sexta-feira, 22 de julho de 2016

Último marido da Marisa Cruz voltou para o seu "primeiro amor"


E para terminar com as notícias cor-de-rosa de hoje, deixai-me dizer-vos que o último marido da Marisa Cruz, ela que já esteve envolvida com o antigo futebolista João Vieira Pinto, o hoquista Pedro Moreira, voltou para a mãe do seu filho e deixou a apresentadora mamuda de 42 anos devastada. Menos de um mês depois de anunciado o fim do casamento, o hoquista da Oliveirense de 30 anos seguiu em frente com a sua vida e tem andado a partilhar fotos ao lado do seu filho, Bernardo, de quatro anos, junto à Isabela Oliveira, o seu "primeiro amor". "Obrigado, meu Deus", escreveu assim o hoquista a acompanhar os retratos que atestam a "harmonia entre o casal junto ao filho". Não se sabe ao certo o que terá motivado a separação do Pedro e da Marisa, mas o Correio da Manhã diz que ela foi traída. E ainda dizia ela que nada abalaria o amor entre ela e o hoquista...
Vede só, eu tive um colega lá na Sonae que é parecidérnimo com esse Pedro Moreira!

6 comentários:

Anónimo disse...

Já diz um ditado que não há amor como o primeiro.

Dr. No disse...

Nesta história toda, a boa notícia é que a família de pai, mãe e filho foi reconstituída para felicidade de todos os seus elementos. Faço votos que assim continuem.

FireHead disse...

Eu por acaso tenho mais do que um primeiro amor. Tenho dois: o primeiro amor não correspondido e o primeiro amor correspondido. A primeira chavala está aqui em Macau e parece que já é casada. A segunda está em Portugal, penso eu que já terá acabado o curso de medicina na universidade de Coimbra.

FireHead disse...

Dr. No,

Sim, pelo visto a mulher perdoou o rapaz... Nem todas são capazes disso, mas ainda bem para eles que ela foi!

Portuguesinha disse...

A primeira reação que essa notícia me deu quando caí com os olhos nela foi... que parva! (a primeira mulher). Então o homem abandona sem mais nem menos o que construiram, vai "casar" com outra, depois decide que afinal quer é a primeira e é como se não tivesse acontecido nada? Sai vitoriosa, o que não aconteceria se não agisse dessa forma... Mas vai durar até outro rabo de saia aparecer ou as primeiras rugas se instalarem. AdvertÊncia: cuidado com a tendência para a procriação extra-conjugal.

FireHead disse...

Portuguesinha,

Olha, também pensei nisso de início... mas depois, sei lá, pensei que a rapariga foi mesmo capaz de perdoar o rapaz pelo que fez. Afinal de contas, não diz um ditado que não há amor como o primeiro?? Se houve perdão e reconciliação, quem somos nós para dizermos o que quer que seja? :)

Ui, o que não falta são "offsprings" extraconjugais e meios-irmãos por aí. Mas é melhor eu não desenvolver esse tema - não vão agora acusar-me de ser conservador, tradicionalista, etc. etc.