quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Gangues de «jovens» apanhados a roubar nas linhas de Sintra e Cascais

40 jovens ou «jovens» já foram apanhados a roubar nas linhas de Sintra e também de Cascais, diz o Diário de Notícias. Apesar da PSP ter antecipado a operação de reforço de vigilância, a criminalidade cometida por «jovens» voltou a tocar: três revisores agredidos, 14 assaltos a passageiros, 24 detidos e 16 identificados (ou seja, 40, no total) por furtos e roubos no interior das composições feitos. Este é o primeiro balanço da operação Verão Seguro (do início de Junho até fim de Agosto) nas linhas com maior volume de passageiros do país.
Mais informa o jornal que os revisores não gostam de falar destas coisas "porque têm medo, também vivem em localidades nas linhas de Sintra e Cascais e receiam cruzar-se com esses jovens". A situação mais grave foi a de "um revisor que ficou cego de uma vista depois de ter sido agredido no ano passado, à saída da estação Agualva-Cacém, por um grupo de jovens que o perseguiu depois de ele ter terminado o turno". Tudo porque o profissional os multou por viajarem sem bilhete. 
"Rui Ramos, 71 anos, residente em Agualva (Sintra), que frequenta a linha de Sintra há 40 anos, faz um retrato de insegurança: 'Algumas estações fecham cedo à noite, os comboios nocturnos circulam com poucas pessoas. Na estação de Agualva-Cacém estão sempre a rebentar com as portas e os alarmes a disparar'. Rui Ramos foi um dos fundadores e porta-voz da Comissão de Utentes da Linha de Sintra, onde esteve 25 anos. 'Desde que a PSP deixou de ter aquele corpo de polícia ferroviária que andava nos comboios e no metro, e que foi criado a pensar na Expo 98, tudo piorou a nível de segurança nas duas linhas. Eram 60 agentes dedicados diariamente à vigilância das linhas de Sintra, Cascais e ao metro', recorda. 'Algumas funções desses polícias foram para elementos segurança privada, mas não é a mesma coisa', lamenta".
É um fartar vilanagem parido pelo 25 de Abril, malta!! 25 de Abril, sempre! Fascismo nunca mais!!

8 comentários:

wind disse...

Opá isto já vem de há imensos anos, não é de agora!

Portuguesinha disse...

Ainda hoje mais cedo estava indecisa se devo ou não viajar nessa linha. Porque subitamente surgiu-me no pensamento a possibilidade de ser seguida e assaltada. Coisa que antigamente não me assolava o pensamento. É da idade? Acho que sim. E talvez também um misto de outras coisas. Tal como esses «jovens», quando se é «jovem» tem-se a vantagem de uma reacção rápida. Mas quando o peso do corpo pesa mais nos ossos mais frágeis... Não se pode mais contar com a agilidade que uma fuga ou qualquer reacção a uma «espera» ou «perseguição» exige.

Estranho. Ter-me ocorrido este pensamento e agora ler aqui estas estatísticas MA-RA-VI-LHOSAS :P

FireHead disse...

Wind,

Eu sei que já vem de há imensos anos. Mas de certeza que foi depois de 1974 ou será que nos tempos doutra senhora os revisores também ficavam zarolhos por multarem os que viajam sem título de transporte válido??

FireHead disse...

Portuguesinha,

Não me digas! Mas então onde é que fica aquela parte de em Portugal haver brandos costumes? Afinal também há criminalidade em Portugal?? Mas Portugal não é um país calminho onde as pessoas são muito simpáticas e receptivas?? Palavra que eu já não estou a perceber nada! E eu aqui a pensar que Portugal está muito melhor desde o 25 de Abril de 1974... FUI COMPLETAMENTE ENGANADO!!

Dr. No disse...

"Opá isto já vem de há imensos anos, não é de agora!"

Então, já podemos desculpar estes crimes como sendo tradição ou folclore urbano?

Portuguesinha disse...

Deixa-me viajar e depois te direi.
Se não voltar a actualizar o blogue, é porque fui esfaqueada e morri :P
Serei mais uma estatística no imprensa do dia que fala sobre a violência. Mas no dia a seguir já terei sido esquecida.
lol. Ainda acho que somos de brandos costumes. O que não quer dizer que não existam ovelhas negras com vontade de os contrariar. Principalmente ovelhas tresmalhadas de outros rebanhos.
Só achei coincidência. É que nunca tive receio de nada. Sempre fui de ir, fazer, descobrir, sem medos. A ausência de medo, já havia dito antes, não é assim algo tão bom, porque te pode deixar-te pouco consciente para os perigos. Se bem que agora, a sensação de sentir «medo», também não é lá muito boa... Voltei a ser destemida :P
O resto de uma boa semana

FireHead disse...

Dr. No,

Eu acho que ela queria dizer que estes crimes já aconteciam mesmo no tempo do Salazar, hehehe. :)

FireHead disse...

Portuguesinha,

Hmm... se fores mesmo vítima dessa escumalha (bato três vezes na madeira), muito possivelmente serás notícia no Correio da Manhã ou n'O Crime, que quanto aos outros meios informativos, vai lá, vai...

Sim, também me lembro do Portugal dos brandos costumes, sobretudo no interior... e em Lisboa mesmo assim já era assim-assim. Estou a falar dos anos 80 e inícios dos anos 90, período no qual até os meus amigos que viviam em Macua me diziam que Portugal era uma seca porque não se fazia nada por aí...

Agora as zonas africanizadas são bastante vibrantes. É claro que felizmente não chega ao ponto do Iraque ou da Síria, que é sempre a "bombar"...