sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Ministro alemão diz que os refugiados têm de voltar para as suas terras...


... simplesmente por causa das suas culturas que fazem com que eles não consigam integrar-se na Alemanha e quem diz Alemanha diz outro país civilizado qualquer.
Markus Söder, ministro das Finanças da Baviera, ou Bavária, terra do Papa Bento XVI, afirmou ainda que os alemães não querem uma sociedade multicultural (tirando, é claro, os suicidas de esquerda e demais traidores da nação alemã) e que muitos requerentes a asilo constituem, como já ficou mais que provado, um preocupação para a segurança nacional uma vez que pouco se sabe verdadeiramente sobre eles. "Mesmo com a melhor das intenções do mundo, não é possível integrar com sucesso toda essa gente com uma identidade cultural completamente diferente. Quem quiser viver aqui tem que se ajustar aos nossos valores e não vice-versa", disse Markus Söder, de 49 anos, que entende que os refugiados têm que voltar para as suas terras num espaço de três anos, até porque muitos países de origem deles, como o Iraque e o Afeganistão, já não são propriamente considerados lugares perigosos. "A guerra civil na Síria vai também acabar em breve. De acordo com a legislação, as pessoas têm que regressar às suas terras quando a razão da sua saída já não for mais válida". Sim, que afinal de contas é isto mesmo que significa ser refugiado.
A Angela Merkel, cuja popularidade tem vindo a decair (menos de metade dos alemães estão agora do lado dela) graças à sua política suicida de portas abertas e que já custou e continuar a custar imensos dissabores aos alemães, sobretudo às mulheres, foi acusada de já ter deixado entrar na Alemanha mais de 1 milhão de refugiados desde o ano passado, ainda por cima gente que não foi devidamente seleccionada.
E quem diz a verdade não merece castigo!

2 comentários:

Afonso de Portugal disse...

«E quem diz a verdade não merece castigo!»

Eu desconfio que o Sr. Söder vai ser castigado... quem se mete com a superclasse mundialista, leva!!!

FireHead disse...

No entanto o povo alemão parece cada vez mais decidido em surpreender nas eleições, pois a AfD continua a crescer a olhos vistos. :)