domingo, 19 de junho de 2016

Notas soltas

O Sport Lisboa e Benfica anunciou a contratação do defesa-central croata Branimir Kalaica, ex-Dínamo Zagreb, até 2022 com uma cláusula de rescisão de 45 milhões de euros. O jogador tem 18 anos e em princípio deverá rodar na equipa B, mas nada que lhe retire a alegria: "Vim para ser campeão. Fiquei em choque quando soube que me queriam. Sei que o Benfica conquistou 35 campeonatos, têm uma equipa muito boa. Vi as celebrações, foram fantásticas. São o clube com mais adeptos".

Kalaica é visto como uma promessa na Croácia
No futsal, o Inter Movistar conquistou o tricampeonato lá em Espanha depois de vencer o Barcelona por 3-1 no quarto jogo da final com a dupla portuguesa do Inter Movistar, Ricardinho e Cardinal, a fazer os golos que permitiram a reviravolta no marcador. É o 11.º título de campeão do clube de Torrejón de Ardoz, nos arredores de Madrid, o clube espanhol mais vencedor de futsal.

Festa dos jogadores do Inter Movistar
Diz o Correio da Manhã que, algures em Portugal, um menino de oito anos fez sexo com uma colega de nove anos. Tudo começou com uma "brincadeira de namorados" com as crianças a trocarem carícias como fazem os mais crescidos. A mãe da menina fez queixa à GNR.

Precoce, muito precoce...
No Reino Unido, um tenente e piloto da Royal Navy, Nick Grimmer, de 32 anos, viajava do aeroporto de Birmingham para a estação aérea de Culdrose quando ouviu um barulho estranho na viatura em que seguia. Na manhã seguinte à viagem, Nick pediu ajuda a uns colegas engenheiros para tentar descobrir a origem do barulho e descobriu que estava um gatinho preso no pára-choques do carro.

O gatinho é agora a nova mascote da equipa militar Flying Tigers
Na Rússia, um homem foi visto na cidade de Pskov a passear com um leopardo como se fosse um cão. O homem e o leopardo foram apanhados em flagrante por um transeunte de nome Alex Treshchev.

O leopardo treinado, Jerry, ia para uma sessão de fotos com uma modelo
No Estado norte-americano do Ohio, três mulheres foram detidas depois de terem agredido uma funcionária de um restaurante da McDonald's por esta alegadamente ter demorado a atender-lhes. As agressoras foram identificadas pela polícia como Ashley England, Mary Jordan e Sammie Whaley, e até se riram para as fotos na cadeia.

Devem ser "judias" ou então têm "genes mongóis" e QI baixo...
Por ocasião do congresso internacional WeAreN2016 sobre a liberdade religiosa, as plataformas CitizenGO, MasLibres e Em Defesa dos Cristãos (IDC) apresentaram no dia 29 de Abril cerca de 400 mil assinaturas ante a Organização das Nações Unidas (ONU) exigindo que se reconheça o genocídio contra cristãos e outras minorias religiosas no Médio Oriente, bem como exigir também a sua protecção. Acontece que a maçónica ONU ignorou os pedidos. Como é óbvio, e agora fazendo uso da ironia (porque há sempre gente que não a capta), não existe nenhum genocídio de cristãos e outras minorias como os yazidis no mundo islâmico...

Genocídio de cristãos? Não, isso é um mito
A jovem Joanna Palani é uma dinamarquesa de 23 anos e de origem curda que levava uma vida tranquila em Copenhaga, onde estudava política e filosofia na universidade, e que se juntou a um grupo de combate ao Estado Islâmico, a YPG (Unidade de Protecção do Povo), na Síria, em Novembro de 2014. Segundo o jornal La Vanguardia, Joanna afirmou que os jihadistas são fáceis de abater, ao contrário dos soldados de Bashar al-Assad que são "máquinas de matar". "Os curdos estão a lutar pela democracia e pelos valores ocidentais", disse Joanna, acrescentando que se a tivessem capturado ou matado ela ter-se-ia sentido orgulhosa. No início de 2015, Joanna fez parte de um batalhão que libertou um povo perto de Mosul, povo esse que contava com muitas mulheres usadas como escravas sexuais. Joanna acabou no entanto por regressar a casa para visitar a família, estando agora impossibilitada de ir novamente para o Médio Oriente porque as autoridades dinamarquesas retiraram-lhe o passaporte, o que deixou a jovem triste por não poder ajudar mais os seus companheiros de armas a matar jihadistas...

Para os jihadistas, morrer às mãos de mulheres não dá para ir para o paraíso...
O maestro italiano Aurelio Porfiri, que viveu durante um tempo aqui em Macau, disse numa entrevista ao semanário católico macaense O Clarim que o clericalismo é a maior doença da (actual) Igreja Católica. Segundo ele, "há alguma confusão devido à nova direcção que o Papa Francisco quer dar (à Igreja). Por isso, também há resistências. Por exemplo, através da minha experiência, especialmente (ao nível da colaboração) para O Clarim, tento contactar alguns cardeais, mas muitos têm medo de falar por recearem dizer algo que talvez não agrade à alta hierarquia". Actualmente a viver em Roma, Aurelio Porfiri afirmou que, graças ao Papa Bento XVI, "de certa forma estão a regressar algumas tradições dentro da Igreja, tais como as missas em Latim e os cânticos gregorianos. É algo positivo. Provavelmente não é tão forte em Macau, mas quem for a Roma observa que há muitos jovens nestas cerimónias religiosas. Vão, preocupam-se e seguem. Há este acordar para as tradições".

Aurelio Porfiri é também editor da Chorabooks e da Choralife
Diz o Diário de Notícias que todos os meses 20 empresas europeias são compradas por chineses, o povo dominante do mundo. Só em Portugal, entre 2011 e 2014, o investimento chinês ascendeu a 6,5 mil milhões de euros, catapultado pelas vendas da EDP, REN e Fidelidade, mas os maiores negócios fazem-se agora na Alemanha: 25 empresas alemãs já passaram para mãos chinesas, negócios avaliados em 8 mil milhões de euros, o que já levou Angela Merkel a ficar preocupada e pedir travões à "invasão amarela" (se os chineses fossem refugiados a conversa já seria outra...). Em vendas e fusões, os chineses investiram, no ano passado, 35 mil milhões de euros na Europa. Fernanda Ilhéu, professora do ISEG e coordenadora do centro de apoio ao investimento ChinaLogus, não tem dúvidas: as grandes empresas privadas chinesas são "encorajadas pelo governo chinês na estratégia de globalização". "Na maior parte dos casos, o objectivo primordial dos investidores é o mesmo: o acesso dos filhos a uma educação internacional; a possibilidade de viver em cidades com baixo nível de poluição e com menos stress, sobretudo para os investidores oriundos das grandes cidades como Xangai, Pequim e Cantão (Guangzhou)", disse, por sua vez, Sandra Fernandes, especialista em direito imobiliário na DCS Advogados.

Ainda assim há quem não concorde comigo quanto ao futuro chinês do mundo

2 comentários:

Anónimo disse...

gostas do bangladesh? eu conheci uma miuda do bangladesh completamente liberal, tatuada, bom rabo boa perna, aqui em londres.
achas que por ela ser muçulmana nao deva andar com ela?

FireHead disse...

Não sei, isso é lá contigo... se ela quiser e se o pai dela também deixar. :P