quinta-feira, 30 de junho de 2016

Como é que a Islândia saiu da crise?


Agora que ainda anda tudo maluco por causa do Brexit e também, a nível do Euro 2016, maravilhado com a prestação da selecção islandesa, estreante na fase final da competição, vale a pena trazer à tona um excelente artigo do ano passado sobre a maneira como a Islândia saiu da crise: não dando, precisamente, ouvidos à União Europeia, que queria que o país aplicasse medidas de austeridade para suportar a recuperação económica. Em 2008, a Islândia necessitou de recorrer ao FMI e em 2011 já estava a acabar o programa de ajustamento, cumprindo os objectivos com sucesso. A intenção era aderir à União Europeia, mas em 2014 as negociações foram, e bem, interrompidas por vontade da própria Islândia.
A população islandesa é das mais homogéneas da Europa e isso vê-se na selecção nacional islandesa - os islandeses descendem de um cruzamento étnico entre colonizadores vikings e celtas que foram levados para a ilha como escravos -, e a língua oficial, o islandês (íslenska), é a língua norueguesa do século XIV que não evoluiu. Como os islandeses são empenhados na preservação da sua língua nacional, também não é de admirar que eles também se preocupem em preservar a sua identidade nacional contra o globalismo, coisa que passaria a existir se a Islândia estivesse na União Europeia com a política de fronteiras abertas e cedência de parte da sua própria soberania a Bruxelas.

12 comentários:

wind disse...

Também é um país pequeno, daí ter conseguido tudo isso:)

FireHead disse...

Hmmm... deixa-me lá ver se eu te entendi. Quer isso dizer então que os países pequenos (Portugal é considerado um país pequeno, né?) não precisam da União Europeia para nada? :P

Ivan Baptista disse...

Mas nós não somos a suiça ou bélgica, somos mais uma m?%&@ que outra coisa ó firehead :)

FireHead disse...

Nós não, pá, não nos metas a todos no mesmo saco! Portugal não tem culpa de nada. O povo, possivelmente uma maioria, sim, quer dizer, penso eu de que...

Anónimo disse...

Claro que tugaland ou PRETOGAL é uma m/&%(@*, pensam o q? No futuro serao só pretos, monhes e muslos.

FireHead disse...

Então e isso é mau? O que importa é haver gente a viver em Portugal, de preferência uma população com uma taxa de natalidade (ou fecundidade?) pelo menos igual a 2,1 filhos por cada mulher que é para poder haver uma renovação das gerações. Já que os brancos não se preocupam em fazer filhos para garantir a renovação das suas gerações, então há que dar a vez aos outros, os imigrantes, que é para se dar continuidade a Portugal. Isso da raça não importa, até porque não existem raças - isso é uma invenção, pois só existe uma única raça que é a humana (não será antes espécie?). Ah pois é, o futuro é risonho! Não sejas racista, pá! O racismo é crime.

Ivan Baptista disse...

«Claro que tugaland ou PRETOGAL é uma m/&%(@*, pensam o q? No futuro serao só pretos, monhes e muslos.»


HAHAHA, olha, eu por acaso até sou meio monhé, perdão, muslo ( porque indianos e árabes, não são bem a mesma coisa ) só que sou branquinho.
Mas sim, para mim é mto estranho a nossa populaça ser substituída por outras .

Douglas Sulzbach disse...

A Islândia tem 330 mil habitantes somente, manter a identidade não é um obstáculo pra eles. Não sei se há muitos adeptos de outras culturas no pequeno país, no ano passado a Islândia ofereceu asilo aos refugiados (muitos islandeses até queriam oferecer a própria casa para os imigrantes islâmicos), mas não sei como ficou a questão. Para acabar com o país, bastariam pelos menos uns 50 mil imigrantes para que em dez anos a destruição cultural fosse alcançada (país minúsculo, com 330 mil habitantes). Pois eles que continuem quietos em seu canto.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Os indianos e árabes são a mesma coisa? Lol, quem diz isso deve ter problemas bem sérios. É como dizer que os árabes são muçulmanos, como se não soubessem distinguir etnia de religião. Um pouco como os muçulmanos que acusam os islamofóbicos de serem racistas, como se o islão fosse alguma raça.

