benfica. Seguíamos, zombies, pelas estradas do país; mortos-vivos, bebíamos nas barracas, em frente a fogareiros e repastos; falávamos uns com os outros, fingíamos que ainda era a mesma coisa. Mas não era. Foram anos, demasiados anos, a ver o Benfica definhar. A ser outra coisa. Eram mau jogadores, eram maus treinadores, maus presidentes, mas era mais do que isso: era um Benfica envergonhado de ser Benfica. Um Benfica que se tinha esquecido de ser Benfica. 

Desde 1995, o nosso ritual religioso: íamos ao estádio rezar preces, ter esperanças, cumprir o dever benfiquista. O João Pinto espalhava génio sem piano a acompanhar. O maravilhoso Michel, o irreverente Karel, a doce ternura de uma quase-vitória. Apresentávamo-nos na Catedral, cumpríamos. Tínhamos o amor - temos sempre o amor - mas faltava-nos a loucura de uma paixão feita de aventuras, viagens e sonhos. Não tínhamos sonhos, tudo era assim-assim. Os anos foram passando e nada. Comprávamos A Bola à espera de um milagre. Vieram novos Presidentes, veio o ano 2000, novos treinadores, novas promessas. Mas nada. Continuava tudo assim-assim. Assim sem fim. No relvado, nos tribunais, nas rulotes e nos céus, o Benfica chorava. Nos novos empreiteiros do Benfica, nas obras, nas estruturas, o Benfica chorava. 

Até que alguém no Terceiro Anel acordou o benfiquista do lado: "Olha lá, vê lá se eu estou a delirar. Parece-me que há ali Benfica" 

O Simão corria por uma ala. Fazia um compasso de espera, olhava o adversário, com a parte de fora da chuteira cheia de açúcar metia para dentro. Rematava para um golo que era a alma toda do Benfica. Depois marcou outro igual. Depois, em vez de ir para dentro, foi para fora e cruzou. Depois marcou livres, marcou cantos, cabeceou, rematou de esquerda, fez tabelinhas, abraçou os jogadores, pediu-lhes a glória porque "isto é o Benfica!". 

Quando demos por isso, já o Simão era o motor que fez vibrar 2005. O botão ON de um grito que esperava desde 94 dentro das malhas dos nossos cachecóis, das camisolas dentro de gavetas, das bandeiras que guardamos na bagageira, dos bibelôs, das canecas, das mantas do Benfica que aquecem os Invernos. Simão Sabrosa carregou no interruptor, abriu as águas de uma barragem sem força para aguentar 11 anos de pressão desesperada sobre o betão. O povo benfiquista saiu enlouquecido às ruas. Finalmente, o Benfica espalhava-se pela alegria. 

2005 foi o grito que libertou o Benfica para a sua magia de Benfica e mostrou que um pé cheio de açúcar, em colher, "nesta curva tão terna e lancinante" pode fazer o milagre de ressuscitar um clube. O Simão foi o botão ON da electricidade mística.


Ricardo Silveirinha in Ontem Vi-te no Estádio da Luz

quarta-feira, 30 de março de 2016

Portugal vence a selecção da devastada Bélgica


Portugal estreou o seu equipamento alternativo para Euro 2016 e venceu a sua congénere belga por 2-1 em jogo particular realizado em Leiria, no Estádio Magalhães Pessoa. Os belgas, ainda certamente afectados com os recentes atentados terroristas islâmicos na capital do seu país, lideram o ranking das selecções da FIFA (à base de que critérios?) e, mesmo sem alguns dos seus elementos nucleares, apresentaram uma equipa recheada de qualidade, o que deu imenso sabor à nossa vitória. Nani abriu a contagem aos 20', Ronaldo cabeceou para o golo aos 40' e Lukaku apontou o golo de honra belga aos 62'. Ficou no ar a ideia de que já se nota o bom trabalho de Fernando Santos, apagando a má imagem deixada no jogo contra os búlgaros.

video

PS. Gostei de ouvir o belga Axel Witsel a falar português na conferência de imprensa antes do jogo. É sinal de que a sua passagem pelo Benfica lhe foi muito enriquecedora.

