segunda-feira, 29 de agosto de 2016

«Foi Cristo que mudou a minha vida»


O primeiro treinador de sempre a conseguir levar a selecção portuguesa de futebol a conquistar um título, o engenheiro benfiquista Fernando Santos, acreditou desde o primeiro minuto que Portugal ia ganhar o Euro 2016, tendo sempre reiterado a sua crença.
Numa entrevista concedida ao jornal Sábado, a primeira depois da vitória no Euro 2016, Fernando Santos, conhecido católico, disse que mais importante que a conquista de Portugal é Jesus Cristo que mudou a sua vida. "Fui muito cedo para a catequese, aos seis anos - sei hoje a data exacta, e durante 40 anos não soube. Fui porque todos iam. Os meus pais acreditavam mas não praticavam. A seguir ao Crisma, desisti. Puseram-me a fazer de juiz e de cada vez que eu batia com o martelo, desatava a rir. Ainda me lembro do catequista, o Paulo, a quem disse: 'Desculpe, mas isto não é para mim, não venho mais'. Depois andei muitos anos assim... Até Cristo mudar a minha vida. (...) Radicalmente... Descobri que Cristo está vivo. Essa foi a grande revelação. Durante o tempo que andei no túnel, nem sabia que havia Cristo, Deus. Não percebia nada, a Santíssima Trindade para mim, era uma grande confusão. Sempre aquela sensação do Deus castigador da infância. E não é nada disso - há um Deus misericordioso", disse Fernando Santos.
Realmente dá que pensar como é que a actual selecção portuguesa, bem mais fraca do que a de anos anteriores como a que disputou e perdeu a final do Euro 2004 em casa (com Cristiano Ronaldo, Figo, Rui Costa, Nuno Gomes...), conseguiu o verdadeiro milagre de ser campeão europeu em França vencendo justamente a poderosa França na final. Nas condições que tivemos terá sido mesmo obra do mero acaso? E que dizer da crença inabalável na vitória por parte do treinador que revelou-se mesmo certeira?

14 comentários:

Portuguesinha disse...

A crença num Deus misecordioso só lhe faz bem.
Mas afirmar que foi a mão de Deus que interviu num jogo de futebol é...
Deus não terá melhores coisas com que se preocupar?

Deus nada teve a ver com a vitoria... Mesmo com os melhores jogadores em campo se não existir equipa a coisa não vai lá. Se calhar "Deus" ajudou tirando Ronaldo do campo e metendo-o a fazer o trabalho do treinador... LOL :)

FireHead disse...

Sabes lá? Os gregos também não diziam o mesmo depois de ganharem o Euro em Portugal? Não me digas que és como o Bruce All Mighty? :P

Pá, se foi ou não Deus, eu cá não sei, sinceramente... mas que não deixa de ser um tanto misterioso a selecção de Portugal, que era relativamente muito fraca comparando com as selecções que nós já tivemos, ter conseguido ganhar o Euro. Ou achas que o Fernando Santos estava apenas a dizer que Portugal ia ganhar e que eles só voltariam a Portugal um dia depois da final do Euro mesmo naquela por dizer? Porque é que ele haveria de correr o enorme risco de ficar mal visto?

É claro que houve muitos factores como por exemplo a enorme união que o grupo sempre demonstrou. Houve também muito espírito de sacrifício, muita humildade... mas, é a tal história... Ainda por cima na final com Ronaldo lesionado, tipo é o nosso melhor jogador e ele foi arrumado muito cedo? A equipa não só não foi abaixo como lutou com garra. Epá, se não houve lá fé então o que é que houve? Pura sorte?

Quanto ao Ronaldo... lembras-te da traça? ;)

Afonso de Portugal disse...

«Realmente dá que pensar como é que a actual selecção portuguesa, bem mais fraca do que a de anos anteriores como a que disputou e perdeu a final do Euro 2004 em casa (com Cristiano Ronaldo, Figo, Rui Costa, Nuno Gomes...) conseguiu o verdadeiro milagre de ser campeão europeu em França»

Lá está, "bem mais fraca" no que respeita às suas individualidades, mas bem mais forte no que respeita ao sistema táctico e jogo colectivo. Já a Grécia nos tinha vencido assim em 2004 - e bem, a meu ver.


