segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Bom dia, Vietname!

A vietnamita Trần Thùy Linh é apaixonada por Portugal e pela língua de Camões, tanto assim é que criou um livro de português destinado a alunos vietnamitas que queiram aprender a nossa língua sozinhos. Trần Thùy Linh, ou simplesmente Lily, considera-se "vietnamita de coração e de raça" mas a sua passagem por Portugal, onde estudou português durante um ano na Universidade de Coimbra depois de ter previamente estudado a nossa língua na Universidade de Hanói, deixou-lhe uma "grande admiração pelo país e pelas suas gentes".
Em entrevista ao jornal Tribuna de Macau, Lily pretende com o livro facilitar o acesso à nossa maravilhosa língua por parte dos seus compatriotas emigrados em países lusófonos, "uma vez que o tempo disponível para frequentarem um curso de português, nesses países, é geralmente escasso devido aos afazeres laborais". No Vietname, informou ela, "mesmo nas grandes livrarias a literatura em língua portuguesa é praticamente inexistente", pelo que depois de regressar do curso de Língua e Cultura Portuguesas, que frequentou em Coimbra em 2013/14, Lily manteve a "paixão pelo idioma português e pelas vibrações positivas resultantes da estadia em Portugal e do relacionamento diário com os portugueses". "É toda esta experiência positiva que procuramos transmitir aos nossos concidadãos, através do método autodidacta. Tornando-os curiosos e motivando-os a descobrir e a aprender uma nova língua, de uma forma simples e fácil". Foi esta, aliás, um dos compromissos por ela assumidos quando se candidatou a uma bola de estudo em Portugal através da Fundação Oriente. Prometeu que "tudo faria para estimular e aprofundar o relacionamento entre o Vietname e os países da comunidade de países de língua portuguesa". "Espero também que este livro, ainda que de forma modesta, possa contribuir para fortalecer o relacionamento entre Portugal e o Vietname", acrescentou.
O relacionamento de Portugal com o Vietname já dura há 500 anos. Não se "pode ignorar que a língua de Camões foi durante quatro séculos o meio de comunicação entre os países da Ásia, no comércio, nos tratados entre países, nas relações bilaterais e nos contactos com os missionários europeus". Além disso, o português foi usado em termos comerciais, fazendo com que muitas pessoas aprendessem a língua e muitas palavras e expressões fossem assimiladas pelas línguas locais. "No Vietname, Francisco de Pina, um jesuíta português, foi, no século XVII, o pioneiro da romanização da língua escrita vietnamita, então anamita. O português foi usado como base alfabética para a escrita da língua vietnamita, o actual Quoc Ngu", recordou Lily. Apesar disso, considera que "ainda há muito por fazer nomeadamente no que concerne ao desenvolvimento das relações culturais entre ambos os países". "Tenho-me apercebido de que há cada vez mais vontade e disposição para a aprendizagem da língua e da cultura portuguesas. Mesmo aqueles que já possuem conhecimentos de português procuram aperfeiçoar os mesmos", afirmou, acrescentando que o número de alunos matriculados no Departamento de Língua Portuguesa da Universidade de Hanói tem vindo a crescer anualmente. Para além disso, "algumas universidades portuguesas têm firmado acordos de intercâmbio com a Universidade de Hanói, concedendo aos estudantes vietnamitas a possibilidade de poderem frequentar uma universidade portuguesa, muitos deles, ao abrigo do programa Erasmus". Porém, "infelizmente, ainda não é dado o devido valor à língua portuguesa" e "as oportunidades de trabalho para os licenciados em língua portuguesa são muito escassas no Vietname, obrigando-os a procurar alternativas no mercado de trabalho".
Lily reconhece que a língua portuguesa não é fácil de aprender e que de início até pensou em desistir. "Todavia, a minha paixão pela língua e a minha força de vontade acabaram por vencer e permitir que concluísse a licenciatura", afirmou. "Devido à distância entre Portugal e o meu país, esse ano permitiu-me perceber e entender o verdadeiro significado da palavra 'saudade', sem dúvida, uma das mais belas palavras da língua portuguesa", concluiu.

8 comentários:

Fatyly disse...

Gostei muito deste post, obrigado e para saber o significado "saudade" é sentir...tal e qual.

Beijocas e uma boa semana

CENSURADO AGAIN disse...

DIZEM QUE MULHERES SÃO BOAS COM LINGUAGEM POR DIFERENÇAS CEREBRAIS E ESSA DAI TEM QI DE ASIATICO SOMANDO AO RESTO DAI FUDEU NÉ PENA QUE ISSO NÃO HERDASSES DO TEU LADO ASIATICO KK FAIL

FireHead disse...

Fatyly,

Não tens nada que me agradecer, ora essa! De vez em quando este blogue também tem que ter postas interessantes, não é? :)

Beijinhos e continuação de uma boa semana!

FireHead disse...

CENSURADO AGAIN,

Tu é que és um autêntico falhado e se herdaste alguma coisa foi merda pura e grossa. Ah, é verdade, não és tu que tens sangue judeu? E ainda continuas aí todo vivaço da Silva a atacar os judeus como se não houvesse amanhã? Se fudeu, né? Daí até passares a odiar-te a ti próprio é só um pequeno passo. KKK

CENSURADO AGAIN disse...

Tu é que és um autêntico falhado e se herdaste alguma coisa foi merda pura e grossa.

KK VAI A MERDA CONFESSO QUE RI PACAS COM VC PEGANDO AR

CENSURADO AGAIN disse...

tens sangue judeu

DE MIL SECULOS ATRAS ISSO ATE IBERICOS TEM DUH

CENSURADO AGAIN disse...

ATE TU PODES TER SE BEM QUE ACHO QUE A MARRANADA SE CONCENTROU NAS ZONAS MAIS VELHAS DO MERDIL

FireHead disse...

Eu para ir à merda teria que ir para o pé de ti e tocar-te e isso eu não quero fazer.

Pois é, os ibéricos possivelmente também têm sangue judeu de há séculos atrás. E depois? Até eu próprio posso ter sangue judeu. Repito: e depois?

Tu e os aleijadinhos mentais é que têm problemas com isso, eu felizmente não.