3 polícias feridos numa rixa entre ciganos


Na Rua António Vilar, no bairro da Ameixoeira que pertence à freguesia de Santa Clara, a polícia foi chamada para pôr cobro a uma rixa entre grupos rivais de moradores ciganos. Houve até direito a um tiroteio que resultou em três agentes da PSP feridos, mas felizmente estão fora de perigo. "Os três elementos foram baleados quando chegaram ao local" para acabar com confrontos entre populares, afirmou o subcomissário Hugo Abreu. Para além dos agentes, duas mulheres também ficaram feridas.
Como é que eu sei que se tratam de ciganos apesar do Correio da Manhã ter feito questão de não contar isto à malta (apesar das imagens do vídeo serem por demais evidentes)? Porque o Diário de Notícias fez-nos este favor: "Nós somos os ciganos mas a polícia não sabe usar uma arma?", perguntou exaltado um dos moradores do bairro. "Ela (uma das feridas) estava a levar roupas para a carrinha para ir para a feira, não tinha nada a ver com isto", disse um outro morador. "Isto aqui é muito perigoso. Há sempre problemas, uns maiores, outros mais pequenos", disse um outro. "Sabemos que há armas mas normalmente não são usadas". Garantem ainda os ciganos que as duas mulheres foram atingidas pela polícia.
Ui, lá vai o Ministério da Administração Interna punir também estes malditos agentes da PSP! Mesmo os que foram baleados terão que ser castigados que é para aprenderem a não se meter com as minorias étnicas que têm que ser preservadas e protegidas que nem animais em vias de extinção! E viva o 25 de Abril!

As lágrimas de crocodilo duma inimiga da Europa

Federica Mogherini é uma política socialista italiana de 42 anos e é a alta representante da maçónica União Europeia para a Política Externa e Segurança. Além de querer pôr em prática o Plano Kalergi ao fazer questão que a Europa aceite hordas e hordas de invasores terceiro-mundistas, esta traidora colabora com o terrorismo islâmico e depois ainda tem a lata de aparecer a chorar por causa do resultado dessa mesma colaboração.

video

Muçulmano desejou Feliz Páscoa aos cristãos, logo foi esfaqueado até à morte


Em Glasgow, a maior cidade escocesa, um comerciante muçulmano de 40 anos e de origem paquistanesa foi assassinado à facada horas depois de ter desejado no Facebook uma Feliz Páscoa na Sexta-Feira Santa. "Desejo uma Feliz Páscoa à minha amada nação cristã", escreveu assim Asad Shah, que nasceu na cidade paquistanesa de Rabwah e era conhecido pelos seus vizinhos como "uma pessoa amável e querida por todos" e sempre disponível para ajudar os outros. Asad, que era um "muçulmano devoto", colocava muitas vezes na sua conta da rede social imagens suas a "orar" a Alá e também mensagens de conciliação e tolerância religiosa. "Sigamos os passos do amado Jesus Cristo e tenhamos um êxito real nos dois mundos", podia ler-se também na sua última mensagem. A polícia já deteve o alegado assassino, um muçulmano de 32 anos.
Como é sabido, existem de facto neste mundo muçulmanos que são boas pessoas. O problema é que também eles são "infiéis" o suficiente para os que seguem verdadeiramente o islão...

Como é que reagiram os muçulmanos aos atentados terroristas islâmicos em Bruxelas?

Logo após os atentados, muçulmanos festejaram logo no aeroporto e no metro de Bruxelas. Também na prisão mais segura do Reino Unido, a cadeia de Belmarsh, muçulmanos comemoraram os feitos jihadistas gritando Allahu Akbar.

video

Imãs na Bélgica dizem que não vão rezar pelas vítimas. Porquê? Porque os muçulmanos não podem rezar pelos não-muçulmanos.

video

Uma muçulmana rasgou uma bandeira de Israel, que tinha sido depositada em solidariedade para com o povo belga, no memorial realizado em memória das vítimas na Place de la Bourse. A bandeira de Israel é que tem a culpa.

video

Um muçulmano gritou repetidamente bem alto a palavra "Palestina" e outros slogans jihadistas durante a homenagem às vítimas:

video

Os muçulmanos e o seu ódio pelos judeus: uma doença que já dura há 1400 anos. Mas é tudo culpa de Israel, é claro. Todo o mal que existe no mundo e, já agora, também nos arredores do imenso universo deve-se aos judeus, esses malandros.


Islão: a "religião da paz" que anda a matar "infiéis" desde que nasceu, no século VII. Que pena já não existirem cavaleiros cruzados devido à apostasia que está a levar à descristianização do Ocidente e consequentemente ao fim da sua superior civilização...

O que os muçulmanos comuns reservam aos ateus

Esta é a opinião de jovens muçulmanos, num país considerado relativamente aberto - para os padrões islâmicos. Os ateus não são seres humanos e devem simplesmente ser mortos:

video

Ficou famosa neste blogue a intervenção pública de uma senhora que saudou o Ramadão com um vibrante "Allahu Akbar! Saudações, a todos os muçulmanos, de uma sua semelhante ateísta". 

Alguém escreveu: "Se a senhora vivesse num país islâmico cortavam-lhe a cabeça por crime de apostasia. O islão é uma religião supremacista, que prega a escravatura e a execução dos infiéis".

E ela, toda despachada: "Nada, afinal, que a religião católica, por exemplo, não tivesse já feito! Deixe-se de extremismos e aprenda a respeitar os seus semelhantes".

A "semelhante", entre outras lições de moral filo-muçulmana esquerdista ateísta, ainda acusou o nosso blogue de "fomentar o ódio, a xenofobia e a divisão e dizer que defendemos a liberdade e a democracia!" 

