quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Traficante inglesa abatida nas Filipinas

Maria Moynihan foi encontrada morta em Quezon City, Manila
A campanha anti-drogas decretada pelo presidente filipino Rodrigo Duterte provocou uma morte mediática: a traficante de droga britânica Maria Aurora Moynihan, que era filha de um barão, foi mortalmente alvejada em Manila. 
Maria, de 45 anos, também possuía nacionalidade filipina porque o seu pai fugiu para as Filipinas nos anos 60 do século passado devido a acusações de fraude que pendiam sobre ele. No maior país católico da Ásia, o barão dedicou-se a explorar bordéis e ao tráfico de droga, actividade continuada pela Maria, mas morreu em 1991 com um enfarte. Se tivesse sido apanhado pelo ditador Ferdinand Marcos, teria muito certamente morrido bem mais cedo.
Na verdade não foram agentes da polícia que abateram a Maria, mas sim muito possivelmente um grupo de vigilantes armados que ajudam o governo a perseguir traficantes.

Maria Moynihan (à direita) com a sua irmã, a actriz Maritoni Fernandez
Desde que Duterte assumiu o poder já morreram mais de 3500 traficantes de droga, a maior parte deles (talvez uns 2/3) devido aos gangues de vigilantes. Estes existem a pedido do próprio presidente filipino, que garantiu que os civis que matarem traficantes não terão problemas com a justiça.

9 comentários:

Afonso de Portugal disse...

Temos tanta pena!... Ou não.

FireHead disse...

Coitada, ela deve ter sido uma daquelas pessoas que desconfiaram da capacidade governativa e de cumprimento das promessas do presidente Rodrigo Duterte.

direita disse...

Inglesa ,mas nem tanto.

direita disse...

ambas as irmãs tem "cara" de hispânicas/latino americanas.

Lura do Grilo disse...

Arriscam-se a cair inocentes nesta justiça por conta própria.

Anónimo disse...

Infelizmente, traficantes não merecem outro destino...

FireHead disse...

direita,

«inglesa ,mas nem tanto.»

Pois não, até porque já morreu. Mas quando a traficante era viva, era sim uma inglesa, por muito que isso te custe engolir.

«ambas as irmãs tem "cara" de hispânicas/latino americanas.»

Até podem ter cara de hispânicas ou latino-americanas, mas, que porra para ti, a que morreu era inglesa e a que está viva também é inglesa. Chatice, pá!

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Infelizmente é verdade, mas qual é a alternativa uma vez que as Filipinas já bateram no fundo e são necessárias medidas drásticas para reverter a situação? Muito possivelmente antes do Duterte muitos eram os inocentes que morriam e que não tinham quem lhes fizesse justiça.

FireHead disse...

Anónimo,

Atenção que os traficantes não têm necessariamente que morrer. Os que se entregarem à justiça são poupados. O mesmo em relação aos drogados. O Duterte ainda sabe poupar a vida aos que se arrependem.