segunda-feira, 18 de julho de 2016

Tiroteio fez 3 polícias mortos em Baton Rouge


Em Baton Rouge, em Louisiana, nos Estados Unidos, um tiroteio fez três vítimas mortais entre os agentes da autoridade nas proximidades da esquadra local. O tiroteio, da autoria do afro-americano ex-fuzileiro Gavin Eugene Long (na foto), aconteceu depois de vários dias de tensão na cidade devido à morte de afro-americanos às mãos da polícia, o que gerou protestos de negros, e não só, em todo o país, incluindo em Dallas, no Texas, onde cinco polícias foram abatidos. Gavin, que faria ontem 29 anos, acabou por ser abatido e o Barack Hussein Obama já condenou o sucedido prometendo fazer justiça: "Condeno o ataque às forças de ordem de Baton Rouge. Pela segunda vez em duas semanas, agentes que faziam o seu trabalho foram assassinados num ataque cobarde e reprovável. Ainda não é possível saber os motivos deste ataque, mas quero deixar claro: não há qualquer justificação para exercer violência contra polícias".

6 comentários:

Anónimo disse...

Um dos 3 polícias mortos pelo ex-marine preto

http://www.cmjornal.xl.pt/mundo/detalhe/ex_marine_matou_tres_policias_no_seu_aniversario.html

por acaso também era preto

http://www.cmjornal.xl.pt/mundo/detalhe/policia_morto_no_lousiana_deixa_mensagem_sentida.html

ironia...

FireHead disse...

É mesmo caso para dizer que os pretos imbecis respondem à suposta violência policial contra os pretos, que para eles é sinónimo de racismo, cometendo «policismo». O outro que também foi abatido pelo menos não escondeu que queria era matar polícias brancos; este ainda matou um «brother». Só pode ter havido «policismo» aí!

Nota: «policismo» é tipo racismo, mas em vez de ser raça é polícia.

Anónimo disse...

"pretos imbecis"?? TU ÉS UM RACISTA, PÁ!!!!

Portuguesinha disse...

E anteontem/ontem foram mais 6...

FireHead disse...

Anónimo,

Eu, racista? Eu quando escrevi "pretos imbecis" não estava a dizer que todos os pretos são imbecis. Tens algum problema de interpretação, é?

FireHead disse...

Portuguesinha,

Quando é que isso vai parar, pergunto?