E acrescentou: "Quem, como ele, incita ao ódio e à rebelião, quem como ele deita acha após acha na fogueira da diferença para alimentar o fogo do ódio e da vingança, que poderá saber sobre liberdade e democracia? Todos os credos, todas as raças, todos os povos têm direito à sua forma de ser, aos seus costumes, às suas tradições! Há que respeitar os outros, pois, quer queiramos quer não, somos mesmo todos iguais". 

Portanto: matar, estuprar, torturar, dizimar todo o infiel, como manda o islão, é "ter direito à sua forma de ser, aos seus costumes, às suas tradições!"

Alguém respondeu a esta luminária ateísta filo-islamista: "Faça o favor de sair deste fórum porque, segundo a sharia, as mulheres não têm opinião!" 

E assim a calou.

------------------------- 

Mas esta senhora (que até é boa pessoa, mas fizeram-lhe lavagem ao cérebro) está longe de ser caso isolado. Hoje em dia "pensa-se" assim. E a extrema-esquerda, que nos média e nas Universidades orquestra este fenómeno, que é por natureza ateísta, come islão às colheradas, e continua a achar que os muçulmanos têm o direito de nos ir trucidando aos milhares, em todo o mundo, diariamente.

É este o fascismo que se abateu sobre a Europa: não se pode expor a realidade da ideologia demoníaca do islão, que se é logo presenteado com uma chuva de impropérios, com a cadeia, ou com a adaga de um filho de Mafoma na garganta.

"Odeia religião! Baba-se toda pelo islão!"
Os ateus serão dos primeiros a serem executados em praça pública quando a sharia (a lei islâmica) cá chegar. Mas a lavagem cerebral é de tal ordem, que continuam a recusar-se a acreditar que gente não judaico-cristã possa não ser toda ela perfeição, bondade, virtude! 

Olavo de Carvalho explica como o ateísmo e o islamismo andam de mãos dadas pelos mesmos objectivos: destruir a liberdade e a democracia!

video

Qual é o sentido da vida num mundo sem Deus?

video

terça-feira, 29 de março de 2016

Celebração da Semana Santa em Macau e em Malaca

O jornal macaense Tribuna de Macau falou da Semana Santa em Macau e também em Malaca, na Malásia. Por cá vai continuando a haver algo que não há nas regiões vizinhas que não sejam de maioria católica, tendo sido novamente celebrada a Paixão do Senhor com uma Missa na Catedral da Sé, presidida pelo bispo D. Stephen Lee, seguida de uma procissão que atraiu, para além de fiéis, turistas e curiosos. Na véspera, Quinta-Feira Santa, houve a Missa da Ceia do Senhor e no Sábado de Aleluia houve a Vigíla Pascal. O português continua a ser uma das línguas usadas nas celebrações católicas, além do chinês e do inglês.

Celebração da Paixão do Senhor no Largo do Senado
Em Malaca, o legado português continua de pedra e cal: as celebrações pascais giram em torno da igreja de São Pedro, construída pelos portugueses em 1710, mas infelizmente é tudo celebrado em inglês, a língua internacional. A procissão das velas é um dos pontos altos das celebrações religiosas, reunindo tantas pessoas que são necessários cerca de 30 minutos até que o recinto, de onde parte a marcha, fique quase vazio.

Mantém-se em Malaca uma tradição levada para lá pelos portugueses
A tradição ainda é o que era, o que é um bom agoiro. É sinal de que sempre há esperança neste mundo, quanto mais não seja para os lados onde o Cristianismo mais cresce, isso enquanto infelizmente o Ocidente se descristianiza e vai conhecendo um verdadeiro retrocesso civilizacional, seja por causa do ateísmo, seja por causa do paganismo.

Islão: o que os outros dizem


Informa o Huffington Post UK que o Estado Islâmico executou na Sexta-Feira Santa o padre Tom Uzhunnalil conforme tinha prometido. O sacerdote salesiano natural de Kerala, Índia, foi sequestrado no passado dia 4 no Iémen pelos jihadistas e é agora mais um de muitos mártires que hão-de estar a clamar pela vingança de Deus.


Mais uma Páscoa, mais um atentado terrorista muçulmano contra os católicos. Desta vez foi no Paquistão, mais precisamente em Lahore, capital de Punjab que conta com uma presença significativa de cristãos, com um suicida muçulmano a fazer-se explodir e a levar com ele 72 pessoas, na sua maioria crianças e mulheres, que comemoravam a Páscoa. O ataque foi reivindicado pelo grupo Jamaat-ul-Ahrar, composto por dissidentes talibãs, o que apenas mostra uma vez mais ao mundo que não é só o Estado Islâmico que está a declarar guerra contra o Cristianismo e consequentemente contra o mundo. "O alvo eram os cristãos", disse o porta-voz desta facção, Ehsanullah Ehsan, citado pela agência Reuters.


