quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Mais um padre enriquecido...


... por um muçulmano que tem muita cultura vibrante para oferecer ao Ocidente. Desta vez a vítima foi um frade missionário franciscano de nome religioso Job de Jesus e que estava num café na sua terra natal, Cartagena, no sul de Espanha, para onde tinha ido visitar familiares. O alógeno, um marroquino de cerca de 35 anos, disse-lhe assim: "Tu és espanhol, tu és de cá, portanto se és deves ter medo de mim, eu sou um árabe. Filho da puta, eu vou matar-te!". Depois partiu uma garrafa e tentou usá-la como arma contra o frade, mas foi travado por dois compatriotas seus.
O frade não tem dúvidas: o ataque foi claramente movido pela Cristianofobia, algo que não existe para tipos como o Papa Francisco. O certo é que esse muçulmano, que parece ser outro Maomé, estava disposto a fazer o trabalho que a esquerda e os anticristãos em geral não querem (ainda) fazer mas que já fizeram no passado, assim de forma directa. Ah, outra coisa, eu sempre pensei que os marroquinos fossem berberes, e não árabes...
Que São Tiago Mata-Mouros proteja a Espanha nascida da Reconquista Cristã.

15 comentários:

Lura do Grilo disse...

Ontem um padre e fiéis, protestando contra a demolição ou venda de uma igreja, removidos dessa igreja à força pela polícia de França.

Ainda ontem um ataque à facada em Londres

FireHead disse...

Mas em França há a justificação de que o número de cristãos fiéis são cada vez menos e que há cada vez mais igrejas vazias a ocuparem espaço, pelo que eles podem e devem transformar-se em mesquitas, não é assim? Resta é saber quantas igrejas é que são construídas, por serem permitidas, lá nas terras islâmicas...

Pelo que estou a ver, este frade, que teve a coragem de falar da Cristianofobia, não alinha com o pensamento único e vigente dos lobos disfarçados que empestam a Igreja, a começar logo pelo Papa.

Afonso de Portugal disse...

Sobre o ataque à facada mencionado pelo Lura do Grilo:

https://www.youtube.com/watch?v=JUFzOsv3nBI

Repare-se como a politcamente correctíssima Euronews tenta desculpabilizar o alógeno!

Afonso de Portugal disse...

Pois é... os padres quiseram os refujiadistas, agora desfrutem!

Douglas Sulzbach disse...

A Europa está desmoronando, e o mais triste, é que todos os demais países cristãos estão indo junto: relegando suas crenças e permitindo a entrada desenfreada de imigrantes sírios muçulmanos (começou na América do Sul agora, o próximo alvo do Islã).

Adilson disse...

As orações por essas almas devem ser feitas. Agora, a resistência também. Já em vários casos já se percebeu, quando alguém ou um grupo parte pra cima dessas bestas logo os tais recuam. Por outro lado, já vi muçulmanos agredirem com violência e tapa na cara, enquanto outros ficam só a olhar. Infelizmente, eles já perceberam esse perfil psicológico do medo. Por isso é importante que nossas crianças não sejam criadas como mocinhas ou com o bom mocismo do politicamente correto! Ainda bem que havia quem o impedisse.

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Falei disto hoje. :)

Quanto aos padres, tens a certeza que todos eles quiseram os refugiadistas? Generalizar é perigoso, meu.

Se quiseres também posso dar-te exemplos de ateus, pagãos ou agnósticos que quiseram e ainda querem refugiadistas também...

FireHead disse...

Doulgas Sulzbach,

Eu acho que sempre dá para termos uma réstia de esperança em relação aos verdadeiros países cristãos da Europa (e aí faço o favor de incluir também os ortodoxos). Com lideranças fortes como as que temos visto na Polónia, Hungria, Eslováquia, Rep. Checa ou Rússia, acho que é possível ainda acreditarmos que não é toda a Europa que está a ir pelo ralo abaixo. Os que estão a ir de mal a pior são precisamente os países mais apostatados e rendidos ao secularismo, em regra são também os mais visados pelo terrorismo islâmico.

FireHead disse...

Adilson,

Segundo a notícia, quem travou o sarraceno foram dois compatriotas seus, portanto muito possivelmente dois muçulmanos, e isso poderá servir, se é que já não serviu, de trunfo para o politicamente correcto, que assim pode sempre dizer que afinal dois muçulmanos armaram-se em heróis e impediram que um outro muçulmano fizesse uma asneira das grossas.

Faz-me lembrar o outro que, afundado pelo seu amor pelos refugiados, alertou-me para uma notícia de dois refugiados terem detido um pedófilo que queria fazer mal a uma menina, o irónico é que esse pedófilo era igualmente um refugiado! Tipo, só mesmo para dizer que nem todos os refugiados são maus e tal... O problema não é haver refugiados que não são maus, mas sim o contrário!

