quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Bebé nasce com... armadura?

Um bebé do sexo feminino nasceu lá na Índia coberto de placas brancas e grossas que fazem lembrar a pele grossa para protecção de alguns animais. A pele da pequena de 1,8 quilos era tão dura que até as pálpebras e os lábios dela se viraram do avesso!
Trata-se de um defeito genético raro que se chama Ictiose Arlequim - Ichthyosis Fetalis; Harlequin Fetus - e que afecta a formação da pele, criando camadas grossas que racham quando estão muito secas.
A criança acabou por falecer três dias depois de ter nascido, não suportando mais o seu estado crítico. Os médicos ainda tentaram fazer de tudo para salvá-la, mas ela acabou por morrer por envenenamento do sangue. Segundo os médicos, foi até um milagre ela ter sobrevivido ao parto. Os seus pais decidiram doar o corpo para a ciência na esperança de ajudar os que sofrem da mesma doença.
A Ictiose Arlequim pode ser detectada aos quatro meses de gestação, mas a família do bebé vem de uma situação de pobreza extrema, pelo que não pôde fazer os exames pré-natais. No entanto, é possível viver com esta doença que não tem cura (diz o Diário de Biologia que os pais consaguíneos têm maiores probabilidades de ter um bebé com Ictiose Arlequim). A solução passa por tomar banho várias vezes por dia de modo a amolecer e remover rapidamente as camadas grossas da pele, bem como usar constantemente creme hidratante.


A americana Stephanie Turner, de 24 anos, é a pessoa mais velha no seu país com esta condição, pois superou em muito a expectativa de vida dos que sofrem desta doença e que é de três anos de idade no máximo. E Stephanie leva uma vida perfeitamente normal, sendo casada e mãe de dois filhos saudáveis.

6 comentários:

Portuguesinha disse...

«Roubas-te» bem a notícia.
Não é surpreendente?
Focas-te os aspectos aos quais quis fazer referência nas parcas palavras que o assunto me gerou. Já ouvi falar de tantas doenças raras. E por mais que fossem difíceis, até lidava com a realidade destas relativamente bem mas esta surpreendeu-me realmente. O recém-nascido... pobrezinho!

Mas depois li sobre a americana e foi uma grande surpresa. Contudo, deve ser muito difícil viver com uma condição destas. Chiça, que a natureza está sempre a surpreender-nos com raridades cada vez menos «apetecíveis». :(

Ivan Baptista disse...

Os filhos de pais consanguíneos, nascem com uma maior probabilidade de saírem com problemas de fabrico :/

Anónimo disse...

Essa doença é muito estranha :/

FireHead disse...

Portuguesinha,

Eu avisei-te que ia roubá-la, não te avisei? :)

Sim, é surpreendente. Nem sequer sabia que existia tal doença. É por estas e por outras que nós devemos sempre lembrar-nos que, apesar de todas as nossas dificuldades e também azares, afinal até somos uns sortudos por ao menos termos (alguma) saúde que é para continuarmos a andar por aí com (alguma) qualidade de vida.

Quanto à americana, ela é sem dúvida nenhuma uma lutadora! Que o exemplo dela possa chegar a todos os que sofrem desta terrível doença, para que eles saibam viver com ela de modo a levar a vida de maneira mais normal possível.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

É por isso que lá nas islamolândias frequentemente aparecem verdadeiras aberrações humanas por causa de relações entre primos e outros familiares relativamente próximos.

FireHead disse...

Anónimo,

É. E infelizmente não tem cura. Quem a tem precisa de aprender a viver com ela.