Cinco muçulmanos menores de idade violaram de "forma violenta" uma espanhola de 18 anos em Málaga, na Andaluzia espanhola, informa o Málaga Hoy. Os "jovens" são ainda suspeitos de terem praticado outros crimes, como furtos a estrangeiros.

video

Na Alemanha, uma mãe conta-nos, no vídeo do Youtube disponibilizado pelo Vlad Tepes que podemos ver em cima, como é que é ter um encontro multicultural com os amigos muçulmanos do seu filho, que foi agredido. Como se não bastasse a impunidade dos alógenos, a polícia alemã invadiu a casa da família porque o pai apareceu com uma pistola de sinalização em defesa do rapaz. O vídeo de cima é um vídeo que não vemos nos principais meios de comunicação social, até porque a própria polícia alemã tem ordens para abafar todos estes casos que vão acontecendo e que envolvem alógenos.


Ainda na Alemanha, agora em Hamburgo, uma menina de apenas sete anos foi violada no passado dia 22 do corrente por cinco muçulmanos árabes que foram recentemente acolhidos no país de Angela Merkel como refugiados, informa o Bild Zeitung.

video

Os "refugiados" muçulmanos exigem o seu "direito" de transpor a fronteira da Macedónia para poderem ir parasitar para os países mais ricos da Europa como, claro, a Alemanha ou a Suécia. O vídeo do Youtube que podemos ver foi colocado no sítio anti-islâmico Bare Naked Islam.

video

Em Arby, um "bairro problemático" de Estocolmo, capital da cada vez mais islamizada Suécia, viu-se carros da polícia a arder, como se pode ver no vídeo de cima colocado no sítio Fria Tider.


E já que falamos de "bairros problemáticos", então não é que o jornal esquerdista PÚBLICO afirma que a zona mais africanizada de Portugal, a linha de Sintra, mais precisamente as localidades de Mira Sintra, Mem Martins e Algueirão, serviu de base para os terroristas islâmicos? "Serem portugueses é estarem em casa confortáveis nos problemas e virtudes. Assim tem sido e as forças de segurança não têm conhecimento de processos de radicalização nesta comunidade. Ou de militância a favor do Al-Andaluz, que reclama a inclusão de Portugal e Espanha no grande califado, o objectivo territorial do Estado Islâmico. Os cerca de 15 portugueses que se radicalizaram, cinco dos quais já morreram nos combates da Síria e Iraque, ou estavam no estrangeiro - caso dos que moravam em Londres -, ou eram a segunda ou terceira geração de emigração portuguesa em França e no Luxemburgo, com problemas de identidade e inclusão", notou o estudioso Fernando Reinares.


O Partido Nacionalista Renovador afirmou, no seu sítio internético oficial, que "o sistema está mais preocupado com o crescimento do nacionalismo do que com o terrorismo islâmico" ao mandar "reprimir uma manifestação nacionalista". "Na Europa, como em Portugal, estes traidores não hesitam em colocar de lado as diferenças, se é que elas existem, para tentar impedir o avanço dos partidos nacionalistas. É mesmo natural que estes ditos 'amantes' da tolerância, da democracia e da liberdade de expressão aumentem a repressão contra os patriotas que ousem levantar a voz contra esta invasão. Mas ninguém pára o crescimento nacionalista, sobretudo quando na questão do terrorismo, quem nos desgoverna, age de forma cobarde, tíbia e mesmo colaborante na esmagadora maioria dos casos", pode ler-se no sítio.


Na Bélgica os muçulmanos são 6% da população do país mas constituem também 60% dos parasitas que vivem às custas do Estado (Investors). Muitos dos muçulmanos, mesmo estando em condições de trabalhar, não querem arranjar trabalho porque recebem cheques pecuniários do Estado belga. Este até subsidia mesquitas e os próprios imãs! O problema é que mesmo assim nada disso é suficiente para evitar atentados terroristas cometidos pelos próprios muçulmanos, que acusam a Bélgica de ser um Estado cruzado e inimigo do islão...

Professor catedrático diz a verdade a propósito dos atentados terroristas islâmicos em Bruxelas

O professor universitário Manuel Filipe Canaveira, da Universidade Nova de Lisboa, desafiou a censura me®diática dizendo a verdade sobre o que se está a passar:

video

Então não é que em Portugal também há "no-go zones"?


