terça-feira, 19 de julho de 2016

Mais dois «maluquinhos» em nome de Alá...


video
O muçulmano gritou Allahu Akbar, mas não tinha nada a ver com o islão...


O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, foi vaiado pelo povo em Nice
O povo acusou o Manuel Valls de ser um «assassino»...

10 comentários:

Portuguesinha disse...

Preocupa-me bastante também o "estado de sítio" nos EUA...
Agora dão para acusar a polícia de matar homens negros...
Uma estupidez sem tamanho que ainda pode ter consequências sérissimas. As pessoas estao descontroladas, perderam a capacidade de racicionar.

Na realidade, não são negros os caçados, mas os polícias! Aqueles que existem para servir e proteger. Protege-se melhor os direitos dos criminosos do que os das pessoas de bem. Agora também dispararam e mataram acho que seis polícias em Baton Rouge!! Mais uns para juntar aos de Dalas.

E estes assassinos ainda se julgam diferentes de um simples terrorista.

FireHead disse...

O que está a haver é a famosa ditadura das minorias, no caso a minoria negra nos EUA. Os negros pensam que os brancos devem ter o complexo de culpa pelo mal que lhes fizeram no passado, daí agora considerarem-se no direito de ter um tratamento especializado, e quando isso não acontece é porque existe racismo contra eles. É claro que nem todos os negros pensam assim e muitos até estão contra esses movimentos como o Black Lives Matter, e ainda bem que assim é, mas o problema é que não está efectivamente a ser feito o que quer que seja para travar essa onda de violência contra a polícia. É que em muitos dos casos da suposta violência policial contra os negros estamos a falar de negros que são criminosos e que, ou morrem eles, ou são os polícias que são mortos.

Adilson disse...

Enquanto os alemães sofrerem da síndrome do "acho que eu vi um gatinho" mais e mais pessoas vão se machucar!

Douglas Sulzbach disse...

Ao menos dessa vez morreu quem deveria morrer: o terrorista.
Veja que agora só houve feridos, mortos nenhum, a não ser o executor. Assim deveria ser sempre!
De pouco em pouco o alemães verão que acolher tanto refugiado da tal religião da "paz" não traz bons resultados, eis um deles.

FireHead disse...

Adilson,

Quatro das 11 vítimas desse alógeno são turistas de Hong Kong. Foram para a Alemanha certamente para curtir umas agradáveis férias e puderam sentir na pele o quão boa é a solidariedade europeia para com os refugiados muçulmanos...

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Exactamente. Felizmente ninguém mais morreu excepto o terrorista, que não fazia falta nenhuma neste mundo. Ainda que eu seja pró-vida e acredite que todas as pessoas merecem sempre uma nova oportunidade e o perdão com vista a uma mudança para melhor, por vezes não há mesmo outro jeito senão cortar logo o mal pela raiz. Sendo assim, e no que diz respeito aos actos terroristas, vamos esperar que muitos mais terroristas morram sem prejudicar terceiros.

Afonso de Portugal disse...

Ontem, um marroquino "vibrante" esfaqueou uma mãe francessa e as suas três filhas nos Alpes. Segundo a estação de televisão TF1, o maometano tê-lás-á achado demasiado despidas e decidiu puni-las como mandou o seu amado profeta pedófilo:

http://www.telegraph.co.uk/news/2016/07/19/man-stabs-french-woman-and-her-three-daughters-for-being-scantil/

Douglas Sulzbach disse...

Eu sempre fui a favor de que terroristas sejam abatidos, e no momento do ato, para que não fujam depois. Também me considero pró-vida, sou contra aborto e eutanásia, mas infelizmente há criaturas sem conserto no mundo, que promovem verdadeiras carnificinas como os atentados europeus dos últimos meses na França, na Bélgica e agora esse da Alemanha em menor escala, esses seres representam perigo e podem significar a morte de centenas de inocentes, tudo por conta duma seita ou duma crença, assim, quando puder eliminar eu apoio, é um bem que se faz à Humanidade, mata-se um ou dois e em contrapartida, salva-se dezenas, talvez centenas de pessoas.

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Eu já tinha falado desta notícia na minha rubrica "Notas soltas" de ontem. Seja como for, obrigado. :)

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

És como eu. Eu também sou a favor da vida, mas é a tal coisa, por vezes há momentos em que vejo-me mesmo obrigado a defender a pena de morte. É por isso que eu ainda sou capaz de dizer que os terroristas que são abatidos enquanto cometem atrocidades em flagrante não fazem falta nenhuma neste mundo.