terça-feira, 20 de setembro de 2016

Stôra negra sexy


Há mais uma stôra sexy que se tornou conhecida lá nos States, agora uma neguinha: Patrice Brown, docente de crianças entre os nove e os dez anos numa escola em Atlanta. Ela é tão sexy, mas tão sexy, que está a ser alvo de críticas devido à forma como se veste para dar aulinhas às crianças.
Felizmente há sempre gente que defende a liberdade de Patrice de vestir-se como ela bem entender, mas também há quem considere o seu visual "inapropriado para crianças desta idade", até porque "os rapazes mais novos já são uns perversos". "Só gostava que as pessoas me respeitassem e se focassem naquilo que realmente interessa, que é educar as crianças e as futuras gerações", explicou Patrice em entrevista ao Daily Dot.
Há rapazes muito novos que já são uns perversos, então não há? Ainda não há muito tempo atrás vi dois putos irmãos chineses que caminhavam à minha frente numa rua enquanto apalpavam a empregada indonésia deles, que os tinha ido buscar à escola, com a rapariga claramente desconfortável com a situação...

10 comentários:

wind disse...

lololol:)

Afonso de Portugal disse...

Demasiada bunda. O que as asiáticas geralmente têm a menos esta Patrícia Castanha tem a mais!

C disse...

Não há pretas sexy, são todas horríveis como o caralho, os nazis matavam judeus e ciganos não queriam matar os pretos, mas sim segrega-los como fez o apartheid, os pretos tem de ser exterminados, mortes aos pretos caralho.

C disse...

Os nazis focavam-se em exterminar os judeus, os pretos é que tem de ser exterminados, nem os nazis matavam pretos alguém vai ter de o fazer, caso não forem exterminados os pretos darão cabo da civilização ocidental, morte aos pretos caralho.

C disse...

A verdadeira questão não é a judaica mas sim a dos pretos, os nazis estavam errados o foco são os pretos, os pretos tem de ser exterminados, morte aos pretos caralho.

Portuguesinha disse...

Cá em Portugal a empregada indonésia dava duas chapadas aos putos e metia-os no lugar. É quando eles passam a linha e ninguém faz nada que está mal. Essa forma de interagir com uma mulher como um objecto lascivo é nojenta. Está errada. Refiro-me ao que viste, que acho inapropriado, inconveniente e muito alarmante no que respeita à formação de carácter e valores dessas crianças que um dia serão homens.

FireHead disse...

Wind,

Quem me dera a mim ter tido uma professora de primária assim como ela! :)

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Olha que agora há cada vez mais asiáticas muito bonitas e boas. Só de pensar que quando eu era pequeno elas eram quase todas porta-aviões e feias como o caraças. Parece que as raças também evoluem, afinal... :)

FireHead disse...

C,

Não há pretas sexy?? Isso eu garanto-te que há. Gostos não se discutem, e embora eu não aprecie pretas, não tenho problemas em admitir que também há pretas, ou melhor, mulatas muito bonitas. Ou agora vais-me dizer que a Alicia Keys, a Halle Berry, a Leona Lewis, etc. não são bonitas e boas como o milho?? Só um perfeito atrasado mental é que nega isso e os racistas têm muito de atraso mental.

Pois, estou a ver que para ti os pretos são a explicação de toda a desgraça do mundo...

FireHead disse...

Portuguesinha,

Opá, tu não sabes o que é que se passa por aqui. Também há empregadas domésticas filipinas ou indonésias que são responsáveis pela destruição de lares. Há homens que, pronto, tendo uma mulher mais nova, bonita e boa que as esposas em casa acabam por fazer coisas que mudam as suas vidas. E estes putos que eu referi podem perfeitamente ter andado a aprender com exemplos que vêem em casa. :)

O problema de muitas dessas empregadas aqui em Macau, como não são residentes e vivem aqui com o cartão de trabalhador temporário (e precário), é que não têm lá muitos direitos e geralmente as coisas até lhes podem correr mal se denunciarem. E depois ainda há quem pense que Macau é um paraíso ou um espectáculo... nada mais falso, isso é tudo uma ilusão. Em muitos aspectos isto ainda é pior que o terceiro-mundo e o pior é que vai aos poucos ficar cada vez mais parecido com a China.