Um homem de 30 anos morreu e um outro, de 25, ficou gravemente ferido na sequência de uma "agressão com arma de fogo" no bairro africanizado da Cova da Moura, na Amadora, no passado Domingo de Páscoa. O autor do disparo está a monte e, segundo consta, tratou-se de um ajuste de contas. O comandante dos bombeiros da Amadora, Mário Conde, confirmou ao jornal esquerdista PÚBLICO o sucedido: "Fomos chamados por volta das 21:00. Houve duas vítimas. Uma de 30 anos já estava morta quando chegámos ao local, com um tiro de caçadeira no pescoço. A outra, de 25 anos, levou um tiro de caçadeira na zona lombar e foi transportada para o Hospital de Santa Maria em estado grave. Estava inconsciente".
Eis mais uma fantástica maravilha da Tugalândia pós-25 de Abril de 1974, esta data libertadora! É este o resultado da invasão alógena permitida e fomentada pelas elites reinantes abrilistas! Ah, pois é, julgáveis que em Portugal não existiam coisas como as no-go zones?? A seguinte reportagem da CMTV, realizada há um ano, prova que existem sim, para os males dos pecados dos negacionistas da realidade (67 bairros sociais referenciados em Lisboa!). Mas mau era o Salazar!

video

25 de Abril, sempre! Fascismo nunca mais!

Notas soltas


O militar da GNR Hugo Ernano, que está a ser perseguido de forma canina pela justiça abrilesca tuga apesar de ter cumprido com lealdade o seu dever, vai passar um bom tempo a receber apenas 300 euros mensais, ele que tem dois filhos - um com 10 anos e outro com três - para sustentar. Tal deve-se a uma medida de punição imposta pelo Ministério da Administração Interna de corte de 2/3 do seu salário para os oito meses da sua suspensão. É assim que a Tugalândia abrilesca trata dos seus agentes da autoridade. Isso só vai fazer com que no futuro os criminosos continuem a fazer das suas, já que os bófias vão continuar ou passar a ter medo de exercer como deve ser as suas funções...


A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) registou uma média de 63 crimes por dia em 2015, segundo dados divulgados que revelam um total de 23.326 casos, um número que subiu 13% nos últimos dois anos. Nesse período também cresceu o número de vítimas (10,1%), passando de 8733 em 2013, para 8889 no ano seguinte e para 9612 no ano passado, assim como os processos de apoio, que subiram de 11.800 em 2013 para 12.837 em 2015 (8,8%).


Em Angola, o luso-angolano Luaty Beirão e outros 16 activistas acusados de tentativa contra o presidente angolano José Eduardo dos Santos foram condenados por um tribunal de Luanda a penas de prisão que vão desde os dois aos oito anos e seis meses. Será que a estúpida da eurodeputada súcia Ana Gomes, que em Outubro passado perguntou se o então presidente da república e primeiro-ministro ligaram para o líder máximo angolano, vai pedir ao Marcelo Rebelo de Sousa e ao António Costa para ligarem para o paizinho da Isabel antes que Luaty morra? É bem provável que a indignação selectiva dessa súcia não dê para tanto assim.


Em Chesnee, no Estado norte-americano da Carolina do Sul, a jovem Hannah Marie Haynes, de 22 anos, foi acusada pela polícia de ter feito sexo com o seu cão, de raça Dachshund (o famoso "cão salsicha"), e filmado esses actos de animalismo que mesmo para os esquerdistas não podem ser compararados por exemplo com os actos de homossexualismo. Segundo as autoridades, o jovem que denunciou a Hannah estava em choque...


E por falar em actos de homossexualismo, a britânica Jennifer Staines, de 23 anos, vestia roupa de gajos para fingir ser um macho de nome Jason e assim poder "ter sexo" com adolescentes do sexo feminino. A mãe de uma das vítimas acabou por descobrir que o violador era afinal uma violadora e denunciou o caso à polícia. Jennifer foi condenada a três anos e três meses de prisão pelo tribunal de Bristol.


Uma adolescente japonesa de 15 anos, Ana Saito, esteve sequestrada durante dois anos num apartamento em Tóquio e conseguiu escapar depois de se ter aproveitado de um descuido do sequestrador, o jovem Terauchi Kabu, de 23 anos, que abandonou o apartamento sem trancar a porta. A polícia já deteve Terauchi, na cidade de Ito, a cerca de 130 quilómetros de Tóquio.


Um tradutor chinês de 43 anos naturalizado português, Chen Xiaomin, lucrou quase 5 milhões de euros com vários esquemas de auxílio à imigração ilegal envolvendo centenas de cidadãos chineses e 156 empresas. Chen Xiaomin, que usou pelo menos nove diferentes identidades, conseguiu sair de Portugal, mas já foi condenado a 12 anos de cadeia e os seus bens avaliados em 4,9 milhões de euros já foram apreendidos.


Na República da China, vulgo Taiwan, uma criança de apenas três anos foi decapitada na rua, em Taipé, em plena luz do dia e à frente da sua própria mãe. O autor do crime, um homem de apelido Wang e de cerca de 40 anos, agarrou a criança por trás e decapitou-a com uma faca, tendo já sido detido. Horas depois, dezenas de populares juntaram-se à frente da esquadra para tentar fazer justiça com as suas próprias mãos enquanto Wang, já com antecedentes criminais, era levado pelas autoridades. Ainda assim, e ao contrário da República Popular da China, Taiwan é dos países - apesar de não ser oficialmente um Estado independente, é-o na prática (é uma outra China) - com as mais baixas taxas de criminalidade de todo o mundo, com menos de três homicídios por cada 100 mil habitantes.


