quarta-feira, 13 de julho de 2016

Parece que o nacionalismo do PNR é integral...


Não compreendo como consegue o Partido Nacional Renovador, que pelo visto nada tem contra a existência de portugueses pretos ou nascidos fora de Portugal, ter apoiantes como esse tal José Pesticida Marcos.
Com que então mais de 50% dos jogadores da selecção são "estrangeiros"? Então como é que podem eles representar Portugal, pá?
A culpa é capaz de ser do pesticida...

6 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente o pnr está infestado de «minhotimoristas». Ainda assim é a unica formação política nacionalista que existe em Portugal, pelo que todos os nacionalistas portugueses estao obrigados a votar nele.

Anónimo disse...

Por isso que o PNR é da falsa oposição! Este partido não é verdadeiramente nacionalista. O líder dessa merda é minho-timorista, admira o fascista do Salazar e é profundamente católico. É preciso que todo o lixo que está no PNR seja ecorraçada e colocar verdadeiros nacionalistas no comando.
Nacionalista de verdade não pode aceitar alógenos na sua Nação, não pode ser cristão porque o cristianismo é contra o nacionalismo, nem pode ser amigo dos judeus. Um dia mais tarde todos os traidores da Nação vão ser julgados e mortos. Quando so nacionalistas mandarem tudo vai mudar.
Nós nunca esquecemos. Nós não perdoamos. Portugal SS sempre! Nação branca!

Anónimo disse...

É apenas um dos milhares de exemplos da falta de coerência dos tipos. Mas também ser coerente para quê, se a ideia é apenas "avacalhar", e não apresentar-se como alternativa credível?

FireHead disse...

Anónimo das 14:57,

Sei, já alguns racialistas me disseram que votam no PNR, que é minho-timorista, precisamente por ser o único partido nacionalista português. Ou seja, não têm outra alternativa mesmo. Dizem eles que pelo menos o PNR é a favor do controlo da imigração e que do mal, o menos...

FireHead disse...

Anónimo das 15:21,

Pois então vai já tirando o cavalinho da chuva porque pelo visto o PNR não se conforma com as tuas visões um tanto... sei lá, nacional-socialistas.

E sim, o José Pinto-Coelho nunca escondeu de ninguém que é um católico convicto e profundo admirador do Salazar e do Estado Novo. Ou seja, ele defende o nacionalismo integral, como o que houve nos tempos do Estado Novo, do Portugal que ia do Minho até Timor, logo não deve ter problemas nenhuns com a existência de portugueses que não são brancos ou que não tenham nascido em Portugal.

Aliás, eu até cheguei a conhecer uma chavala que é mulata e que vota no PNR. Ela até é gira (loira e tudo), o que demonstra que nem todos os militantes do PNR são racistas/racialistas.

Quem não gosta do minho-timorismo tem bom remédio: não vote no PNR. Se bem que na verdade isso do minho-timorismo há muito que já deixou de fazer sentido, pois a descolonização já se deu e as ex-colónias já são independentes...

FireHead disse...

Anónimo das 21:51,

Não vejo falta de coerência no PNR. Em nada que seja oficial se falou, tanto quanto sei, da questão da raça como sendo factor determinante da nacionalidade ou da pertença à nação. Aliás, o semanário O Diabo, que tem ligações ao PNR, até exulta os grandes feitos dos portugueses do além-mar, como por exemplo o tenente-coronel Marcelino da Mata, que é um preto da Guiné-Bissau, que está ou esteve a passar por dificuldades financeiras e o próprio semanário aproveitou para fazer uma angariação de fundos para ajudar esse "herói nacional".

A questão é que nem todos os militantes do PNR pensam da mesma maneira e isso é outra história. No PNR militam tanto minho-timoristas (que para mim é uma coisa que não faz sentido porque o minho-timorismo já acabou após o 25 de Abril de 1974) como racialistas, tanto cristãos como pagãos ou ateus, malta pró-Israel como malta anti-sionista, gente mais ou menos capitalista, etc. Aquilo é uma amálgama porque o nacionalismo é uma coisa muito abstracta. O nacional-socialismo é nacionalismo. O comunismo também pode assumir uma faceta nacionalista, como é o caso da Coreia do Norte ou mesmo da China. E o nacionalismo que eu defendo é o nacionalismo integral, fortemente baseado na doutrina da Igreja Católica e que inspirou tanto o Salazar como o fundador do PNR. Esta última forma de nacionalismo foi o que existiu no Estado Novo e não era racista de maneira nenhuma. E por acaso não considerava Salazar o Eusébio, o Coluna, o Vicente ou o Matateu como portugueses também? Tanto assim é que o Eusébio foi considerado património nacional!

Acredito que o PNR não tem hipóteses em Portugal porque a esquerdaria tem imensa força no país e tudo o que seja manifestação nacionalista ou mesmo patriota (excepto quando Portugal joga, é claro) é considerada fascista ou extremista. Caso contrário, como é que seria possível um país da Europa ter neste preciso momento o partido comunista e também o Bloco de Esterco no poder juntamente com os socialistas? Seja como for, eu não voto nem nunca votei no PNR, o que não quer dizer que eu não concorde com muitas das coisas que o partido defende. Repito: o partido, não todos os militantes, pois já ficou provado que todos eles comem do mesmo tacho mas não comem a mesma coisa.