sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Pacquiao quer a pena de morte nas Filipinas

Manny Pacquiao e Rodrigo Duterte em primeiro plano
O antigo pugilista filipino Emmanuel "Manny" Pacquiao, hoje senador, apresentou à Câmara Alta das Filipinas três propostas de lei com vista a instaurar a pena de morte no país para os crimes atrozes, incluindo os relacionados com drogas, conta o jornal Manila Bulletin. O antigo campeão de boxe apresentou o projecto legislativo depois de ter uma reunião com o presidente filipino, o ditador Rodrigo Duterte, que também deseja "o regresso da pena de morte e eu, certamente, também quero". Ex-católico e hoje um protestante fervoroso, Pacquiao, que defendeu a campanha contra a criminalidade impulsionada pelo novo líder filipino, sustenta que a pena de morte tem base bíblica e que ser religioso é importante para o líder de uma nação, pois o sucesso não vem sem a orientação do Senhor.

8 comentários:

Anónimo disse...

Já ouvi na TV que o Trump perto desse Duterte é um democrata. Não sei muito sobre ele, mas se causa calafrios no esquerdalho, deve ser levado em conta.

FireHead disse...

Sim, o Duterte é muito mais "extremista" que o Trump. Não foi à toa que ele, enquanto responsável pela localidade de Mindanao, transformou uma das cidades mais perigosas das Filipinas num dos sítios mais seguros. O segredo? Precisamente a pena de morte e o julgamento sumário. O povo filipino, farto que está da corrupção e da criminalidade, preferiu abdicar da sua liberdade mas ao menos ter como consequência mais segurança e justiça. Se o Duterte conseguir agora fazer com o resto do país o que fez com Mindanao será bom não apenas para os próprios filipinos como também para os turistas que anualmente visitam as Filipinas.

wind disse...

Sou contra a pena de morte e contra ditadores!

FireHead disse...

Eu por princípio também sou contra a pena de morte, daí ser contra o aborto ou a eutanásia. Uma vida é sempre uma vida e o direito humano mais fundamental de todos eles é o direito à vida.

Quanto aos ditadores, lembro-te que o Duterte foi democraticamente eleito pelo povo filipino. Sim, foi o povo filipino que fez questão de eleger um ditador para pôr ordem na merda em que se tornaram as Filipinas às custas de governantes que não são ditadores.

wind disse...

Mas as Filipinas sempre tiveram Ditadores! lololol

FireHead disse...

Ditadores ou seguidores da "ditamole". O facto é que os outros só fizeram porcaria e agora este tenciona meter ordem em todo o país como meteu lá na terra, empestada de crimes que estava, onde ele governou com mão de ferro. O povo filipino reconheceu esta qualidade nele e votou nele. Tens de deixar de pensar que a democracia só é bonita quando é para eleger gente que tu gostas. :)

Afonso de Portugal disse...

Não sei porquê, mas o visual do Pacquiao faz-me lembrar um actor porno do virar do século!

FireHead disse...

Parece um bocadinho, mas o visual do Duterte não lhe fica assim muito atrás. :)