terça-feira, 12 de julho de 2016

Portugal campeão europeu em destaque

Os melhores momentos do Portugal 1 X 0 França:

video

Cristiano Ronaldo: "Pedi sempre a Deus que me desse mais uma oportunidade"

video

Fernando Santos na conferência de imprensa depois do jogo:

video

O rei Eusébio não foi esquecido


A taça já está em casa!


Selecção recebida em euforia


O presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou a selecção


Em Timor, Xanana Gusmão festejou efusivamente


Macau também estremeceu, como em Roadhouse, na Taipa

video

A vitória de Portugal na imprensa internacional:

video

4 comentários:

Adilson disse...

Sinceramente falando?
Nesse dia eu estava muito muito preocupado. Estava tipo, atormentado pelo medo de ver a Seleção de Portugal perder. Meus 3 filhos estavam bem animados em assistir o jogo e torciam como loucos. Eu estava mesmo era desacreditado. Mas depois, que observei eles tão empolgados e confiantes de que a bela lusa poderia vencer, então me juntei. Sofri pra caramba, mas o alívio veio nas prorrogações. Que delícia foi ver, pela primeira vez na minha vida, a Seleção de Portugal ser campeã de um torneio! Fico imaginando como foi a alegria dos nossos belos portugueses diante de tamanha conquista!

FireHead disse...

Compreendo. Por cá e mesmo em Portugal ainda continua tudo muito eufórico com esta conquista inédita. Aliás, agora até já dizem que esta selecção é a melhor de todos os tempos porque conquistou um título, coisa que os outros nunca conseguiram. Ora, esta selecção é mais fraca que a de 2004, mas como a de 2004 não ganhou o Europeu em casa, esta selecção passou automaticamente a ser a melhor de sempre, melhor que a do Euro 2004 e até mesmo melhor que a dos Magriços de 1966. Isto acontece porque o critério para definir se as equipas são boas ou não deixou de ser os seus jogadores, mas sim os títulos que são conquistados. Aliás, o que não falta também é gente besta que me disse lá no Facebook que no tempo do Eusébio os jogadores eram todos uns cepos. Portanto já dá para ter uma ideia do tipo de coisa que essa gente que não percebe um corno de futebol tem dentro da cabeça. Uma dica: cérebro não é com certeza.

Adilson disse...

Exato! Concordo plenamente. Meu filho mais velho (15 anos) é muito fã do Cristiano Ronaldo desde 2009. Ele gosta muito de futebol e treinou muito tempo em escolinhas. Aprendeu vários dribles do C. Ronaldo, o que me motivou a dar-lhe há um tempo atrás um uniforme do Real Madri (que tinha a cruz no símbolo). Bem, como eu sou pé no chão, eu sempre o orientei a não alimentar a esperança de se tornar jogador, pois geralmente isso é uma força do destino: se tiver de ser será. Evidentemente, em meu país é muito difícil, já que envolve muitas coisas das quais não quero falar. Se morássemos nos EUA, ele teria mais sorte nesse negócio. Eu nunca acompanhei a história da seleção portuguesa, mas sempre torci por ela, não por sua capacidade técnica ou jogadores, coisas que mal conheço. Meu filho sabe mais sobre isso que eu. Mas simplesmente porque desde criança sempre amei Portugal, sempre amei a Igreja em Portugal, o que Deus fez por Portugal, o amor que Nossa Senhora tem pelo seu povo português e sempre amei tudo o que Portugal significa para nossa cultura. Que Portugal possa vencer outras!

FireHead disse...

É preciso de muita coisa para vingar no mundo do futebol. Se o teu filho tiver a sorte de ser escolhido por um olheiro de algum clube, aí as coisas poderão ser diferentes. O Ronaldo começou a brilhar desde muito cedo e para mim o que mudou a vida dele tão cedo foi o facto dele ter brilhado num jogo de apresentação do Sporting contra o Manchester United, o que cativou o Sir Alex Ferguson, um treinador catedrático do futebol que dispensa apresentações. Desde então a carreira dele só tem vindo a evoluir, atingindo agora o ponto mais alto da carreira no Real Madrid. Antes dele houve o Figo, que passou duma promessa no Sporting - que na altura tinha a melhor academia de futebolistas de toda a Europa, suplantando a do Ajax de Amesterdão - e tornou-se uma certeza no Barcelona, antes de rumar também ao Real Madrid. Mas depois também temos casos de muitos outros que também eram promessas e que depois, por um motivo qualquer, passaram ao lado de uma grande carreira. O Emílio Peixe é disso um bom exemplo. Nestas coisas é preciso ter padrinho, e quem tem padrinho não morre pagão, e também muita sorte. Só não concordo com os marados da tola que dizem que os jogadores de antigamente em uns cepos comparados com os de hoje em dia. Para mim o Eusébio continua a ser o melhor jogador de futebol português de todos os tempos porque ele nasceu já génio de futebol, ao passo que muitos craques de hoje em dia são fabricados. Pudesse o Eusébio e mesmo o Pelé ter as condições que hoje em dia têm os jogadores e fazer tantos jogos como se faz hoje em dia se calhar seria tudo muito diferente. Ah, e claro, a todos aqueles que dizem que o Maradona é o melhor jogador de sempre, respondo-lhes dizendo que a droga fez-lhe muito bem... Realmente é bonito não saber se o gajo jogava ou não limpo!