A macaense Ana Manhão descende de várias gerações de portugueses de Macau e tem no seu restaurante "Belos Tempos", na Rua da Felicidade, uma autêntica enciclopédia da cozinha macaense de origem lusa, que é uma culinária local de base portuguesa mas com influências orientais. Esta gastronomia tem sido promovida por Ana Manhão além fronteiras, tendo ela, que também faz parte do grupo de dança tradicional "Macau No Coração", estado recentemente em Taipé e em Harbin. O "Belos Tempos" é ainda um local de aprendizagem da deliciosa e distinta culinária macaísta, que encarna o culminar de uma relação de mais de 500 anos entre Portugal e a China, e têm sido mais os estudantes universitários chineses a demonstrarem interesse em aprender a cozinhar os pratos como o famoso minchi, o tacho ou o camarão com "fu kuá".


Ainda em Macau, o Benfica do território teve que suar para vencer o Grupo Desportivo da Polícia de Segurança Pública apenas por 1-0. Os bófias dispuseram de uma oportunidade flagrante nos últimos minutos para empatar a partida, mas felizmente para os pupilos de Henrique Nunes ainda não foi desta que foram travados na corrida ao tri. O autor do golo foi o caboverdiano Alison Brito.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Bulgária derrota Portugal


Na Sexta-Feira Santa, a selecção portuguesa perdeu com a sua congénere búlgara por 0-1, em jogo amigável disputado em Leiria. Cristiano Ronaldo, o abono da selecção lusa, desperdiçou uma grande penalidade, o guarda-redes búlgaro Stoyanov foi considerado o melhor em campo porque defendeu tudo e mais alguma coisa e o brasileiro naturalizado búlgaro Marcelinho apontou o único golo que deu a vitória aos visitantes. "Isto não está para rir porque não gosto de perder nem por nada", disse Fernando Santos.

A PROFECIA DE YURI BEZMENOV E A PERSPECTIVA ISLÂMICA

INTRODUÇÃO 

Numa palestra ministrada na Summit University of Los Angeles, Nevada, em 1983, Yuri Bezmenov, um ex-agente da polícia secreta da União Soviética, faz uma descrição abrangente sobre o principal eixo do método de dominação comunista: a subversão, e escancara as estratégias e as fases tácticas da revolução socialista dentro desse eixo, de tal maneira, que mais parece, na verdade, estar fazendo uma análise sobre o actual quadro internacional das relações de poder. 
Quero aqui traçar uma linha de argumentação perigosa, mas ao mesmo tempo justa, através de uma análise analógica própria das Relações Internacionais, que liga a análise de Bezmenov sobre o comunismo com a subversão islâmica do mundo ocidental. 
Quero fazer uma comparação através da história e pelos bastidores dos agentes desse jogo de diplomacia global. 

O PODER 

Vivemos, desde os primórdios da História, sob uma visão de mundo de que, para alcançarmos o cume da experiência humana, o ápice do sentimento de estar completo na condição de existência, de maneira alguma devemos abrir mão da possibilidade de poder, e não do poder em si, à primeira vista. Poder no sentido amplo do termo. Como acção propriamente dita, mas principalmente como controlo dos meios de acção. Sob essa óptica, não deixaria de passar em nossas mentes a condição essencial dessa possibilidade: a dominação. 
Nesse sentido, desde o início da era das civilizações, umas se sobressaem sobre as outras, e não perdem a chance de dominar. Não deixam passar a grande oportunidade de exercer influência e poder sobre outros povos, terras, mares, sobre tudo que os faça parecerem mais fortes. Afinal, a fraqueza nunca representou legitimidade àqueles que estavam um passo à frente na condição de ser social; pelo contrário: representava a justificação de sua queda e desgraça. E assim o é. 
Nos tempos que nos cercam, os meios de conquistar esse poder e essa força têm tomado novas formas. 
Com o avanço da tecnologia, da psicologia e da propaganda no século XX, as manobras políticas para o advento da dominação das esferas de influência tornaram-se mais complexas. E, consequentemente, com a veiculação de informações através dos média, as relações de poder mais visíveis. 
Na palestra a qual me referi inicialmente, Yuri Bezmenov, explica, citando aqui superficialmente, que, a subversão foi o principal meio usado pela União Soviética para causar conflitos políticos e sociais nos países em que desejava criar uma esfera de influência. 
É clara a percepção de que a via militar de conquista pode causar rejeição, indignação, medo, tendo em vista o poder dos média de construir imagens sacras ou profanas das investidas avassaladoras das forças armadas de qualquer nação. 
A visão que as pessoas em geral têm da guerra é de um terror inabalável que suprime a dignidade da pessoa humana e, por outros muitos motivos, é inviável. Não vale a pena haver confrontos militares, é o que dirão. Mas a grande questão é que, não é porque não há luta armada entre dois países, entre dois blocos ou esferas de influência, que não haja a tentativa inerente à vida social de dominar, de controlar, de subjugar os meios de acção alheios e transformá-los em próprios. 
O jogo ainda é o mesmo, o tabuleiro ainda é o mesmo, as peças ainda são as mesmas, as jogadas não são. 

