quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Os «refugiados» na Alemanha passam férias nas suas terras?


É isto que diz aqui. Parece que foram os próprios «refugiados» que confirmaram a informação e tudo. Eles voltam para passar férias nas suas terras com o dinheiro dos subsídios que recebem dos contribuintes na Alemanha. Mas afinal a Síria, o Afeganistão e o Iraque não estão em guerra? Não são locais perigosos, daí eles terem pedido asilo na Europa para não morrerem?
Ah sim, claro, Credo, não podemos estar contra o acolhimento de invasores migrantes económicos jihadistas falsos refugiados porque isso é "racismo", "xenofobia" ou "islamofobia". Temos que ser sempre uns para os outros. Nem mesmo sabendo que há muitos dos nossos que passam por dificuldades. Na verdade, esses têm que ser preteridos pelos outros que vêm de fora. Se preciso for, tira-se o pão da boca dos nossos filhos para dar aos filhos dos outros. E acho que depois, quando acontecem coisas como esta dos «refugiados» irem de férias para as terras de onde fugiram, ainda é preciso que nós achemos graça e quiçá batermos palmas.
A cena é que graças à sua política suicida a Angela Merkel já pode ficar arrumada para o lado que nas próximas eleições alemãs poderá bem ganhar, a pedido, um partido "extremista" e "radical".

8 comentários:

Afonso de Portugal disse...

É o cúmulo do descaramento! Esta gente não tem mesmo vergonha nenhuma na cara! E pensar que, mesmo assim, continua a haver muito boa gente que se recusa a votar nos partidos "xenófobos"!

kruzes kanhoto disse...

Férias de refugiado?! Porra, essa cambada sabe-a toda!

Anónimo disse...

O islã surgiu como obra de Satanás.
Para fazer frente ao cristianismo que surgira, o diabo levantou um tal de Mau-ó-mé para fazer frente a Cristo. A Europa que se formou cristã,foi invadida por esses malditos e por lá ficaram séculos até serem expulsos por valorosos cristãos.
Agora estão de volta para fazer sucumbir a Europa (agora não mais cristã, mas pagã) e provavelmente conseguirão. Mas, porém, pode haver um milagre. Quem sabe cenas como essa aconteça um dia, muçulmanos saindo da Europa para nunca mais voltarem. Só não gostaria que fosse em meio a uma Europa mergulhada em chamas como acontece na Síria.
Será?!?!?!

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Isto é porque esses muitos por sistema estão impedidos de enxergar o óbvio. Eu conheço uns "mdoerados" que também são capazes de dizer a verdade sobre a crise dos refugiados (ou mesmo sobre o islão) - aliás, só quem é cego ou estúpido é que não vê as suas consequências nefastas como por exemplo não vêem os adoradores dos refugiados - mas que depois, no que diz respeito a ir votar, e volta e meia, não votam nos partidos que propõem resolver a crise por serem "extremistas". A influência da escória infelizmente é enorme e tolda o juízo dos que supostamente têm boas intenções e são minimamente sensatos.

FireHead disse...

Kruzes Kanhoto,

Pois é. Então e eles não têm o direito de ir de férias para a terra de onde fugiram?? Eu acho que têm todo o direito!! Os contribuintes que lhes paguem as férias!

FireHead disse...

Anónimo,

É óbvio. Se partirmos do pressuposto dos Salmos que todos os deuses dos pagãos são demónios, então é forçoso nós reconhecermos que o Alá, que é o deus da lua do panteão pagã de Meca, é também um demónio, logo o islão é um culto satânico. Aliás, o islão é com toda a certeza uma das invenções mais bem sucedidas do próprio Satanás, pois consegue fazer com que os seus seguidores acreditem que desprezar, violar, atacar ou matar os "infiéis" está certo e acima de tudo granjear simpatia dos não-muçulmanos, que caem que nem patinhos na cantiga de que o islão é a "religião da paz".

Anónimo disse...

http://agoraguenta.com/2016/09/18/islandia-pagara-a-jovens-africanos-5-mil-dolares-por-mes-para-casarem-com-islandesas/

Esta é a última novidade, já ouvi notícias de ocidentais a serem aliciadas a migrarem para os EAU porque o governo dá 3000$ mensais a quem casar com homens naturais dos Emiratos.

FireHead disse...

Eu também já li essa notícia... que parece que já foi desmentida.