sexta-feira, 29 de julho de 2016

O paganismo é «um passo para a auto-destruição»


A Igreja Ortodoxa Russa aproveitou o aniversário do Baptismo dos Rus, uma federação esparsa de tribos eslavas politeístas que deram origem aos russos, para alertar contra a algo preocupante popularidade crescente de grupos neopagãos, pois estes representam um "desafio directo" ao Cristianismo trazido para terras russas pelo apóstolo Santo André. A cristianização do chamado Kievan Rus fez ontem 1028 anos.
Vakhtang Kipshidzem, o vice-líder do Departamento de Relações da Igreja com a Sociedade e os Média do Patriarcado de Moscovo, sublinhou numa conferência recente que o povo rus deixou a prática pagã depois do Baptismo e que há hoje uma tentativa de ressuscitar a quase-religião pagã. "O Baptismo foi para nós uma escolha histórica e um facto irrevogável. As tentativas de o rever, mesmo citando argumentos de apologética pagã, são beaseadas numa invenção de representação pagã da realidade", disse Kipshidzem, que acrescentou que regressar ao paganismo é "um passo para a auto-destruição". 
A adopção do Cristianismo por parte dos russos é simbolizada pelo Baptismo do príncipe Vladimir em 988. E o que vale é que o Vladimir Putin e os seus camaradas não permitirão que a irracionalidade (pagã) prevaleça, em nome da coesão nacional (cristã) da Rússia. Na verdade, estes grupelhos neopagãos não são nada comparados com a escória islâmica (que também é pagã) que existe no país, isso sim bem mais perigoso e preocupante...

4 comentários:

Adilson disse...

Bem, rezemos pela Rússia e pela Igreja no Ocidente!

FireHead disse...

Há que rezar também pela conversão da Rússia, como pediu Nossa Senhora de Fátima. Sim porque a Rússia, apesar de ostentar uma capa cristã e defender também valores cristãos, é ortodoxa, e a Igreja Ortodoxa não deixa de ser uma seita cismática. Ainda assim sempre é melhor do que por exemplo o protestantismo e, claro, outras seitas das quais se incluem o ateísmo e o agnosticismo típicos do esquerdume.

Anónimo disse...

Vá agora diz lá que a Igreja Ortodoxa é uma seita gnóstica, que falta de noção.

FireHead disse...

Sim, a Igreja Ortodoxa é uma seita gnóstica. Por algum motivo eu no meu comentário anterior disse que há que rezar pela conversão da Rússia. Mas também frisei que, do mal o menos, antes Igreja Ortodoxa que outras seitas.

A doutrina ortodoxa ainda hoje tem ideias que afirmam existir uma suposta energia divina não criada (panteísmo?) e que Deus não pune ninguém porque entendem os ortodoxos que para isso é preciso que Deus tenha arquétipos do mal na sua essência. Os ortodoxos também negam a doutrina do pecado original e defendem que o Espírito Santo procede directamente de Deus Pai e não do Deus Filho (Filioque). Portanto é claro que a Igreja Ortodoxa também é gnóstica, porque afinal de contas é cismática, logo não se assenta no fundamento colocado por Cristo que é Pedro nem aceita a sua autoridade visível enquanto vigário, negando o estabelecimento do Papado e defendendo que o líder é o Espírito Santo.