A SUBVERSÃO ESTRATÉGICA 

Os comunistas já usaram as tácticas militares e já mataram os seus milhões. Agora, travestidos por um esquema sino-russo de dominação, agem por dentro, num seguimento da Intelligentsia czarista, e da KGB comunista. Praticam a subversão moral, política, social, económica, no seio provedor da civilização ocidental: os Estados Unidos. 
E não distante disso, com outros interesses, há a esfera de dominação islâmica. Com as técnicas militares também já mataram os seus milhões e hoje transvestem-se de movimento de massas imigratórias, para concretização de outro processo de dominação. 
A agenda politicamente correcta somente contribui com ambas as estratégias. Se essa agenda faz parte da estratégia como um erro impensado do jogador do lado de cá, ou se faz parte da maculada jogada alheia, não fiz uma análise dessa situação em particular. Mas uma coisa é certa: mal nenhum ela causa às projecções tanto do esquema globalista sino-russo, quanto ao islâmico. 
O islão, desde sua concepção primária, tem como objectivo principal espalhar-se pelo mundo todo. Assim como o Cristianismo e o judaísmo, prega os seus valores como sendo os verdadeiros valores universais. A única diferença, e essa essencial para a compreensão, é que o islão é o único que é uma proposta, desde o inicio, também de um Estado. Não é à toa que qualquer país com maioria muçulmana tenha um Estado islâmico como forma de governo, de justiça, etc. É só consequência disso. 
O islão é um agente no cenário mundial que, como todos os outros, briga por espaço. Nós, como ocidentais, também deveremos requerer o nosso espaço, e mais do que isso, proteger o Ocidente da ameça islâmica. 

A PERSPECTIVA ISLÂMICA 

A imigração tem sido a chave-de-ouro usada pelo islão para a conquista dos meios de acção no Ocidente ultimamente. Já pedem, na Dinamarca, que respeitem os seus direitos culturalmente estabelecidos de se casarem com crianças, já reclamam na Alemanha o respeito das meninas alemãs nas escolas para com as meninas muçulmanas não mostrando os braços ou as pernas. Já fogem da Alemanha para a Rússia, porque estuprar não deu muito certo por lá. Já inspiram o parlamento inglês a discutir a possibilidade de serem julgados pela lei islâmica, num país de moral cristã e de leis baseadas nessa moral do povo. Já colocam Paris aos seus pés, tomando ruas durante o dia para as orações nas mesquitas, o que é supostamente proibido para fins religiosos. 
Mas parece que devemos respeitar a cultura islâmica acima de tudo, não é mesmo? E onde está o respeito da cultura islâmica pela moral judaico-cristã dos países para onde imigram? Isso não está em jogo. 
O que está em jogo é justamente isso: ir e subverter a cultura, a moral, as leis, sucessiva e respectivamente assim, até conquistar o poder. É esse o objectivo do jogo, afinal. 
Os meios são diferentes, mas a ideia de conquista não se altera. O fim do imperialismo perde-se de vista mesmo no futuro da história humana. 
E o que disse Bezmenov sobre a subversão comunista numa pura análise, mais parece uma profecia perdida no eco do vazio templo ocidental da sabedoria. E vai muito mais além da perspectiva soviética de subversão. Isso é mais um novo modo de se movimentar no cenário global. Mais uma nova forma de jogar o jogo das Relações Internacionais. 


Bruno Marques
 11/02/16

Não compreende as mulheres nem no que consiste o seu ateísmo


Lembrai-vos do Bagaço Amarelo, o cromo do Bloco de Esterco que tem o blogue não compreendo as mulheres? Cheguei a falar dele aqui no "longínquo" ano de 2011.
O Bagaço Amarelo, ateu assumido com um nome pouco vulgar (Ivar Corceiro), decidiu, para variar, parar de falar momentaneamente de gajas no seu blogue para se referir, na sua posta intitulada uma santa Páscoa!, ao ódio religioso, tendo chegado mesmo a ter um momento em que o seu cérebro esteve nitidamente crachado, se é que ele tem verdadeiramente um cérebro. Vede só a seguinte laracha que ele soltou:

Os ateus são os únicos cuja condição é pacífica e pacifista. A razão é simples, são os únicos que aceitam a vida como ela é e as pessoas como elas são, colocando todos neste planeta ao mesmo nível de importância, ou seja, ao seu direito de existência.

