domingo, 11 de setembro de 2016

Mulheres de calções são "prostitutas sujas"


Duas famílias que estavam em Toulon a passear de bicicleta foram atacadas por um grupo de jovens muçulmanos só porque duas mulheres estavam de calções. Estas foram acusadas de ser umas "prostitutas sujas" e o sucedido levou a que já se falasse da existência da polícia da sharia também em França.
O procurador Bernard Marchal disse que os homens (das duas famílias) disseram simplesmente aos muçulmanos para respeitarem as suas mulheres e foi assim que começou a zaragata, mesmo em frente às crianças, captada pelas câmeras CCTV, o que permitiu às autoridades identificarem os agressores.
Um mês antes, e como deveis estar lembrados, uma rapariga de nome Maud Vallet foi também insultada e atacada por um grupo de muçulmanas por estar a apanhar sol de biquíni num parque. Em modo irónico, Maud colocou depois do sucedido uma foto sua no Facebook com a frase "Bom dia, eu sou uma cachorra"...


A rapariga de 18 anos perguntou às muçulmanas porque é que lhe chamaram "prostituta" por estar de fato de banho enquanto que um homem de tronco nu não é insultado. "Porque tu és uma mulher e deves respeitar-te a ti própria, sua idiota!", responderam-lhe assim. Por causa disso, cerca de 80 mil pessoas assinaram uma petição de apoio à Maud em nome da "igualdade de género" e porque as liberdades de França estão em perigo. Mas porquê, se toda a gente sabe que não existe nenhuma islamização em França ou em qualquer outra parte?

11 comentários:

Anónimo disse...

Tai uma coisa boa dessa imigraçao islâmica : o freio a libertinagem e ao imbecil culto ao corpo.

Anónimo disse...

"Tai uma coisa boa dessa imigraçao islâmica : o freio a libertinagem e ao imbecil culto ao corpo."

Oh brasiluleiro burro do caralho, o problema não é o culto ao corpo das mulheres brancas, antes pelo contrário, elas devem é andar lindas e magras.

O problema é a escumalha toda que anda aí á solta inclusive os islamicos do norte de África e Ásia que deviam era voltar para a terra deles só com bilhete de ida.

FireHead disse...

Pois... Com a imigração islâmica, qualquer dia as ocidentais vão pagar bem caro. Qualquer dia é burqa para todas e as que não acharem piada a isso é racista, xenófoba ou islamofóbica - os chavões do costume. Agora até há feministas que acham piada e concordam que se deve usar a burqa e estas coisas todas, que isso é sinal de progressismo... Portanto progride-se regredindo, está bem.

Os muçulmanos sabem-na toda. As ocidentais bem que precisam de usar a burqa porque assim não serão violadas. As mulheres que andam sem burqa são as "infiéis" e estas podem ser legitimamente violadas. Daí ter havido tantas violações no Ocidente como consequência do aumento do número real de muçulmanos. Mas ya, deixem-nos entrar, que há crianças e mulheres indefesas no meio da esmagadora maioria de homens em idade de ir para a tropa.

Afonso de Portugal disse...

Anónimo disse...
«Tai uma coisa boa dessa imigraçao islâmica : o freio a libertinagem e ao imbecil culto ao corpo.»

Baboseira. Com a burca os homens nem sabem o que tem debaixo. Pode ter uma gorda feiosa.Até pode ter pila!

...E por falar em burca:

http://www.telegraph.co.uk/news/2016/09/09/british-police-force-says-it-may-allow-female-officers-to-wear-f/

Mas antenção, a islamização é um mito, pá!

FireHead disse...

«Baboseira. Com a burca os homens nem sabem o que tem debaixo. Pode ter uma gorda feiosa.Até pode ter pila!»

Então, isto é mais um excelente motivo para não haver violações! O que os olhos não vêem, o coração não sente. Ou melhor, o que os olhos não vêem, a picha não sente. :)

«Mas antenção, a islamização é um mito, pá!»

Desde que um anónimo disse aqui que a islamização não existe porque os muçulmanos ainda não são pelo menos 51% da população dos países ocidentais, fiquei elucidado. Os países do Ocidente com mais muçulmanos, sem contar com as Albânias e Kosovos, têm uma população islâmica no máximo de 6% (Bélgica, ainda ontem li isso algures - e não 25%, como dizem as fontes mais "tendenciosas" e "islamofóbicas"). Portanto o "ainda" é a palavra-chave.

Afonso de Portugal disse...

Era realmente esperto esse "anónimo". Tão esperto, que nem sequer foi capaz de usar a Wikipédia, que é o mínimo dos mínimos:

https://en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Kosovo#Religion
https://en.wikipedia.org/wiki/Religion_in_Bosnia_and_Herzegovina

Quanto à islamização, 51% representa a população islâmica mínima de um país que já está islamizado. Até lá, o processo de presença e influência crescente do Islão chama-se islamização e ocorre não só ao nível demográfico mas sobretudo ao nível dos costumes, das leis e das tradições.

Resumindo e concluindo, esse "anónimo" era uma valente besta. Mas isso nós já sabíamos.

FireHead disse...

50,7% é 51%, pá. É só arredondar. :P

Eu também sempre tive ideia de que tanto a Bósnia como a Albânia são países de maioria islâmica. E são. Onde é que anda o cromo do capadinho brasucagueiro para dizer agora que a culpa é do DNA? Ou o Broche para dizer que não tem nada a ver com o islão?

Sim e depois também há isso que referes. Pessoalmente, o mais assustador para mim é o aumento imparável do número de mesquitas na Europa e agora estes casos como o dos véus, o burkini e a comida 'hahal'. E já nem falo dos problemas mais graves como as violações que se tornaram possíveis graças à imigração muçulmana. Infelizmente há pessoas que teimam em não ver estas coisas - ou melhor, verem elas até vêem, mas assobiam para o lado e inventam argumentos tolos para justificarem a sua existência.

Portuguesinha disse...

Que «bom» vir ao teu blogue...
A abrir são notícias de mulheres raptadas e forçadas a se prostituirem, assassinadas pelos maridos, agredidas e verbalmente insultadas por estarem de calções, aconselhadas a calçar ténis para fugir de violadores refugiados... Ai! Vida de mulher é mesmo uma delícia! :P
De facto não se entende porque elas, «no mínimo», não se limitam a não engordar para satisfazer os seus homens :PPPP

FireHead disse...

Estás para aqui a falar, mas doutra vez escreveste valentes testamentos a propósito daquele casal de psicopatas canadianos lá no teu blogue. :P

A vida de mulher é mesmo capaz de ser uma delícia sobretudo se ela for muçulmana. Ainda ontem coloquei uma foto catita no meu outro blogue em que mostra uma muçulmana de véu e com uma frase que diz que na terra dela ela não pode falar, mas no Ocidente ela goza da liberdade para falar mal do país que a acolheu e das suas leias, esperando que um dia o país que a acolheu se torne igual à terra de onde ela é que é para não poder falar...

Olha que isso do não engordar não é só para satisfazer os homens. É acima de tudo por motivos de saúde. :P

Afonso de Portugal disse...

Vejo que a Portuguesinha ainda não conseguiu perder peso. Só assim se explica comparar a vida das mulheres "enriquecidas" pelos muçulmanos com a vida das mulheres ocidentais.

#SaveTheWales

FireHead disse...

Olha, eu também ainda não consegui perder peso. Foi só eu deixar de praticar Kenpo que comecei logo a criar a pancinha. E no entanto agora como bem menos do que quando era magro. Deve ser do metabolismo, que abranda com o avançar da idade...