quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Tailândia barra entrada a Joshua Wong


O activista localista de Hong Kong Joshua Wong, de 19 anos, o tal que liderou os famosos protestos pró-democracia contra a República Popular da China em 2014 e que paralisaram a antiga colónia britânica durante mais de dois meses, foi interceptado no aeroporto de Banguecoque, capital da Tailândia, onde se ia encontrar com o activista tailandês Netiwit Chotipatpaisal e dar uma conferência na Universidade de Banguecoque, e acabou por ser deportado.
Netiwit acusou as autoridades tailandesas de terem actuado conforme o pedido do governo comunista chinês, que tem Joshua Wong na lista negra, e o pessoal do partido pró-independência de Hong Kong Demosistō também não perdeu tempo em condenar a postura das autoridades tailandesas "por limitar de forma irrazoável a liberdade e o direito de Wong de entrar na Tailândia". De facto a Tailândia obedeceu ao pedido da China, como garantiu o coronel Pruthipong Prayoonsiri: "Na sequência deste pedido (por parte da República Popular da China), o Departamento de Imigração colocou o seu nome numa lista negra e prendeu-o para o deportar. Quando foi informado do facto, Joshua Wong não demonstrou qualquer oposição". 
"Mandaram-me para uma das esquadras de polícia do aeroporto e obrigaram-me a estar dentro da prisão durante 12 horas. Quando perguntei o motivo da minha detenção disseram-me que não tinham de me dar explicações. Pedi para contactar um advogado na Tailândia ou a minha família para lhes dizer que tinha chegado, mas continuaram a negar os meus pedidos", disse Joshua Wong aos jornalistas à chegada à antiga colónia britânica. A sua deportação levou a que activistas pró-democracia de Hong Kong concentrassem em frente do consulado da Tailândia na cidade em protesto. Também organizações como a Human Rights Watch recriminaram a Tailândia. O mesmo Joshua Wong já tinha sido deportado da Malásia no ano passado pelo mesmo motivo, pois Joshua Wong ia para lá para participar em vários fóruns sobre o movimento pró-democrático de Hong Kong e o massacre da Praça Tiananmen.
Joshua Wong co-fundou o partido independentista Demosistō, partido que já tem um deputado eleito no Conselho Legislativo de Hong Kong. Trata-se de Nathan Law de 23 anos, o mais jovem deputado de Hong Kong.

2 comentários:

Afonso de Portugal disse...

O que vale é que a China vai ser a próxima potência mundial! ;)

FireHead disse...

A China já é uma potência mundial. O problema é que ter muito dinheiro não chega. Em termos estruturais ainda tem que comer muito feijão para conseguir ultrapassar os americanos.