quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O fim da Brangelina?


A famosa actriz Angelina Jolie solicitou o divórcio ao seu marido, o também famoso actor Brad Pitt. 
De acordo com o sítio TMZ, os documentos já foram entregues no tribunal e argumenta a Angelina Jolie que há "diferenças irreconciliáveis" entre eles os dois ao fim de 12 anos juntos. Além disso há ainda conflitos entre eles sobre a educação dos seus seis filhos, o que levou Angelina Jolie a requerer a custódia de todos eles sem exigir qualquer pensão ao Brad Pitt, até porque isso nem sequer é necessário.
Brad Pitt e Angelina Jolie conheceram-se quando contracenaram no filme Mr. & Mrs. Smith, era o actor ainda casado com a actriz Jennifer Aniston. Eles estão juntos desde 2004 apesar de só terem dado o nó 10 anos depois. E pronto, que chatice do caraças.

6 comentários:

Afonso de Portugal disse...

Mais um casamento hollywoodesco terminado? Que surpresa, pá! :O

FireHead disse...

Parece que a Angelina pôs um detective atrás do Brad e descobriu que ele a traiu com uma actriz francesa. Será verdade? Não percas o próximo episódio porque nós... também não!! Dragon Ball Z-Z-Z, energia total! Dragon Ball Z-Z-Z, em lutas contra o mal...

Lura do Grilo disse...

É uma imagem da decadência de Hollywood e da estrutura moral de uma nação cada vez mais irreconhecível.

Portuguesinha disse...

Bom, já que a imprensa parece insistir com este assunto e o feedback (pelo menos em portugal) parece ser nulo em interesse, deixem-me cá meter uma bosta de pescada, Kkkk

Tenho a sensação que não é fácil viver com a Angelina. Ela tem muitas nuances e dizem que é emocionalmente de «picos», digamos assim. Porque não acredito em instabilidade emocional, mas acho que ela vive numa procura constante de uma estabilidade que, ela, parece não conseguir alcançar, não por muito tempo.

Tudo na vida tem um começo e pode ter um fim. Inclusive casamentos e o deles não é diferente.

O chato é sempre uma família com filhos. Cada qual com uma ideia diferente de como devem ser educados. Angelina, pelo que sei, não teve um bom exemplo ou uma cultura familiar dita «normal». Brad não faço ideia, mas li algures uma vez que ia visitar a mãe e o pai e era bem «normal».

Um casamento entre duas pessoas que se sentem atraídas é sempre algo precipitado. Mas eles o construiram, foram tomando conta da relação dos dois, foram juntando filhos. Tiveram de lidar com doenças graves... Complicado. Lutaram, fizeram o que foi possível. Agora se terminar, terminou. O que importa foi o bom que viveram e o que ainda podem viver como ex casal, amigos, com filhos.

Quanto ao motivo, pouco me interessa. A relação desgastou-se. O casamento ao fim de 10 anos de união geralmente é um sinal disso mesmo, eheheh. Que vivam os dois bem e com saúde.

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Mas, também, se eles já não estão bem... porque não separarem-se mesmo?

FireHead disse...

Portuguesinha,

Qualquer que seja o divórcio ou a separação é sempre uma enorme derrota. Uma enorme derrota pelo tempo vivido e por todas as dificuldades que chegaram a ser superadas.

Eu acredito que as relações podem mesmo funcionar. Não acredito nos que dizem que o amor só é eterno enquanto duro e que é "normal" os casamentos terminarem. É verdade que infelizmente muitos casamentos têm terminado em divórcios. Mas também há casamentos que são eternos. E eu felizmente conheço bem de perto casos destes. Portanto não andemos com tretas. Se as pessoas querem que os seus casamentos sejam eternos então que lutem por eles!

Com isto eu posso estar a parecer um daqueles retrógrados ou old-fashioned. Nada mais falso. Eu sou a favor de que, mal por mal, mais vale só que mal acompanhado. É claro que eu não aconselho o divórcio aos casados, mas compreendo que se duas pessoas já não se toleram nem se suportam mutuamente, juntas é que não podem estar.

Se duas pessoas não têm a certeza que conseguem estar juntas para sempre, pois que não se casem. E se casarem, que o façam apenas civilmente, que isso ao menos não é reconhecido pela Igreja.