domingo, 31 de julho de 2016

Hierarquia católica polaca contra o Papa Francisco!


Segundo esta fonte, a Igreja Católica da Polónia não está disposta a fazer a vontade do Papa Francisco, que quer que a comunhão possa ser dada aos católicos divorciados ou recasados. O arcebispo Stanisław Gądecki, o presidente da Conferência dos Bispos Polacos (na foto de cima ao lado do Papa), defendeu mesmo que todos aqueles que tiveram um primeiro casamento válido pela e para a Igreja não podem voltar a receber a Eucaristia. Isso foi dito horas depois do Papa ter chegado a Cracóvia, e o arcebispo até citou o documento do Papa João Paulo II sobre a família, documento esse que exclui claramente a comunhão aos divorciados e recasados, referindo-se também à importância de "reter a verdade do Evangelho de que não podemos deliberadamente passar por cima do preceito de Cristo contra o divórcio".


Eis a Igreja da Polónia a demonstrar o que é que é verdadeiramente o Cristianismo, defendendo-o mesmo contra a vontade deste Papa.

4 comentários:

Adilson disse...

Ai, ai, ai! Chega a me dá um frio na barriga. A Polônia tem forte tradição conservadora da prática católica. E olha que esse país já passou por maus momentos, como aquelas duas invasões no início da Segunda Guerra: pelos nazistas e pelos comunistas. Até hoje se fala mais das crueldades nazistas que a dos comunistas contra a Polônia, não que o nazismo preste, pelo contrário. Que Deus proteja a Polônia, que aliás, anda resistindo a pressão européia para aceitar "refugiado". Será que o papa foi lá pedir que os poloneses abram suas portas?

wind disse...

Não estou nada de acordo com isso.
A minha mãe era viúva e tornou a casar com um divorciado, o meu padrasto. O maior desgosto que ela teve foi não poder continuar a comungar, pois ela era das que ia à missa todos os sábados. Isso fez com que ela deixasse de ir. Só não perdeu a fé. É muito católica.

FireHead disse...

Adilson,

Claro que sim. O Papa foi lá dizer aos polacos para aceitarem refugiados. E agora é isto. Acho bem. Tem que haver membros da Igreja Católica a resistirem a todas as tentativas satânicas que existem dentro dela. Os maiores inimigos sempre foram os internos.

FireHead disse...

Wind,

Pois, sei e compreendo que tu não estás de acordo, mas a Igreja não é tua pertença e não somos nós que a mudamos. Se não concordas, não sejas católica. Simples. O Pe. António Vieira bem que tinha dito que antigamente baptizava-se os convertidos e que hoje é preciso converter os baptizados.

Eu não me vou pronunciar sobre a tua mãe. Mas ela, como muito católica (sem ir à Missa? Então só é nominalmente católica), só tem é de compreender o porquê da Igreja não permitir que os recasados comunguem. A última parte desta posta resume tudo: "não podemos deliberadamente passar por cima do preceito de Cristo contra o divórcio". Ela apaixonou-se por um homem que era divorciado, portanto agora tem que "arcar com as consequências".