«vencendo justamente a poderosa França na final»

A "poderosa" França que merecia ter sido elimianda pela Alemanha...

Anónimo disse...

Que ele acredite no Jesus e na santíssima trindade e essas coisas todas é com ele. O que cristãos militantes como tu e como ele e quem quer que sejam não podem é exigir que todos pensem como ele e como tu em relação é religião.

Eu sei que durante séculos as pessoas foram obrigadas a acreditar e viver debaixo dessa devoção religiosa abraamica mas felizmente esses tempos terminaram (na Europa). Deve ser das poucas coisas boas dos tempos modernos. É natural que os Europeus rejeitem o cristianismo. A população, apesar de em Portugal continuar geralmente ignorante, educou-se, estudou e já não come assim tão facilmente santinhos e nossas senhoras de Fátima a voar aí pelos céus.

wind disse...

Boa semana:)

Anónimo disse...

Fire,

Muçulmano ataca mulher e depois um
policial que tentou intervir e se dá mal:
https://twitter.com/DBloom451/status/768809321102737408

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Eu não concordo. O Fernando Santos teve que mexer na equipa ao longo do campeonato. Quem é que não se recorda dos jogos da fase de grupos que foram uma lástima? Se nesse Europeu não se apurassem também alguns dos terceiros melhores classificados, não teríamos ganho a competição.

Esqueci-me de dizer que a equipa no fim estava muito mais humilde mas que no início também foi a porcaria que todos nós vimos e que nos levou a pensar que iria ser mais do mesmo, ou seja, garganta típica no início e depois novamente uma valente desilusão. Talvez tenha sido da fé do Fernando Santos, que conseguiu unir o grupo e passaram todos das palavras aos actos.

Quanto à Grécia, a única explicação que eu encontro para a sua vitória no Euro 2004 é sorte. Eu bem vi como os gregos ganharam aos franceses em Alvalade (estava lá) e também na final connosco...

Quanto a isso do merecer ou não merecer, já se sabe como é que são as coisas no futebol: ganha quem marca. Ou quem marca mais. É a crueldade dos números.

FireHead disse...

Wind,

Obrigado. :)

FireHead disse...

Anónimo,

Deixa-me adivinhar: é mais um "maluquinho" que não agiu em nome do islão porque o islão é da paz??

FireHead disse...

«Que ele acredite no Jesus e na santíssima trindade e essas coisas todas é com ele.»

Com ele e com todos os católicos, sim. Já os que não acreditam em nada ou preferem acreditar em idiotices, também é lá com eles.

«O que cristãos militantes como tu e como ele e quem quer que sejam não podem é exigir que todos pensem como ele e como tu em relação é religião.»

Eu voltei a ser cristão militante? Nem me dei conta disso, hahaha... E quem é que disse que eu exijo que todos pensem como ele ou eu? E o Fernando Santos por acaso também exigiu que os outros pensem como ele? Eu pelo menos falo por mim: estou-me a lixar para os que não crêem, se quiserem passar a crer, tudo bem, mas se não quiserem o problema não é meu. Que mania que certas pessoas têm de pensar que todos os católicos se preocupam também com os que não são católicos.

«Eu sei que durante séculos as pessoas foram obrigadas a acreditar e viver debaixo dessa devoção religiosa abraamica mas felizmente esses tempos terminaram (na Europa).»

Exacto, é por isso que a Europa agora está a bela bosta que está. Apostataram a fé dos seus antepassados e agora está uma óptima cloaca, sem valores, sem princípios e terreno óptimo para a islamização e o regresso de anomalias como o paganismo, que por sua vez traz coisas imorais e amorais como o aborto. E para juntar a isso estão o ateísmo e o agnosticismo, verdadeiras conquistas da esquerda intelectualóide.