Este padre pelo menos teve a coragem de invocar a Cristianofobia. Se fossem outros defenderiam logo o islão e os muçulmanos dizendo que acontecimentos destes não reflectem os ensinamentos do pedófilo, escravizador e exterminador do Maomé...

Afonso de Portugal disse...

«Quanto aos padres, tens a certeza que todos eles quiseram os refugiadistas? Generalizar é perigoso, meu.»

Todos não, mas a mairia quis. E continua a querer! É por isso que eu não tenho pena nenhuma quando são "enriquecidos"!

Quanto a "generalizar", os medicamentos que tomamos são aprovados com base em testes laboratoriais a partir dos quais se generaliza... se calhar, o melhor é mesmo não tomarmos mais medicamentos quando estivermos doentes! Porque generalizar é perigoso, meu! :P

FireHead disse...

Uma maioria... hmmm... não sei. As vozes oficiais de facto são a favor, isso é inegável.

Sim, generalizar é perigoso. Ou achas que os que não têm culpa (neste caso, os que não são a favor dos refugiadistas) podem e devem levar por tabela? Parece-me que estás a cair no erro dos dois brasucagueiros que bem conhecemos. Um deles diz que é tudo culpa dos judeus, mas todos mesmo, Bar Refaeli e até mesmo a Daniela Ruah incluídas, e para o outro é tudo uma questão do DNA, ou seja, todos os não-brancos são escória (no caso do KAPS é tudo o que não é "nostrático") e se houver branco que é escória então é porque não é verdadeiramente 100% branco mas sim mestiço. Oh, haja pachorra...

A propósito dos medicamentos, eu não os tomo e sinceramente já nem sequer me lembro quando é que foi a última vez que eu tomei medicação. Talvez ainda era menor de idade...

Douglas Sulzbach disse...

Sim, a esperança do continente europeu reside justamente na parte leste, na conservadora Polônia, na República Checa e países em volta, pois são os únicos "islamofóbicos" do continente, os únicos que dizem a verdade e não aceitam a entrada desses invasores. Incluiria a Finlândia também, ela parece ser a exceção na Escandinávia no tange à islamização.
Esses dias durante a Jornada da Juventude, ouvi dizer que o índice de ateísmo cresce a passos alarmantes na Polônia, cada vez menos católicos praticantes, bom, espero que aí resista então o nacionalismo, porque lá parece ser o futuro da Europa (ou o que sobrar dela).

FireHead disse...

O ateísmo é um irmão do comunismo, ou seja, da esquerda, e polaco que é polaco de verdade despreza o comunismo até à medula. Que existam ateus, agnósticos ou até mesmo pagãos, mas que eles sejam sempre uma insignificante minoria que é para não causarem mossa nenhuma.

Apesar de andar muita gente a fazer toda a questão de separar a Igreja da Nação polaca, afirmando sempre a mesma ladainha de que o Cristianismo é incompatível com o nacionalismo, a Polónia vai continuando a dar mostras de que eles não só estão errados como são uns parvalhões. A própria Igreja da Polónia está a dar uma verdadeira lição de Cristianismo à própria Cúria. A Igreja continua a ter uma enorme força na Polónia e a Polónia é um país governado por nacionalistas. Esta é a mais pura das verdades, por muito que doa aos "nacionalistas anticristãos" que muito deveriam adorar de ver Portugal e outros países europeus igualmente a ser governados por nacionalistas como a católica Polónia.

E depois também temos outros países, nas pessoas dos seus líderes (Fico, Orbán, Putin, etc.), que já vieram publicamente defender os valores cristãos da Europa contra a ameaça islâmica e o politicamente correcto. Já a carneirada da Merkel ou do Hollande prefere antes falar dos valores fundamentais da Europa como a liberdade, mas convenientemente nunca se refere às origens cristãs do Ocidente, eles são laicos e laicizados, daí até agora serem incapazes de chamar os bois pelos nomes e dizer frontalmente que o islão é um perigo.

Acredito que estes países do leste serão a última resistência europeia, mas, é claro, com o tempo as coisas podem perfeitamente mudar e passar de mal a pior. É urgente uma recristianização da Europa e da América antes que seja tarde, caso contrário o futuro do mundo vai deixar de contar com o Ocidente.

Afonso de Portugal disse...

Olha, parece que afinal este padreco só teve o que merecia:

https://www.jihadwatch.org/2016/07/france-church-of-priest-murdered-by-jihadis-donated-land-for-mosque-relations-are-normally-very-good

FireHead disse...

Estás a falar do Pe. Hamel e disso eu tanto sabia como já até tinha falado. O problema é que isso é um pau de dois bicos. Se tu ajudas os muçulmanos, eles matam-te, como aconteceu com o Pe. Hamel. Se tu não os ajudares e, ao invés, estiveres contra eles, eles matam-te na mesma por seres um inimigo. Logo, não me parece que ele tenha merecido a morte. Isso fica para todos aqueles que querem considerar o crime bárbaro um acto de justiça poética ou mesmo do karma.