quinta-feira, 18 de agosto de 2016

33 igrejas destruídas em França desde 2000


De acordo com a fonte polaca Wprost.pl, em França já foram abaixo 33 igrejas desde o ano 2000. No seu lugar foram entretanto construídas mais de 1000 mesquitas. Isto é uma consequência natural da descristianização do país do grande Carlos Martel.
As igrejas infelizmente vão continuar a ser destruídas para dar lugar a mais mesquitas apesar do número actual de muçulmanos no país ser entre 5 a 7 milhões, embora com tendência para aumentar cada vez mais devido à sua "fantástica taxa de natalidade" e à imigração. O próprio responsável pela grande mesquita de Paris, Dalil Boubakeur, chegou mesmo a afirmar que há 2200 mesquitas em França e que em dois anos esse número tem que ser dobrado porque as 2200 mesquitas deixarão de ser suficientes.
É assim que se vai destruindo a superior civilização ocidental. Sinais dos tempos.

17 comentários:

Adilson disse...

Santo Deus! 33? É. Essas informações só confirmam a ascensão de um império anticristão! A esquerda avança! E ao lado de tudo isso segue a idiotização das sociedades. Olhe só o papa Francisco, não consegue sequer acreditar naquilo que os próprios olhos veem e continua se mantendo calado frente a tudo isso. Só posso rezar.

FireHead disse...

Como se já não bastasse a profetizada apostasia (Anticristianismo), o aumento do número de mesquitas também confirma a islamização. Só os patetas alegres habituais que negam a islamização é que não querem por nada deste mundo, ou porque correm o risco de crachar por irem contra o seu próprio sistema (da imbecilidade), enxergar o óbvio. O Papa Francisco infelizmente também se insere no rol destes patetas alegres, mas é melhor eu não dizer que desejo que o Pontificado dele acabe o mais depressa possível - não vá eu ser (novamente) mal interpretado e insinuarem que eu quero que ele morra o quanto antes!

wind disse...

E a islamização continua...:)

Afonso de Portugal disse...

FireHead disse...
«Só os patetas alegres habituais que negam a islamização é que não querem por nada deste mundo, ou porque correm o risco de crachar por irem contra o seu próprio sistema (da imbecilidade), enxergar o óbvio.»

Patetas ou canalhas. Infelizmente, nem todos os protagonistas são ingénuos... é por isso que não podemos perdoar-lhes. Ou melhor, eu pelo menos eu não posso. Já vocês, como são cristãos, talvez possam.

Afonso de Portugal disse...

A propósito de violencia perpetrada por muçulmanos, não sei se estás ao corrente deste caso ocorrido em Ponte de Sor:

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/filhos-de-embaixador-deixam-jovem-a-morte

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/rapaz-em-estado-grave-apos-agressao-em-ponte-de-sor

...e viva a diversidade, pá!

CÉU disse...

Olá, FireHead!

Isto resolvia-se com "facilidade", acho eu.
Todos os muçulmanos residentes em França, tal como os filhos deles, k mesmo tendo nascido já neste país, eram todos expulsos para os países de origem, quer estes estivessem em paz, guerra, no purgatório ou no inferno (eu sou cristã católica, portanto, tenho estas "bitolas").

No entanto, a Pátria da fraternidade, igualdade e liberdade não faz nada isto, pke o socialismo não comtempla atos normais e corretos.

Já entrei em alg. mesquitas e a de Casablanca é um deslumbramento! Sabe por que só é frequentada por homens, sobretudo qdo fazem a oração? Perguntei a um muçulmano e a explicação dele é sui generis.

Beijos e bons sonhos, k não estes!!

Dr. No disse...

Estamos a cavar a própria sepultura!

FireHead disse...

Wind,

O quê, islamização? O que é isso? Islamização, ah?? Lá andas tu com neologismos que nunca ninguém tinha ouvido falar! :)

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Nunca ouviste dizer que errar é humano e perdoar é divino? Como não somos divinos, como é que podemos perdoar? :P

Sim, tomei conhecimento da notícia dos iraquianos hoje de manhã e já falei disso aqui. Seja como for, obrigado pela informação. :)

FireHead disse...