E qual é que é o problema de teres genes indianos? Não me digas que estás como alguém que vê problemas nessas coisas? Tipo, coisas que impedem que uma pessoa seja nacionalista, como se isso de ser nacionalista estivesse reservado apenas a brancos que sejam mesmo 100% brancos. Até parece que o nacionalista do Salazar não queria pretos na selecção portuguesa, nem tampouco considerou um mulato como património nacional. Era racista, afinal de contas, o raio do homem.

Em Portugal eu costumava votar no CDS-PP e, ou eu me engano, ou é o único partido que tem um membro que é mulato (Hélder Amaral, natural de Angola portuguesa). E também alguém com alguma ascendência macaense (Telmo Correia). E recordemos que o CDS-PP foi fundado por salazaristas, entre eles o Adriano Moreira. É capaz de ser tudo racismo, só pode.

E olha que há indianos bem brancos... os brâmanes! O Narana Coissoró, um goês português (também do... CDS-PP!!), que até foi meu professor de Direito na universidade, é branco e até tem os olhos azuis! Ah, e é um hindu que não acha piada nenhuma às touradas! Portanto, um goês hindu num partido como o CDS-PP, fundado por católicos conservadores?? É racismo, só pode, é isso!

Quanto à substituição da populaça, bem, tu estás a cair que nem um patinho na cantiga dos racialistas brancos. Isso não está a acontecer! Mas é preciso mais imigração porque a populaça está envelhecida e faz poucos filhos. Os imigrantes ajudam a rejuvenscer a populaça porque fazem muitos filhos. Mas não, não há cá nada de substituições... é pedir apenas uns genes de fora emprestados para os mesclarem com outros genes, proporcionando a beleza da diversidade que caminha aos poucos para uma uniformidade (harmonização - quê? Nova Ordem Mundial? Isso é mentira!). Visto bem, isto é evolução! O branco desaparecer - coisa que não está a acontecer! - é um sinal de evolução! Mas olha, eu já estou como o outro, enquanto os não-brancos não forem 51% da populaça de um país europeu ou ocidental então é porque os brancos continuam a ser a maioria. Então não é que isso é a mais pura das verdades? Há que continuar assim, que é para a ficha cair quando os olhos de muitos começarem finalmente a abrir os olhos para a puta da realidade.

E o anónimo que apostou no País de Gales... não é que acertou?? O problema é que dois dos golos apontados pelos galeses não foram apontados por brancos, hehehe.

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Parece que sim, até porque cancelaram as negociações para a adesão à UE. E depois, faz lá muito frio, o que também não deve agradar muito aos imigrantes habituados ao calor.

O mesmo parece não acontecer na ilha da Malta, um país também de forte tradição católica e historicamente habituada a lidar com os muçulmanos. A população muçulmana lá já atingiu os 8%, o que é preocupante.

Ivan Baptista disse...

E eu disse isso ó firehead ? Eu disse que tenho algo de parecido com um árabe, que se fores a ver, não é bem a mesma coisa que um indiano :)


FireHead disse...

Ivan Baptista,

Pois não. E há muitos portugueses com aspecto de árabe, pois os mouros habitaram na Península Ibérica durante muito tempo. Não vejo onde é que está o problema. Nem vejo onde é que está o problema de certo tipo de gente que acha estranho ou inexplicável haver não-brancos que sejam nacionalistas. Conheço um tipo de Macau que até tem cara de chinês e que é todo patriota e nacionalista português simplesmente porque é português. Mas pronto, eu já devia ter aprendido duma vez por todas a parar de deitar pérolas aos porcos.