terça-feira, 16 de agosto de 2016

Encontro de artistas marciais em Macau


No fim-de-semana que passou houve também aqui em Macau, além do Carnaval de Gastronomia do Sudeste da Ásia, um evento que reuniu cerca de 1500 mestres e praticantes de artes marciais chinesas, o Encontro de Mestres de Wushu, na Praça do Tap Seac. O evento, segundo palavras do director do Instituto do Turismo, Pun Weng Kun, cidado pelo jornal Tribuna de Macau, correspondeu às expectativas apesar da fraca assistência.


Além de chineses, tanto os de Macau, como os de Hong Kong, Taiwan e do continente, estiveram também estrangeiros, como alemães, franceses, gregos, letões, russos, espanhóis, turcos, italianos, cazaques e, claro, portugueses, representando a Escola de Artes Marciais Chinesas She-Si. Os estilos marciais iam desde o sanda, o boxe chinês, até às variantes de nanqun, zhangqun, taichi quan, yonghun quan, chang qixie e duan qixie.


O encontro terminou com uma parada com todas as equipas que começou nas Ruínas de São Paulo, passou pelo Leal Senado e terminou na Praça do Tap Seac.

6 comentários:

CÉU disse...

Olá, FireHead!

Embora não aprecie artes marciais, talvez por uma questão cultural, calculo k deve ter sido um espetáculo mto interessante. Não sei se elas nasceram aí, ou não, mas sei que os chineses lhes dão mto importância e as praticam, com gosto e frequência.

Beijinhos e agradeço a reciprocidade, mas quem "lucra" mais com ela, sou eu, pke, aqui, aprendo imenso. Obrigada pela preciosa informação, divulgação, talento, MUITO e poder de palavra, natural e sem cinismos.

FireHead disse...

Olá!

Segundo uma lenda, as artes marciais (orientais) surgiram no templo de Shaolin, na China, graças a um nobre guerreiro indiano de nome Boddhidarma que viu um conjunto de monges em estado muito debilitado e lhes ensinou umas técnicas que lhes deram saúde.

No Ocidente também sempre houve artes marciais e também são bastante antigas. Estou-me a lembrar das lutas greco-romanas.

Uma das piores coisas que eu fiz na minha vida foi ter deixado o Judo, quando era ainda pequeno, e o Kenpo. Mas o Kenpo tive mesmo que deixar, infelizmente, pois decidi voltar para Macau e refazer a minha vida. E como cá não há Kenpo, não há nada a fazer. Aqui há outras artes marciais, mas neste momento, devido ao meu trabalho, também não tenho tempo para me dedicar ao que quer que seja...

As artes marciais são uma forma de estar na vida e além de trabalhar apenas a parte física, trabalha muito, sobretudo, a parte psicológica. Deixei grandes amigos no Kenpo lá em Portugal, éramos uma família... Muitas das técnicas de auto-defesa ainda sei de cor e muitas delas já me foram úteis em situações em que me vi obrigado a fazer uso delas.

Aconselho toda a gente que puder a praticar artes marciais, principalmente crianças. Não só lhes ensina a defender-se de quem lhes quer fazer mal como também ajuda-as a ter disciplina e respeito pelos outros.

Quanto aos seus elogios, fiquei assim meio sem jeito. Que outra coisa posso fazer a não ser agradecer-lhe pela gentileza? Muito obrigado. Vá aparecendo sempre por aqui. :)

Beijinhos.

wind disse...

Desculpa os poucos comentários, mas também estou um pouco de férias dos blogs:)

CÉU disse...

Elucidadíssima, meu amigo! Obrigada!
Claro k irei aparecendo por cá, sempre k me seja possível.

Vou "descer" no blogue. Até já!

FireHead disse...

Wind,

Eu sei disso e é também por isso que eu não comentei mais lá no teu blogue. Porquê? Porque tu também não o actualizaste até agora. :P

Beijinhos e continuação de umas óptimas e merecidas férias! :)

FireHead disse...

CÉU,

Não tem nada que me agradecer. Nós estamos aqui para isso, né? :)

Beijinhos.