quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Dilema policial

6 comentários:

Adilson disse...

É mesmo assim! Exatamente.

FireHead disse...

Isto a propósito da situação do Hugo Ernano que merece todo o nosso apoio e solidariedade. O que estão a fazer com ele é uma tremenda filhodaputice. No dia em que ninguém quiser ser polícia é que vai ser bonito. Há mesmo filhos da puta (é que não têm mesmo outro nome) que não vêem que os polícias são a barreira que nos separam da criminalidade prática, a que nós podemos sofrer na pele de forma directa. No dia em que deixarmos de poder contar com a polícia - que, à pala dessas merdas não podem exercer como deve ser a sua profissão - a quem é que vamos recorrer? Ao Batman? Bom, talvez o mais provável é começarmos a fazer justiça com as nossas próprias mãos (já há muita gente que o faz, diga-se de passagem), pois não dá para confiar em que tem o dever e a obrigação de garantir a nossa segurança, e depois aí é que vão ser elas. Ainda começam a surgir conflitos e guerras sociais...

CÉU disse...

A GNR e a Polícia já não são o k eram. A escola, agora, é outra e se algum ousa dar um tabefe, num bandido, ai, aqui d' el rei! Nem armas podem usar!

Então, onde estão as conquistas do abril, 25, perguntarão os democratas, o povo, aquele k tudo quer e reivindica?

Douglas Sulzbach disse...

Hehehehe, bem assim que funciona, me lembra o Brasil com seu "vício" de proteger bandido vítima da sociedade opressora do que proteger quem realmente deveria.

FireHead disse...

E por falar na escola, no meu tempo ainda se levava reguadas e bofetadas. O meu pai até dizia às professoras que eu tive que tinham a permissão dele para me darem um estalo se eu me portasse mal. E se alguma professora me batia eu sabia que mais tarde, em casa, eu ainda comia mais. Violência?? Não, chama-se a isso educação! Eu levei dos meus pais e não cresci traumatizado. E se dantes não percebia o porquê de haver pais que batem nos filhos quando é necessário, agora eu compreendo perfeitamente e dou-lhes razão. Hoje em dia há muita falta de educação, mas a culpa não é dos putos mas sim de quem tem o dever de os educar. Hoje em dia não há tabefes, não hás castigos, é tudo a fazer as vontadinhas aos meninos, coitadinhos, não vão eles crescerem com problemas psicológicos...

Quanto às autoridades, se depende de esquerdistas crónicos como a malta do Bloco de Estrume, a polícia andaria era sempre desarmada e resolveria todos as situações de conflito com o "diálogo", a "tolerância" e "amizade"... Há gente que vive numa dimensão completamente paralela ao mundo real...

Conquistas do 25 de Abril? Elas já se fazem sentir. É tudo o que podemos ver, essa desgraça, essa miséria, não apenas material como sobretudo intelectual, a corrupção do poder e de valores, etc. Se foi para isso que implementarem uma democracia, que em Portugal até faz com que tipos não eleitos se tornem primeiros-ministros, então 1000 vezes a ditadura mesmo, desde que haja alguém com eles no sítio para endireitar a porcaria...

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Isso é capaz de ser um mal que os portugueses levaram para aí... XD