quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Mais um negro abatido lá nos EUA...


... e uma vez mais a escumalha saiu à rua gritando "racismo!" e outros tipos de insultos contra a bófia de Charlotte enquanto provocava distúrbios na cidade.
O que aconteceu foi o seguinte: segundo a polícia, o afro-americano Keith Lamont Scott estava com uma arma de fogo que "representava uma ameaça de morte iminente para os agentes". Segundo a família do Keith, o que ele transportava era... um livro. Já agora, o agente que abateu Keith chama-se Brentley Vinson e... também é um afro-americano. E não foi o primeiro polícia afro-americano a matar em serviço um afro-americano...
E agora, hein? Também é racismo?

2 comentários:

Afonso de Portugal disse...

Claro que é racismo! Tudo é que é preciso fazer é omitir a informação que escreveste no último parágrafo sobre a raça do polícia e pronto, já podemos dizer, com toda a naturalidade do mundo, que foi racismo!

Pelo menos, é isso que os mé(r)dia ocidentais, incluindo os "tugas", estão a fazer.

FireHead disse...

Não te esqueças que não é só o racismo. Agora que neste caso o racismo não cola, os pretos do BLM sempre podem alegar violência policial excessiva. Afinal de contas o preto que foi abatido era um homem de bem, até levava um livro com ele, muito possivelmente a Bíblia, pois ele era um homem todo religioso. Aliás, no exacto momento em que foi baleado ele ia à Missa e tudo.