segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Islão: o que os outros dizem

Pamela Geller: a Itália expulsou um imã marroquino depois deste ter-se recusado a aceitar a Constituição italiana para poder... adquirir a nacionalidade italiana. O alógeno de 33 anos já foi enviado de volta para Casablanca, confirmação feita pelo ministro do Interior Angelino Alfano, que revelou que o muçulmano afirmou que as leis italianas são uma "colecção de pecados atrás de pecados", como por exemplo a igualdade de género, e que o islão é incompatível com as leis fundamentais de Itália, o que é simplesmente a mais pura das verdades...

Estiveste bem, Angelino Alfano, estiveste bem...
TVI 24: três muçulmanas que já estavam na mira das autoridades, de 29, 23 e 19 anos, foram detidas em Paris por armadilharem um automóvel para cometer um atentado terrorista contra a catedral de Notre Dame. Uma delas foi alvejada pela polícia e um polícia ficou ferido depois de ter sido atacado com uma faca.

"Maluquinhas", claro... como é que não hão-de ser "maluquinhas", né?
Breitbart: o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, finalmente admitiu que é necessário proteger as fronteiras! E porque é que ele finalmente admitiu tal coisa? Por causa da "migração ilegal descontrolada" que tem pelo menos um "poucochinho" a ver com o terrorismo e a criminalidade?

Só me apetece dizer que o Donald Tusk é um xenófobo e dos grandes!
CIJ News: no Canadá fazer filhos agora é um negócio para os refugiados sírios porque cada refugiado com mais de sete filhos recebe 6000 dólares canadianos por mês. Alguns desses refugiados sírios já até conduzem carros que custam 10 mil ou mesmo 20 mil dólares. "Nunca na minha vida eu fiquei em casa com alguém a dar-me dinheiro. Eu vim para o Canadá e o governo está a dar-me dinheiro. Isto é fantástico", disse um refugiado sírio entrevistado. Mais disse o refugiado que os seus compatriotas não quererão regressar à Síria mesmo depois da guerra acabar, pois no Canadá pode-se chular. Ainda assim, reconhece que o imã de lá é "fundamentalista" e que quer radicalizar os mais novos...

Mas não é suposto os refugiados sírios voltarem para  a Síria quando a guerra acabar?
Euronews: na Noruega, a cabeleireira Merete Hodne, de 47 anos, começou a ser julgada por se ter recusado a atender no seu salão de beleza a muçulmana Malika Bayan que usava um hijab, em Outubro passado, incorrendo agora numa pena de prisão que pode ir até aos seis meses devido à "discriminação religiosa". Alegadamente ligada aos movimentos "islamofóbicos", Merete chegou a dizer que o hijab era o "símbolo da ideologia islâmica" que para ela significava o mal...

A liberdade também tem destas coisas...
Breitbart: na Dinamarca, país onde mais de 84% dos parasitas da sociedade são de origem imigrante, uma escola secundária de Aarhus está a ser criticada por ter uma turma só com filhos de imigrantes sem dinamarqueses nativos de modo a evitar o êxodo dos estudantes brancos para outras escolas e também para evitar precisamente a... discriminação.

Segregação?? É racismo, racismo, racismo!!
Daily Mail: esta notícia já é de Janeiro passado, mas não deixa de ser actual: desde as violações em massa na noite de passagem de ano em Colónia, na Alemanha, a procura por aulas de educação sexual para adultos tem disparado na Noruega. Muitos migrantes muçulmanos precisam de ver as europeias nativas, como a da imagem de baixo, com respeitinho e mentalizarem-se que tal não significa que podem ter sexo com estas gajas mesmo que elas se vistam de forma provocante...

Aceita-se os migrantes e depois ainda se lhes ensina a comportar-se!
Speisa: lá na Alemanha as mulheres estão ser encorajadas a usar sapatilhas que é para poderem fugir melhor dos migrantes violadores! Isto porque o acolhimento de mais de 1 milhão de refugiados desde o ano passado fez com que a taxa de violação no país tivesse atingido um nível recorde...

Ora aqui temos um conselho de génio! É isso mesmo! Fujam, suas xenófobas!
Pamela Geller: o escritor antifa Ghislain Gilbertini e o seu filho de 12 anos foram brutalmente agredidos por quatro jovens muçulmanos que os insultaram chamando-lhes "brancos sujos", em Belfort, França. Ghislain é um conhecido esquerdista que com certeza ter-se-á já oposto aos "islamofóbicos" dos nacionalistas e patriotas, mas agora ele e a sua família têm sido alvo de ameaças por parte dos salafistas por causa do seu bestseller, Jihad. "Eu não insultei o islão no livro", disse Ghislain. Que chatice.

Se não insultou o islão e já é ameaçado, imaginenos se tivesse insultado o islão...
Alerta Digital: em Navarra, Espanha, um magrebino vandalizou uma capela queimando as imagens e como castigo está agora obrigado a estar sempre a pelo menos 10 metros de qualquer local de culto católico! Em tribunal, o alógeno reconheceu o que fez, não mostrou arrependimento e acrescentou que já ganhou um lugar no céu por causa disso...

Pronto, com isso dos 10 metros agora os locais de culto católicos já estão livres do perigo...

4 comentários:

Afonso de Portugal disse...

A notícia que mais me incomodou foi a da cabeleireira. Agora já se é obrigado a atender qualquer caramelo que nos apareça à porta? O que aconteceu ao direito de reserva de admissão?

FireHead disse...

Não vês que a islamofobia acaba sempre por falar mais alto? Os muçulmanos são umas das vítimas predilectas do sistema. O problema é quando eles se confrontam com os "grupos buchas", como diz o outro... mesmo assim, em regra os muçulmanos acabam sempre por levar a melhor...

Afonso de Portugal disse...

Até podem acabar por levar sempre a melhor, mas isso é por culpa dos judeus que os deixaram. Se o que acabei de escrever não fizer sentido, é porque tu és falsa oposição. :P

FireHead disse...

Ya ya, é isso, a culpa é dos judeus. Os judeus promovem o multiculturalismo e a islamização no Ocidente enquanto mantêm Israel um Estado puro. É por isso que os judeus que estão no Ocidente nunca sofrem perseguições por parte dos muçulmanos nem existem não-judeus em Israel, como por exemplo no Knesset ou nas forças armadas israelitas...