terça-feira, 27 de setembro de 2016

Trump diz que Jerusalém é a capital de Israel


O candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, afirmou que reconhece Jerusalém como capital de Israel e que oficializará esse reconhecimento caso seja eleito presidente. O magnata esteve reunido com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, em Nova Iorque no passado domingo, prometendo ainda uma "extraordinária cooperação estratégica, tecnológica e militar" porque "Israel é parceiro vital dos EUA na luta global contra o terrorismo dos radicais islâmicos".
A questão de Jerusalém tem sido encarada com muita delicadeza porque, alegam, é uma cidade sagrada tanto para judeus como para cristãos e muçulmanos. Mas porque é que os muçulmanos dizem que Jerusalém também é importante para o islão?


Os muçulmanos reivindicam Jerusalém como sendo também uma cidade sagrada para eles baseando-se numa única passagem alcorânica, a Sura 17 que fala de uma "mesquita distante" que Maomé teria visitado em apenas uma única noite a partir da sua Arábia natal em 622. Nalgumas representações aparece Maomé montado num cavalo e guiado por um anjo, noutras a criatura não é um cavalo mas sim um borak, uma criatura mítica que é metade homem e metade cavalo. Para os muçulmanos, Maomé visitou a "distante mesquita de Al-Aqsa", que é a que se encontra hoje em dia na Terra Santa.
Vamos aos factos: Maomé morreu em 632 e na altura Jerusalém fazia parte do Império Cristão Bizantino, o Império Romano do Oriente, e não havia mesquitas por lá. Apenas seis anos mais tarde é que o islão se expandiu até lá graças ao califa Omar. No Monte do Templo havia uma igreja de estilo bizantino, a igreja de Santa Maria de Justiniano. A mesquita só surgiu já depois de 690 quando o filho do califa Abd El-Malik, Abd El-Walid, transformou a igreja de Santa Maria de Justiniano numa mesquita, acrescentando-lhe apenas uma cúpula para que ela se parecesse com uma mesquita (o estilo arquitectónico continua a ser de uma basílica bizantina). E só depois disso é que essa "nova" mesquita passou a ser designada mesquita de Al-Aqsa.
Conclusão: Maomé jamais poderia ter estado numa mesquita em Jerusalém numa altura em que o islão ainda não tinha lá chegado. Há até especialistas que já provaram que a Sura 17 refere-se antes à mesquita de Medina. Aliás, como seita de origem judaica, os primeiros muçulmanos "rezavam" virados para Jerusalém, quando Maomé pensava que os judeus o aceitariam como o Messias, mas depois de se romper em definitivo com o Judaísmo (e passado a odiá-lo de morte), o pseudo-profeta ordenou em 624 que se "rezasse" virado para Meca, terra das origens pagãs do islão (Alá, o deus da lua, é a divindade máxima do panteão de Meca). Logo, isso de Jerusalém ser sagrado para o islão é mais uma das mentiras da "religião da paz".

4 comentários:

CENSURADO AGAIN disse...

PATETICO ESSA CIDADE É MUITO FEIA NOTE QUE NAS ILUSTRAÇÕES DA NOVA JERUSALEM NO GOOGLE IMAGENS SEMPRE USAM ARQUITETURA GOYIM MENOS FEIA A UNICA COISA BONITA É A CUPULA MUSLA

FireHead disse...

Só um deficiente mental como tu é que é capaz de produzir as afirmações como esta que tu produziste. A cúpula musla não faz nada ali, aquilo era uma igreja.

Mas por que raio é que os anormais como tu odeiam tanto Israel??? Os judeus foram-vos ao cu quando eram muito pequenos ou quê?

CENSURADO AGAIN disse...

Mas por que raio é que os anormais como tu odeiam tanto Israel??? Os judeus foram-vos ao cu quando eram muito pequenos ou quê?

29 de setembro de 2016 às 00:30

FALAS ISSO POR QUE NÃO VIU O TESTEMUNHO DE UM PROPRIO JUDEU ENOJADO QUANDO VIU UM RABINO VELHO DO NAMBLA NUM LUGAR SANTO EM JERUSALEM ABUSANDO DE UM GURI COMO FAZEM SEXO ORAL NELES BEBES UGH

FireHead disse...

Ah, é tipo um padre que é pedófilo, logo toda a Igreja é má. Sei.