quarta-feira, 6 de julho de 2016

Macaulogia

O autor e professor Tang Kaijian, da Universidade de Macau, dedica-se à investigação da área da Macaulogia. Considerado já um pioneiro na investigação histórica de Macau em língua chinesa, Tang Kaijian lançou recentemente uma compilação exaustiva da influência do Ocidente em Macau entre os séculos XVI e XIX, afirmando que "Macau é único no território chinês" e que é necessário preservar a multiculturalidade que caracteriza a região apesar da sua perda ser inevitável devido à integração do território na China, processo iniciado com a mudança da administração em 1999. Ainda assim, já está a ajudar no que pode para preservar o que conseguir, investindo na tradução de documentos de português para o chinês para que estes possam ficar acessíveis aos académicos e ao público em geral.
"A história de Macau não é possível ser feita sem recorrer à língua portuguesa. Sem traduções dos documentos que na sua maioria estão em português não é possível estudar Macau", disse Tang Kaijian, que é natural de Hunan, no sul da China, ao jornal Hoje Macau. "Penso que o mais importante é a influência que as culturas ocidentais tiveram na área da religião, nomeadamente no que respeita à católica. Apesar de também me dedicar ao estudo da lei ou da arquitectura, penso que a influência religiosa-social é a mais interessante. Desde o século XVI ao século XIX que Macau foi o único espaço multicultural com contacto directo com a China. Só depois do século XIX é que cidades como Xangai e Hong Kong começaram a ter esta componente multicultural. Considero que Macau é efectivamente único no território chinês".
A perda da herança multicultural é realmente inevitável, acredita o professor, pois "Macau é um espaço pequeno com uma cada vez maior afluência do interior da China". "Quando falamos de Macaulogia já podemos começar a estar a falar em história" e se o governo da Região Administrativa Especial de Macau não intervir, investindo na manutenção desta característica multicultural através da protecção do património cultural e histórico, "esta herança passará à história mais rapidamente".
O mais incrível é o facto de na China muita gente não saber nada ou quase nada da história de Macau apesar dos portugueses terem governado no território durante mais de 400 anos. E aquilo que muitos chineses pensam que sabem de Macau muitas das vezes não corresponde à realidade, como isso de dizerem que Macau foi apenas emprestado aos portugueses ou que os portugueses roubaram Macau aos chineses. Como me disse certa vez um condutor de um triciclo motorizado lá na China, um senhor já de idade que tem o enorme desgosto de nunca ter conseguido fugir para Macau onde poderia ter uma vida melhor do que a que teve, se não fosse Portugal Macau não seria o que hoje é.

6 comentários:

Anónimo disse...

rsrsrsrsrsrs macau tá ficando igualzinho china... e tu ainda vai ficar ai comendo cachorrinho e gato

Diana Fonseca disse...

Portugal é aquela base.

Diana Fonseca disse...

R.: Aquela casa foi a única coisa de interesse para visitar que descobri em Fafe. Como o rally foi lá, aproveitei para passear. E no final, percebi que rally passou lá à beira.

wind disse...

Resto de boa de semana:)

Anónimo disse...

Cheguei a ler aqui no teu blog que a cidade de Macau está a ficar cada vez mais igual à China, o que não é de admirar dado que Macau já voltou para a China no ano de 1999. Mesmo assim vejo que ainda existem muitos portugueses em Macau, sendo que muitos deles não fazem contas de um dia regressar a Portugal e querem ficar muitos mais anos ou mesmo para sempre em Macau. Como é que se explica isso? Será que eles gostam assim muito dos chineses que vão lhes castrar as liberdades, ou será que eles são malucos da cabeça?

FireHead disse...

Anónimo das 16:19,

Mas a tendência diz que o consumo da carne de cãe e de gato na China está a diminuir e que os chineses cada vez mais vêem os cães e os gatos como animais domésticos.


Diana Fonseca,

Portugal, ou o que resta de Portugal, em Macau vai desaparecendo aos bocadinhos. Ainda assim é muito bom termos aqui coisas como as festas de São João ou a comemoração do Dia de Portugal no Camões. Nada mau mesmo para uma comunidade que dizem que não é nada unida.
Quanto à casa, achei bastante engraçado o facto de teres colocado a foto numa posta que fala de um rally. :)
Beijinhos.


Wind,

Resto de uma boa semana também para ti! O fim-de-semana já está quase a chegar, hehe! :)


Anónimo das 17:47,

Também não sei. Deve ser porque já se habituaram a Macau e à vida daqui e criaram raízes. E isso é mais forte do que qualquer porcaria que venha da China. É a explicação que eu vejo para isso. Outros há também que já foram e que não querem mais nada com Macau, em particular macaenses que consideram que o Macau deles acabou com a entrega do território à China em 1999.