quarta-feira, 7 de setembro de 2016

O bordel de Kandapara

O Bangladesh, um país muçulmano que é também dos países mais miseráveis do mundo, tem cerca de 157 milhões de pessoas que vivem em condições muito precárias (mais de 30% delas vivem mesmo abaixo da linha da pobreza). Todavia, apesar de toda a pobreza e do islão, a prostituição curiosamente até é legal e as fotos que se seguem foram tiradas no bordel de Kandapara, na cidade de Tangail onde vivem mais de 700 profissionais do sexo, pela fotógrafa alemã Sandra Hoyn para o projecto The Longing of Others ("Os Desejos dos Outros").

Prostitutas à espera de clientes nas portas do bordel
A prostituta Kajol, que foi casada e tem um filho, tem 17 anos e foi vendida pela sua própria tia
Asma tem apenas 14 anos, nasceu no bordel e é prostituta há menos de um ano
Pakhi, de 15 anos, foi parar ao bordel depois de ter fugido de casa após o casamento
Meghla, de 23 anos, foi enganada por um homem que a vendeu ao bordel aos 12 anos
Preservativos usados no exterior do bordel
Dipa, de 26 anos, chora por se ter engravidado de um cliente
Gémeos filhos de uma prostituta de 20 anos e de um dos seus clientes
O bordel de Kandapara é o mais antigo, com mais de 200 anos, e o segundo maior do Bangladesh

8 comentários:

wind disse...

Credo, as caras delas são de sofredoras! E serem vendidas? Onde estão os direitos humanos?
Que porcaria de vida para estas mulheres!:(

Lura do Grilo disse...

Que miséria humana. Tenho uma grande pena por quem se prostitui por necessidade.

CÉU disse...

Incrível! Nunca imaginei uma situação destas num país muçulmano. As miúdas têm histórias de vida confrangedoras e os tipos parece k não "comem" há seis meses.

Então, e a fuga não será possível? Sabe, FireHead, isto não é só um bordel, é uma exploração, um não ter saída. A 2ª imagem causa-me repúdio (o homem não tem mais braços). Coitadas, não consideradas coisas, objetos. Que tristes sinas!

FireHead disse...

Wind,

Os Direitos Humanos? Isso é uma coisa muito relativa...

FireHead disse...

Lura do Grilo,

Quem tem o mínimo de sensibilidade só pode ter mesmo pena. Mas não dizem que a prostituição é a profissão mais antiga do mundo? Há que respeitá-la, é isso?

FireHead disse...

CÉU,

É triste, mas infelizmente é esta a realidade. Se não fosse a jornalista alemã, possivelmente nenhum de nós saberia que esse bordel existe.

Afonso de Portugal disse...

Parece que quem gosta destas coisas é o "anónimo"...

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Será que eu devo passar a obrigar todos os comentadores a identificarem-se?