CÉU,

Eu não sou assim tão radical. Para mim qualquer ser humano é bem-vindo desde que se comporte como gente civilizada. Um muçulmano tem todo o direito de ser muçulmano, mas não que não transporte as suas islamices para uma sociedade que não é muçulmana. Se não pode comer carne de porco, pois que não coma - não ande é a impedir que os outros queiram comer porco. Não gosta de ver crucifixos? Pois que feche os olhos.

Expulsar é todos os imigrantes criminosos, ou seja, os tais quem eu denomino "alógenos". Rédea curta para eles. Qualquer que seja o imigrante que for apanhado a cometer crimes, que seja devidamente julgado no país onde o crime é cometido e depois é deportado. Cada país já tem que lidar com os seus próprios criminosos, não é preciso lidar também com criminosos vindos de fora.

Quando nós vamos para países muçulmanos, como o Irão, as mulheres não têm de usar também o véu mesmo não sendo muçulmanas? Eu quando vou à China não exijo que a China construa igrejas só porque eu creio na Igreja Católica. Nem tampouco digo aos que comem cão para não comerem cão só porque eu não concordo com o consumo de carne de cão.

Quanto às mesquitas, não precisa de ir tão longe. Basta ir por exemplo à de Lisboa. Eu já passei por lá várias vezes e não gostei nada do que vi... Ah e as mulheres têm um compartimento próprio.

Beijinhos.

Douglas Sulzbach disse...

Rumo à Françaquistão!

FireHead disse...

Dr. No,

O mais engraçado é que os ditos nazionalistas ou nacionalistas que não são cristãos rejubilam com meia notícia desta notícia. Ou seja, ficam contentes com a descristianização da França (e do Ocidente em geral) mas depois ficam incomodados com o aumento da islamização, como se uma coisa não fosse uma consequência directa da outra. É por isso que felizmente ainda há uns quantos não-cristãos que são nacionalistas e que ao menos reconhecem a importância do Cristianismo e não desejam que ele vá abaixo, pois porque se o Cristianismo cai, a superior civilização ocidental cai logo de seguida.

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Isso já existe de forma oculta, embora ainda haja por lá gente que brinca ao faz de conta e que ainda diz que é preciso defender os valores primordiais da civilização ocidental como a liberdade de expressão (lembremo-nos do Charlie Hebdo) por causa do egalité, liberté e fraternité... É engraçado vê-los às turras uns com os outros agora! Não tivessem permitido que os outros já tivessem catarro, ora!

Afonso de Portugal disse...

«Nunca ouviste dizer que errar é humano e perdoar é divino? Como não somos divinos, como é que podemos perdoar? :P»

Hum? Mas quando eu era pequenino, as freiras do colégio onde eu andei diziam-me que eu tinha mesmo de perdoar, senão não podia rezar o Pai Nosso! «Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido», não é mesmo?

Na altura, embora gaiato, lembro-me de pensar: «Eu por mim bem deixava de rezar esta porcaria, mas o problema é que elas depois obrigam-me!»

Douglas Sulzbach disse...

Como está atualmente composta a população francesa? isto é, qual a porcentagem de islâmicos declarados em 2016? pois já faz tempo que eles eram 4% dos franceses, sendo que até 2040 a França seria uma república muçulmana. Mas nesse ponto, creio que o país mais islamizado seja mesmo a Alemanha, é o país mais visado pelos refugiados!

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Sim, mas atire a primeira pedra quem nunca pecou. :)

Outra coisa, perdoar não significa esquecer.

Ahhh agora já dá para ter uma certa ideia do porquê de teres deixado de ser católico... XD

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Recorramos à Wikipédia, meu caro, que é para não sermos tendenciosos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7a

Nele podemos ver que, segundo dados de 2010, os muçulmanos já eram 8,55% da população francesa. Não sei se em 2040 a França será uma república islâmica, mas que até lá o número de muçulmanos será superior ao número actual caso as coisas continuem como estão, não é de admirar.