sexta-feira, 24 de junho de 2016

Dia de São João: os holandeses foram derrotados em Macau há 394 anos atrás


Hoje é o dia em que se celebra o nascimento de São João, o Baptista, primo de Jesus Cristo. Faz hoje também precisamente 394 anos que se decidiu a sorte de Macau com a derrota dos invasores holandeses.
12 anos depois do estabalecimento holandês no Japão, e com a criação da Companhia Holandesa das Índias Orientais (Verenigde Oost-Indische Compagnie) em 1602 em resposta à Companhia Inglesa das Índias Orientais para apoiar o comércio colonial, a Holanda quis excluir os competidores europeus da Rota Marítima da Seda e como os portugueses, que na altura estavam sob o domínio espanhol, tinham os melhores portos estrategicamente colocados nessa rota, o governador-geral holandês em Batávia, Jan Pieterszoon Coen, resolveu fazer uma grande expedição para tomar Macau onde chegava de Cantão a tão necessária seda crua para conseguir substituir os mercadores portugueses no Japão. Por outras palavras, se os holandeses conseguissem tomar Macau acabavam com a presença portuguesa no Extremo Oriente.
Na altura Macau estava mal guarnecido - tinha apenas cerca de 50 mosqueteiros e uns 100 habitantes que sabiam pegar em armas -, o que levou a Holanda a atacar a cidade sob as ordens do almirante Reijersen. Cantando antecipadamente vitória, os holandeses, mais fortes e em maior número, marcharam para o entrincheiramento dos portugueses e dos filhos da terra. A tomada holandesa de Macau parecia inevitável até que da fortaleza de São Paulo, ainda inacabada, os padres jesuítas atiraram três bombardas, tendo uma das balas acertado em cheio no barril de pólvora de um dos barcos que se encontrava no meio do esquadrão holandês, provocando um enorme estrondo e tirando a confiança aos holandeses que pensaram estar perante uma cilada. O almirante Reijersen, que mal pôs os pés na terra foi ferido com uma bala de mosquete na barriga, foi substituído pelo veterano capitão Hans Ruffijn, mas os homens do capitor-mor Lopo Sarmento de Carvalho, de António Rodriguez, de Rodrigo Ferreira e de João Soares Vivas puseram cobro à situação e expulsaram o inimigo invasor.
Após a vitória, os moradores de Macau acorreram à Sé onde se celebraram solenes ofícios em acção de graças. O Dia de São João passou assim a ser o dia da cidade de Macau e São João o seu santo padroeiro.

6 comentários:

wind disse...

Bom fim de semana:)

Diana Fonseca disse...

Tanta coisa importante a acontecer no mesmo dia.

FireHead disse...

Wind,

Foi um fim-de-semana muito suado, pois estive a trabalhar, motivo pela qual só agora é que eu tive finalmente tempo para actualizar o blogue em relação aos comentários. Espero que o teu fim-de-semana tenha sido bom. :)

FireHead disse...

Diana Fonseca,

É verdade. E aposto que esta parte da história de Portugal muitos portugueses não sabem. :)

Ivan Baptista disse...


«A tomada holandesa de Macau parecia inevitável até que da fortaleza de São Paulo, ainda inacabada, os padres jesuítas atiraram três bombardas, tendo uma das balas acertado em cheio no barril de pólvora de um dos barcos que se encontrava no meio do esquadrão holandês, provocando um enorme estrondo e tirando a confiança aos holandeses que pensaram estar perante uma cilada.»

Deu para o susto :)

Deveriam também fazer igual á muralha da China (acho eu), soldados estátuas para parecerem muitos :)

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Não interessa! Os holandeses roubaram-nos Malaca!!