«Deve ser das poucas coisas boas dos tempos modernos. É natural que os Europeus rejeitem o cristianismo»

Para os que adoram ver a destruição da superior civilização ocidental, possibilitada pelo Cristianismo, sim. Quanto aos que rejeitam o Cristianismo, também é normal, pois sempre existiram traidores. Negar a influência cristã na Europa/Ocidente/Mundo e rejeitar esse pilar da civilização ocidental é um verdadeiro acto de traição. Mas é a tal história, a apostasia há muito que foi profetizada e a existência de traidores e de anticristãos apenas confirmam a veracidade do Cristianismo, pelo que por uma lado até é bom que isso esteja a acontecer que é para vermos quem é que está do lado certo. :)

«A população, apesar de em Portugal continuar geralmente ignorante, educou-se, estudou e já não come assim tão facilmente santinhos e nossas senhoras de Fátima a voar aí pelos céus.»

Olha outro totó que é capaz de jurar a pés juntos que uma coisa invalida a outra. Se não fosse o importante contributo da Igreja a ciência não teria conhecido o progresso que conheceu. Não fosse o método científico ainda hoje usado e que foi criado pela Igreja, a ciência hoje não seria o que é. Mas é claro que eu perder o meu tempo a falar das grandes inovações científicas com o cunho da Igreja é uma pura perda de tempo porque o esquerdismo já se entranhou na tua maneira de ser e de pensar de modo que não vale mesmo a pena. Quanto ao estudo, não fosse a Igreja e não haveria o sistema de ensino ou a rede escolar. Não fosse a Igreja e não existiria a instituição Universidade. Não fosse o Cristianismo e Portugal nem existiria sequer, aquilo seria dominado e governado pelos mouros. Não fosse a identidade cristã e muitos países da Europa não teriam uma cruz nas suas bandeiras. Mas talvez seria preferível uma civilização islâmica a uma civilização cristã, é claro. Se os europeus realmente estão cada vez a rejeitar o Cristianismo então porque é que não passam logo à frente e emigram para países africanos onde reina ainda o animismo? É apenas uma sugestão... Uma civilização sem o cunho cristão? A Coreia do Norte, que é ateia, serve? Ou a República Popular da China? Ou isso é tudo apenas e só blá blá blá como o dos comunas que só estão é bem nos países capitalistas?? :)

Afonso de Portugal disse...

«O Fernando Santos teve que mexer na equipa ao longo do campeonato.»

Coisa que o Scolari não fez naquela final contra a Grécia. Lá está, táctica. Uns entendem-na, outro não.


«Quem é que não se recorda dos jogos da fase de grupos que foram uma lástima?»

Mas não uma lástima tão grande como os jogos do último mundial.


«Se nesse Europeu não se apurassem também alguns dos terceiros melhores classificados, não teríamos ganho a competição.»

Pois, mas a selecção e sobretudo o Fernando Santos já estvam a contar com isso. Foi por isso que não entraram a matar logo no segundo jogo.


«Quanto à Grécia, a única explicação que eu encontro para a sua vitória no Euro 2004 é sorte.»

Não, não é só sorte, é táctica. Também foi assim que o Inter do Mourinho elimnou o Barcelona do Guardiola. Não resulta sempre, mas resulta muitas vezes. Mas lá está, sobre isso apenas poderemos concordar em discordar.

Ivan Baptista disse...

«Mas afirmar que foi a mão de Deus que interviu num jogo de futebol é...
Deus não terá melhores coisas com que se preocupar?»

A Portuguesinha tem razão. Deus terá outras prioridades que não seja o Futebol, penso eu de que..

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Eu sei que apenas podemos concordar em discordar. Eu penso que o Scolari pouco ou nada podia ter feito nesse jogo da final. A bola simplesmente não quis entrar... e os gregos foram lá uma vez e marcaram o golo que decidiu a partida.

Lembro-me também do Chelsea ter ganho a Liga dos Campeões com o Di Matteo sem o merecer... ou melhor, merecer, mereceu, pois ganha quem marca ou marca mais, mas a palha que os gajos tiveram, xiça...

Provado está que nem sempre ganham as melhores equipas. E ainda bem porque senão também não teria piada nenhuma.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Mas isso nós não sabemos pois nós não somos Deus, né? Se Ele é mesmo omnipotente então bem pode preocupar-se com tudo e mais alguma coisa ao mesmo tempo que dá conta do recado. :)