quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Islão: o que os outros dizem

Daily Mail: na Indonésia, um selvagem muçulmano armado com uma faca tentou matar um padre que estava a rezar a Missa dominical. O padre, Albertus Pandiangan, de 60 anos, ficou apenas ferido no braço esquerdo porque os fiéis presentes na igreja conseguiram evitar a tempo o pior. A Indonésia é a maior nação islâmica do mundo e tem sofrido muitos atentados terroristas.

Ivan Armadi Hasugian acabou detido. Tem 18 anos e ligações ao Estado Islâmico
Weasel Zippers: por falar no Estado Islâmico, o grupo terrorista lançou mais um vídeo de propaganda, como anda sempre a fazer, mas desta vez mostrando cinco crianças a executar cinco prisioneiros. Uma das crianças é, alegadamente, britânica.

E a barbaridade continua. Não achais que é melhor exterminar o Estado Islâmico?
Vlad Tepes: e enquanto os idiotas úteis do costume preferem ficar horrorizados com um caso de islamofobia (ou racismo, que o racismo também pode servir para ajudar os muslos) que houve em França com o dono de um restaurante parisiense a expulsar duas muçulmanas de hijab por se recusar a servi-las, ou seja, uma notícia perfeitamente conveniente para os mé®dia que só querem continuar a fazer passar a sua agenda, podemos ver no seguinte vídeo quatro invasores muçulmanos que violaram brutalmente uma rapariga a dizer em tribunal que a vítima andou a pedi-las (a brutal violação em grupo, é claro)!

video
É isso mesmo, a culpa é da gaja! Agora é aceitar isso ou vem aí islamofobia!

Mirror: depois do termo "maluquinho(a)" para ser usado como eufemismo para terrorista islâmico(a), surgiu agora um nova designação que é "drogadinho" (ou "drogadinha"): um gajo de 26 anos e supostamente sem-abrigo atacou um casal alemão com uma faca num festival de música em Oberhausen, na Alemanha, e gritou o famoso Allahu Akbar, mas a polícia de Frankfurt desconfia que ele estava sob a influência de narcóticos...

Narcóticos que fazem um gajo dizer Allahu Akbar? Será Islamophobin?
The Telegraph: foram encontrados na Grécia passaportes falsos da Síria destinados a jihadistas. Um documento da Europol confirma isso mesmo, dizendo que os terroristas faziam-se passar por "refugiados" sírios para poderem cometer atentados na Europa como se isso por acaso fosse alguma novidade...

Não foi o humanista do António Guterres, candidato ao cargo de secretário-geral da ONU,
que garantiu que os terroristas não vão para a Europa como refugiados ou algo do género?
Portland Press Herald: um refugiado do Irão de nome Adnan Fazeli, que alegava ser perseguido por ser um muçulmano sunita no Estado teocrático xiíta e por ser árabe e não persa, foi acolhido por uma organização de caridade católica nos Estados Unidos, radicalizou-se por lá, foi lutar pelo califado juntando-se aos jihadistas e acabou por esticar o pernil. Ele na verdade já morreu em Janeiro do ano passado mas as boas notícias podem sempre ser partilhadas em qualquer altura.

Eu sou favor de que as organizações católicas apenas ajudem católicos...
PJ Media: um bombeiro do Estado norte-americano do Kentucky foi afastado do cargo depois de ter queimado um exemplar do Alcorão, algo que não é ilegal mas já se sabe como é que isso da islamofobia é... O gajo que denunciou o caso, Jeffrey Queen, há muito que já fazia imensas queixas dos bombeiros de Bowling Green dizendo que era discriminado por ser homossexual e ateu. Alegou ele que os bombeiros são racistas, desejam que os gays morram no fogo e não querem tocar nos tipos da LGBT por muito provavelmente terem Sida...

Se em vez do Alcorão fosse a Bíblia já não haveria crise...
Algemeiner: um rabino judeu ultra-ortodoxo de nome Chalom Levy e de 62 anos foi esfaqueado por um homem que gritou Allahu Akbar em Estrasburgo na passada sexta-feira. O agressor, que já foi detido, já tinha chegado a atacar um outro judeu em 2010 e era, como é que não podia ser?, um "maluquinho", pois já esteve internado num hospital psiquiátrico e tudo (que giro, um "maluquinho" que ataca judeus, o ódio de estimação dos nazis e dos muçulmanos). Levy, que ficou em estado de choque, diz que foi um milagre não ter morrido...

Não dizem os mongas anti-semitas que os judeus
desejam e promovem a islamização? Para isso, né?
Express: também em França, agora em Toulouse, uma mulher polícia foi esfaqueada na terça-feira perto da esquadra por um muçulmano de 31 anos natural da Argélia que, claro, só podia mesmo sofrer de "distúrbios mentais"...

Disse o alógeno que a agente "representa a França"...
TVI24: ainda em França, e agora que a questão do uso ou não do burkini está na ordem do dia, uma jovem de 21 anos e de nome Angelique Sloss foi espancada por um grupo de cinco muçulmanas quando estava a apanhar sol em biquíni num parque público em Reims no domingo. As muslas ficaram ofendidas com Angelique Sloss que estava a fazer algo "imoral" e já até surgiu uma campanha de solidariedade na Internet em defesa da vítima e tudo (epá, islamofobia!). A politicagem correcta, no entanto, diz que não se pode precipitar nas conclusões, uma vez que o acto pode não ter sido motivado por motivos religiosos (pois não, foi por motivos gastronómicos...).

Estas coisas acontecem no Ocidente quando há muçulmanos...

2 comentários:

Lura do Grilo disse...

Capitalizam o ódio ... é uma ideologia totalitária mais brutal que o nazismo e comunismo

FireHead disse...

Eu apenas interrogo quantos mais atentados serão necessários no Ocidente para que as bestas que têm o poder e mandam abrem finalmente a merda da pestana.