sábado, 23 de julho de 2016

Os deputados da "direitinha" que votaram a favor da "barriga de aluguer"

Fiquei a saber, graças ao Orlando Braga, o autor dos blogues perspectivas e Algol Mínima, os nomes dos deputados do Partido Social Democrata, a "direitinha" portuguesa, que votaram juntamente com a esquerdalha a lei da "barriga de aluguer" no dia 20 no Parlamento: Margarida Mano, Margarida Balseiro Lopes, António Leitão Amaro, Simão Ribeiro, Duarte Marques, Lima Costa, Sérgio Azevedo, Paula Teixeira da Cruz, Costa Silva, Teresa Leal Coelho, Álvaro Batista, Miguel Santos, Fátima Ramos, Ângela Guerra, Firmino Pereira, Luís Vales, Regina Bastos, Pedro Pinto, Rubina Berardo, Cristóvão Norte. Curiosamente houve dois votos contra entre os socialistas e os comunas também votaram contra, tal como o CDS-PP.
A eugenia é agora oficialmente permitida em Portugal.

6 comentários:

Adilson disse...

Lasqueira! O povo vota nessas bestas justamente por ignorar que está havendo no mundo e por desconhecer o que é o esquerdismo, que a aliás é praticamente a droga que infestou as universidades que por sua vez produzem professores jumentos. Tá aí. Esses canalhas sabem que a maioria do povo é contra esse tipo de coisa. E ao invés de representar a vontade do povo, vão lá e cagam!

FireHead disse...

Pois é. Eles votaram entre eles no Parlamento. Porque é que não fizeram antes um referendo para perguntar ao povão se acha ou não bem essa coisa da barriga de aluguer? Aliás, isso da barriga de aluguer até é um conceito que induz em erro, pois por lei não se pode fazer negócio com isso. Também não se fez nenhum referendo sobre o "casamento gay" porque muito certamente a maioria votaria contra. Aliás, mesmo no caso da despenalização do aborto, só à segunda é que foi de vez, pois da primeira vez ganhou o "não". Como Portugal é um país super democrático, foi preciso fazer um segundo referendo, sob a alçada dos socialitas, e o "sim" lá ganhou e arquivou-se o caso. Se o "não" tivesse voltado a ganhar, de certeza que haveria um terceiro referendo ou até mesmo um quarto e um quinto, que era até que o "sim" finalmente ganhasse. Dizem eles que é pelo progressismo, que Portugal não podia ficar atrás dos países da vanguarda. Enfim, é só merda atrás de merda.

wind disse...

Opá isto é para ajudar casais que não podem ter filhos!

Dr. No disse...

"foi preciso fazer um segundo referendo, sob a alçada dos socialistas, e o "sim" lá ganhou e arquivou-se o caso."

O "sim" ganhou mas o referendo não era vinculativo porque teve uma abstenção superior a 50%, ou seja, a vitória do "sim" era nula e ficaria tudo na mesma.
Mas vai daí e o "sr. engenheiro" Sócrates disse que não podia ignorar a vitória do "sim" porque expressava a vontade popular (quando menos de 50% dos eleitores votaram) e decidiu votar a despenalização do aborto no Parlamento, ganhando a opinião contrária à da população.
Portanto, a aldrabice foi dupla: como o 2.º referendo era não vinculativo, foi-se pela via parlamentar e tem sido assim até hoje com estas merdas fracturantes.

O PR ainda não assinou a Lei, que pode ser novamente vetada ou enviada para o Constitucional. Veremos o que acontece...

"barriga de aluguer até é um conceito que induz em erro, pois por lei não se pode fazer negócio com isso"
Pois não, mas na prática qual é a mulher que se vai dispor a passar 9 meses grávida mais o parto sem contrapartida financeira?
Barriga de aluguer é o termo correcto porque a barriga de uma mulher é contratada para gerar uma criança que não é a dela: há contrato escrito, não há é dinheiro (dizem eles). Com ou sem dinheiro, continua a ser um negócio, um contrato, uma prestação de serviços.
"Maternidade de substituição" é um eufemismo criado pelo esquerdume para disfarçar esta barbaridade: uma mulher substitui outra mulher na função de mãe gestante, como se fosse uma incubadora e parideira?
Resumindo: Diz a barriga de aluguer "Sim, estou grávida mas não é meu!"

Pode explicar porque considera a barriga de aluguer uma eugenia?

FireHead disse...

Wind,

"Ajudar" promovendo a eugenia... mata-se seres vivos para satisfazer "caprichos" de gente que não pode ter filhos. Alguma vez essa gente ouviu falar da adopção? Nunca ouviu dizer que "pai (e mãe) é quem cria"? Com tanta gente abandonada, porque não adoptar? Ah, não, do jeito como andam as coisas, adoptar crianças agora é para "casais gays", pois é isso que está na moda...

Tu não sabes que sempre que o ser humano se põe a brincar aos deuses só acaba é por fazer merda?

FireHead disse...

Dr. No,

Por falar no eng. Sócrates, não foi o mesmo que disse que não pode ou não deve governar o país aquele que não ganhar as eleições?? Não foi assim que ele ganhou o segundo mandato? Se os tipos da "direitinha" fossem espertinhos teriam feito o mesmo que o Costa e o restante esquerdume...

Quanto à barriga de aluguer, muitas das vezes são mulheres desfavorecidas que aceitam esse "negócio". Mas não, nós é que somos uns tapadinhos e conservadores de merda, precisamos de ser mais progressistas e tolerantes: as mulheres inférteis, ou homens inférteis, também merecem ser pais!!

Quanto ao facto de ser eugenia, já cheguei a colocar aqui postas sobre isso. Sublinho, no entanto, a explicação excelente que o Pe. Paulo Ricardo deu sobre essa questão fracturante. Ora, a partir do momento em que os óvulos são fecundados dá-se a concepção. Logo, os óvulos que posteriormente são descartados já são seres humanos, pois trata-se de seleccionar os "melhores" e sacrificar os "piores".