quarta-feira, 6 de julho de 2016

De segurança a padre


Fernando Rafael, de 37 anos, foi ordenado padre no domingo passado em Quarteira, no Algarve. O seu último emprego foi como segurança e até chegou a ser porteiro em discotecas da região até que aos 28 anos decidiu ser padre. Quando estava a trabalhar como segurança, passando noites inteiras sozinho, começou a rezar o terço apesar de não ter qualquer prática religiosa anterior. "A oração no silêncio e no escuro da noite começou a ganhar uma dimensão que eu não conhecia e criou-se algo de extraordinário na minha vida", disse o novo padre em declarações à Lusa, identificando esse momento como o seu verdadeiro encontro com Jesus. De seguida recebeu o Baptismo, a Primeira Comunhão e o Crisma na preparação para o seminário e encara as regras da Igreja com naturalidade, nomeadamente o celibato, considerando que as normas "fluem naturalmente" quando há uma ligação a Deus. "Deus não nos pede nada que nós não possamos aguentar e o celibato faz mais confusão às pessoas que estão de fora do que a quem o pratica". Descrevendo o sacerdócio como "uma vida de doação", Pe. Fernando Rafael disse que o que lhe faz mais feliz "é poder levar Jesus às pessoas". "Vejo isso como um dom, uma vocação. Continuo a ser a mesma pessoa, estou muito bem com a minha vida. Se tivesse que voltar atrás não mudaria nada".
Espero também que ele, tal como o Pe. David Crespo, seja um verdadeiro padre.

Sem comentários: