terça-feira, 12 de julho de 2016

Exame de graduação de Kosho Ryu Kenpo 2015/16


Realizou-se no sábado passado o exame de graduação de Kosho Ryu Kenpo desta época na Sociedade Euterpe Alhandrense, em Alhandra, ao pé de Alverca do Ribatejo. Uma vez mais, os kenpocas acabaram por ver todo o seu esforço ao longo da temporada recompensado com o escurecimento dos seus respectivos cinturões, sinal de maturidade marcial.
É assim o espírito da ohana (família) kenpoca. Parabéns a todos os atletas desta excelente arte marcial que é o Kenpo! Ma kao kaooooo!!

4 comentários:

Adilson disse...

Bela noticia.

Eu sempre tive desejo de aprender e praticar uma arte assim, mas infelizmente, desde que houvesse um bom mestre ou uma boa equipe. aqui em meu país é cada dia mais raro algo parecido. Artes marciais por aqui, como qualquer outra coisa, tende sempre a construir mais um orgulho vicioso do que mesmo uma contribuição à nossa sociedade.

FireHead disse...

Olha que eu não sei. Os brasileiros são muito bons no Jiu-Jitsu. Tanto assim é que parece até haver uma variante, que é o Jiu-Jitsu brasileiro.

Adilson disse...

Sim. Aqui no Brasil há muito disso mesmo. O que reclamo é da falta das velhas academias nos bairros que se concentravam em difundir as artes marciais independentemente dos ganhos, ou do que o Estado e os grandes torneios multimilionários prometiam. Isto é: sem se preocupar com a presença de câmeras para transformar os praticante em celebridades...

FireHead disse...

Para além do Jiu-Jitsu brasileiro também há, e é quase um crime da nossa parte por não nos termos lembrado, a Capoeira. :)

As artes marciais podem assumir um carácter social. Tenho conhecimento de tipos que saíram da má vida depois de se envolverem na prática de artes marciais, como o Karate Shotokan. É verdade que as artes marciais não se limitam apenas a dar porrada. É também uma maneira de estar na vida porque também trabalha muito a vertente psicológica.