A sério?? Olha que não, ó Ivar! As matanças cometidas em nome das religiões, mesmo incluíndo a seita islâmica, não podem sequer competir com os genocídios cometidos pelos regimes ateus que não tinham restrições morais! José Estaline, Mao Tsé-tung, Kim Jol-Il, Pol-Pot, Enver Hoxha e muitos outros ídolos esquerdistas eram ateus. Ateus e esquerdistas como tu, ó Bagaço Amarelo! Também eles foram todos pacíficos e pacifistas??

Boa Páscoa, é o que vos desejo como ateu que sou.

Se fosse mesmo pelo ateísmo não existiria Páscoa para ninguém. Enfim, é esquerdista e basta. A culpa é do bagaço.

O Cristianismo chegou mais cedo à Dinamarca do que se pensa?

Fo encontrado um artefacto que se supõe ser cristão na ilha de Funen, na Dinamarca, e, segundo um detector de metais amador, pode ter 1100 anos e indicar que o Cristianismo afinal chegou mais cedo do que se pensava. De acordo com Malene Refshauge Beck, curadora e arqueóloga dos Museus Este de Funen (Østfyns Museer), "Esta é uma descoberta sensacional da primeira metade do século X", lembrando que uma figura idêntica descoberta na Suécia foi datada nesse período. "Nos últimos anos tem havido mais e mais sinais de que o Cristianismo se espalhou mais cedo do que se pensava - e esta é a prova mais clara até agora. A descoberta deste crucifixo pode levar à conclusão que os dinamarqueses se tornaram cristãos mais cedo do que se pensava", acrescentou a arqueóloga. "A pessoa que usou este colar tinha com certeza aderido à fé cristã". 
Segundo o que podemos estudar a História, a maioria da população dinamarquesa adoptou o Cristianismo em 1050, no fim da era viking, e antes deste achado a prova mais antiga da presença do Cristianismo na Dinamarca datava de 965: Pedra de Jelling, uma pedra gigante esculpida com uma representação de Jesus Cristo na cruz. 

Mensagem papal da Páscoa


Durante a celebração da Missa da Páscoa, ontem, o Papa Francisco fez um apelo à paz perante uma multidão de fiéis reunida na Praça de São Pedro, no Vaticano. Na sua mensagem Urbi et Orbi (À Cidade e ao Mundo), o Papa lamentou as vítimas do "terrorismo cego e brutal", criticou os fabricantes e traficantes de armas e condenou também todos aqueles, como os católicos polacos, que se recusam a receber os refugiados, afirmando que a Europa não lhes pode fechar as fronteiras. "Com boa vontade e a cooperação pode-se recolher os frutos da paz e começar a construir uma sociedade fraterna, que respeite a dignidade e os direitos de cada cidadão. Confiamos no poder do Senhor para ressuscitar as discussões em curso (...) para que possamos recolher os frutos da paz. Que a mensagem de vida proclamada pelo anjo perto da pedra encontrada afastada do túmulo (de Jesus) derrube a dureza de nossos corações e promova uma frutífera troca entre povos e culturas em outras regiões da bacia do Mediterrâneo e do Médio Oriente, particularmente no Iraque, Iémen e Líbia", declarou o Papa, que se lembrou também do conflito israelo-palestiniano e ucraniano, para além dos ataques recentes na Turquia, na Nigéria, no Chade, nos Camarões, na Costa do Marfim e da situação que se vive na Venezuela.

Durante a Vigíla Pascal, no Sábado de Aleluia, o Papa baptizou 12 pessoas vindas da República Popular da China, da Coreia e de outros continentes, onde o Catolicismo tem uma enorme projecção ao contrário da velha, cansada e apóstata Europa (daí as coisas estarem como estarem), lembrando que os cristãos têm de se livrar da "terrível armadilha da falta da esperança".

Uma das coisas que parecem ter incomodado deveras os crónicos anticristãos com a mania do nacionalismo é o facto deste Papa ter lavado e beijado os pés de 12 refugiados, sendo eles cinco católicos, três coptas, três muçulmanos e um hindu, no início dos festejos da Páscoa, além de ter oferecido 200 ovos da Páscoa e também várias bolas de futebol e de beisebol a um centro de acolhimento.

Dá a impressão que este Papa transforma o que é simbólico em político. Fica a esperança de que com um outro Papa as coisas sejam melhores, com mais acção em prol do Cristianismo e da evangelização e menos bléu bléu. Até porque a Cúria Romana já deixou de contar com o português como uma língua de trabalho, supostamente por "ser muito complicado, e aconselha a que a redacção das sínteses dos processos de futuros santos sejam redigidas só em italiano, espanhol, inglês, francês e latim"....

Re.

domingo, 27 de março de 2016

Feliz Páscoa!! 復活節快樂!!


Páscoa em chinês diz-se Fù Huó Jié (復活節 em chinês tradicional ou 复活节 em chinês simplicado) e significa literalmente Dia da Ressurreição. Logo, um Feliz Dia da Ressurreição para todos vós!